Category Roger Responde

Somente publicações do Roger Responde

283 – Pergunta (21/12/2015):  Roger, eu já havia lido a suas duas obras, Moisés I e Moises II, e recentemente li o Faraó Merneptah de Rochester. Li a sua resposta de número 25 que explica a divergência dos dois livros, mas eu quero te questionar um ponto específico. Você disse que tanto as suas obras como as da autora Vera Krijanovskaia podem ter sofrido influências e, portanto, devemos nos ligar apenas no essencial. Porém, ao meu ver, o fato de Moisés ter tido o aval da espiritualidade ou ter se excedido no cumprimento de sua obra e o fato de ele ter usado mais de embustes, como Rochester relata, do que de fenômenos naturais são duas diferenças que mudam a minha compreensão de carma e mudam a minha compreensão de como foi o projeto da espiritualidade para nós e pra mim essas são questões essenciais. Portanto, quando você diz que Moisés realizou a sua tarefa por amor e não por vaidade e que estava alinhado aos planos da espiritualidade maior; como médium e escritor do livro você pode afirmar, nesse ponto, que essa é uma verdade ou isso pode estar errado por uma captação distorcida do que aconteceu por vias mediúnicas?

Olá Roger! Eu já lhe fiz várias perguntas ao ler os livros: Akhenaton, Moisés o Libertador do Egito, Moisés em Busca da Terra Prometida, a História de um Anjo e os dois sobre Atlântida e já conversamos quando você esteve aqui fazendo uma palestra. A minha pergunta é a seguinte: É verdade que a arca da aliança foi encontrada?

Roger: Sim. A sua pergunta é muito pertinente. Na resposta da pergunta número 25 não quis ser mais enfático para não ser visto como um “dono da verdade” ou algo assim. Realmente se a versão do livro de Rochester for verdadeira, Moisés não estaria à altura da missão designada a ele pela Alta Espiritualidade. Inclusive, talvez, ele nem seria um enviado de Deus para realizar a grande obra que realizou. Lembrem-se sempre que Moisés foi a base, o criador, das três maiores religiões monoteístas do mundo: o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo. Isto não é pouca coisa. E se acreditamos na interferência de Deus no mundo, temos que crer também que a missão de Moisés não foi mera obra do acaso ou de forças negativas. Certamente ele estava inspirado por Deus e pela Alta Espiritualidade, fato que vai diretamente em oposição aos relatos negativos do livro “O Faraó Merneptah” de Rochester. Creio que a médium se equivocou, devido aos fatores já descritos na pergunta número 25 desta coluna.

Sobre a questão da arca da aliança, ela não foi localizada e não será tão cedo. No momento ela se encontra em um local inacessível ao homem, conforme descrevemos no livro “Moisés – Em Busca da Terra Prometida”.

Aproveito para informar que as próximas perguntas serão respondidas a partir do dia 07 de março de 2016, devido a necessidade de me dedicar a outros projetos e a pequena procura das informações aqui contidas, principalmente no período de férias.

Roger Responde 283 – Divergências de narrativas sobre a personalidade de Moisés e a arca da aliança foi encontrada?

283 – Pergunta (21/12/2015):  Roger, eu já havia lido a suas duas obras, Moisés I e Moises II, e recentemente li o Faraó Merneptah de Rochester. Li a sua resposta de número 25 que explica a divergência dos dois livros, mas eu quero te questionar um ponto específico. Você disse que tanto as suas obras como as da autora Vera Krijanovskaia podem ter sofrido influências e, portanto, devemos nos ligar apenas no essencial. Porém, ao meu ver, o fato de Moisés ter tido o aval da espiritualidade ou ter se excedido no cumprimento de sua obra e o fato de ele ter usado mais de embustes, como Rochester relata, do que de fenômenos naturais são duas diferenças que mudam a minha compreensão de carma e mudam a minha compreensão de como foi o projeto da espiritualidade para nós e pra mim essas são questões essenciais. Portanto, quando você diz que Moisés realizou a sua tarefa por amor e não por vaidade e que estava alinhado aos planos da espiritualidade maior; como médium e escritor do livro você pode afirmar, nesse ponto, que essa é uma verdade ou isso pode estar errado por uma captação distorcida do que aconteceu por vias mediúnicas?

Olá Roger! Eu já lhe fiz várias perguntas ao ler os livros: Akhenaton, Moisés o Libertador do Egito, Moisés em Busca da Terra Prometida, a História de um Anjo e os dois sobre Atlântida e já conversamos quando você esteve aqui fazendo uma palestra. A minha pergunta é a seguinte: É verdade que a arca da aliança foi encontrada?

Roger: Sim. A sua pergunta é muito pertinente. Na resposta da pergunta número 25 não quis ser mais enfático para não ser visto como um “dono da verdade” ou algo assim. Realmente se a versão do livro de Rochester for verdadeira, Moisés não estaria à altura da missão designada a ele pela Alta Espiritualidade. Inclusive, talvez, ele nem seria um enviado de Deus para realizar a grande obra que realizou. Lembrem-se sempre que Moisés foi a base, o criador, das três maiores religiões monoteístas do mundo: o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo. Isto não é pouca coisa. E se acreditamos na interferência de Deus no mundo, temos que crer também que a missão de Moisés não foi mera obra do acaso ou de forças negativas. Certamente ele estava inspirado por Deus e pela Alta Espiritualidade, fato que vai diretamente em oposição aos relatos negativos do livro “O Faraó Merneptah” de Rochester. Creio que a médium se equivocou, devido aos fatores já descritos na pergunta número 25 desta coluna.

Sobre a questão da arca da aliança, ela não foi localizada e não será tão cedo. No momento ela se encontra em um local inacessível ao homem, conforme descrevemos no livro “Moisés – Em Busca da Terra Prometida”.

Aproveito para informar que as próximas perguntas serão respondidas a partir do dia 07 de março de 2016, devido a necessidade de me dedicar a outros projetos e a pequena procura das informações aqui contidas, principalmente no período de férias.

Roger Responde 282 – Por que a Era da Luz não iniciou-se no dia 21/12/2012?

282 – Pergunta (07/12/2015):  Bom dia Roger. Gostaria de saber sobre conexão que existe entre a Era da Luz a qual é divulgada pelo Universalismo Crístico, a nova Era divulgada pela Aupram (umbanda na sua essência- Roger Feraudy) e a mudança da Terra para um mundo de Regeneração como pregam os Espíritas? Pelo que vejo seria “o mesmo evento” porém denominado de forma diferente de acordo com o “pensamento” de cada “religião”, se posso assim dizer. Porém, como não houve a mudança esperada em 2012 e nada “foge” ao controle do CRIADOR… até mesmo nos “acontecimentos” nos umbrais e a ação dos magos negros são “previstas” e contribuem para o desenvolvimento do nosso planeta (os dois lados da mesma moeda)…Vejo uma “confusão” de entendimento por minha parte de um fato que era para ter ocorrido e não ocorreu (Era da Luz)… Desde já agradeço o contato.

Roger: Bom dia. O Universalismo Crístico não é uma religião, como já afirmamos em diversas oportunidades. E não analisamos o contexto universal através da ótica de uma única religião, seja ela qual for. Certamente que o evento que questiona acima é absolutamente o mesmo: a entrada da Terra na Era da Luz.

No capítulo adicional do livro “Universalismo Crístico Avançado”, que se encontra disponível para download no site www.universalismocristico.com.br, desde fevereiro de 2012, relatamos o porquê de a Terra não ter entrado na “Era da Luz”. Infelizmente, tanto este importante livro, como o seu capítulo adicional, tiveram um alcance muito restrito, mantendo as pessoas desinformadas com respeito a esta questão. Ainda mais neste ano, em que a alienação humana se agravou de forma mais determinante.

Sugiro que leia, pelo menos o capítulo adicional, disponível no site. E será fácil compreender porque continuamos marcando passo, estagnados, no processo de evolução da Terra. O período de transição prosseguirá, causando caos e distúrbios, até que ocorra o despertamento necessário para ingressarmos definitivamente nessa nova fase evolutiva, onde a Terra deixará de ser um planeta de expiações e provas para tornar-se um mundo de regeneração espiritual. Até lá, as profecias do livro do “Apocalipse” irão se confirmando, dia após dia. Entre elas, aquela que nos diz que, no fim deste ciclo, “o que é certo passaria a ser errado, e o que erado passaria a ser certo”. Basta ver a classe política de nosso país, envolta em tanta corrupção, sem nem menos se envergonhar, que isso fica muito claro aos olhos de qualquer um. Quem tiver olhos para ver que veja!

Roger Responde 281 – O Projeto Blue Beam, união das religiões para manipular as massas, pode prejudicar ou ser confundido com o Universalismo Crístico?

281 – Pergunta (23/11/2015): Roger, gratidão pelos livros e pelo projeto de Hermes que tanto tem nos orientado a expansão consciencial. Tem circulado entre os amigos espiritualistas o assunto/e-mails sobre o “PROJETO BLUE BEAM – União das religiões para manipular a massa”. E me preocupou  porque, se isso for realmente verdade e ocorrer esses fenômenos com imagens no céu para simular a volta de Cristo (Jesus) e manipular a massa populacional, além da loucura coletiva que se instalará, me preocupa é as pessoas fazerem uma relação desse PROJETO BLUE BEAM com a proposta do Universalismo Crístico, e,  de alguma forma manchar o projeto Universalismo Crístico. Você tem alguma informação da espiritualidade sobre isso e, o que pode nos dizer a respeito?

Roger: Amigos, vocês sabem que demorei para entender o que é esse projeto “Blue Beam”? Estou tão cansado de ler asneiras na Internet que tenho fugido desses textos que não acrescentam nada a nossa evolução espiritual. Mas como tem chegado algumas perguntas a respeito, resolvi realizar uma pesquisa sobre o tema e assim dar uma posição. Obviamente que essa ideia não passa de mais uma “teoria da conspiração” que prende a atenção das pessoas mais do que as saudáveis informações espirituais, que poderiam torná-las seres humanos melhores. Ou seja, aos olhos de muitos, contos imaginários são mais interessantes do que a mensagem renovadora de Jesus, por exemplo. E por que perder tanto tempo com teorias da conspiração? Os supostos ET´s e outras coisas dessa natureza não vão nos ajudar em nosso crescimento espiritual. A sua existência ou não é absolutamente irrelevante para o nosso crescimento espiritual. Libertem-se de toda essa ilusão e vivam a realidade de construir personalidades sólidas e voltadas para a prática das saudáveis virtudes que nos foram ensinadas pelos grandes mestres espirituais de nosso mundo. Creio que era a isso que Jesus se referia quando afirmou que no futuro surgiriam falsos cristos e falsos profetas. Assuntos como estes somente nos desviam do real caminho. Nada mais que isto.

Vivemos uma época em que distrações ilusórias tomam todo o tempo que deveríamos estar dedicando a educar a nossa alma, através dos bons valores. Dar atenção a esse projeto “Blue Beam” é mais um passo nesta sombria direção. Talvez até existam pessoas trabalhando nesse processo de lavagem cerebral para controlar as pessoas, mas o que isto seria diferente de outros processos alienantes como, por exemplo, o programa “Big Brother”? Nada podemos fazer se as pessoas não desejam despertar e procuram constantemente o caminho mais fácil (e ilusório) para encontrar-se com Deus ou Jesus?

Achei interessante responder a esta pergunta desta leitora consciente, principalmente porque relata que este tal projeto pode ser confundido com o Universalismo Crístico, já que eles tentam realizar uma suposta união das religiões, objetivo semelhante ao do Universalismo Crístico. E como o objetivo deles é manipular e iludir, ao contrário do U.C. que é iluminar e despertar, realmente muitas pessoas podem embarcar nessa canoa furada… Sem dúvida, quem estiver se alienando por qualquer coisa por aí, pode cair facilmente nestes embustes. Entretanto, quem busca estudar e conhecer com profundidade verdadeiros caminhos de espiritualização, perceberá facilmente que o Universalismo Crístico percorre por um caminho real e libertador, bem ao contrário dessas teorias e manifestações circenses que vemos todo dia na Internet. Uma prova disto é que o Universalismo Crístico ainda é pouco conhecido. E por que isto? Simplesmente pelo fato de que para se integrar à filosofia libertadora do Universalismo Crístico é preciso realizar uma viagem para dentro de si mesmo em busca de uma real e verdadeira conscientização espiritual. E, infelizmente, poucos no atual momento evolutivo da Terra estão prontos para essa instigante aventura.

Citação de Hermes no livro Universalismo Crístico Avançado:

“Todo Homem nasce livre, porém a sua ignorância faz com que termine os seus dias acorrentado à pequenez de sua consciência, porque ainda não aprendeu a despertá-la.

A verdade liberta; contudo, quão poucos desejam encontrá-la? O mundo das ilusões é sedutor… Ele cativa e escraviza sorrateiramente as almas invigilantes.

O momento é chegado… A Grande Transição se faz presente. Todavia, quem deseja acordar do sono hipnótico nos braços de Morfeu? É hora do despertar! Chegou o momento do “agora ou nunca” no planeta azul!”

Hermes

Roger Responde 280 – Saí da reunião mediúnica que frequentava há vários anos. Isto traz algum comprometimento para mim?

280 – Pergunta (09/11/2015):  Gostaria de fazer uma pergunta pessoal. Saí da reunião mediúnica que frequentava há vários anos. Isto traz algum comprometimento para mim? Fiz consciente que era o que queria fazer, mas as vezes sinto culpa. Você poderia me dar uma orientação. Ficarei muito grata. Um grande abraço li todos os seus livros e gostei muito. É como se eu tivesse encontrado o que sempre procurava. Obrigada, valeu muito. Vida nova. Abraços.

Roger: Esta é uma pergunta pessoal, como diz a leitora, mas creio que seja de interesse geral. As religiões, algumas vezes, procuram criar um “clima de culpa” para quem abandona a militância direta. Inclusive, no meio espírita existem trabalhadores que dizem para todas as pessoas que procuram o Centro que elas possuem mediunidade e precisam desenvolver, integrando-se aos trabalhos da Casa, para assim resolverem os seus problemas pessoais.

Certamente, mediunidade todos possuímos, em menor ou maior grau. Mas creio que mais importante que desenvolver mediunidade ou trabalhar com afinco dentro das religiões é a necessidade de expandirmos a nossa consciência espiritual, através do estudo, do entendimento dos valores espirituais e da meditação. Cultuar rituais religiosos é algo que deve ficar em um segundo plano. Aquele que desenvolve a sua consciência espiritual adquire o equilíbrio e a sabedoria para atuar em nome de Deus onde for necessário. Entretanto, isso não deve se tornar uma prisão ou uma obrigação. É preciso trabalhar em nome do Cristo por ideal e vontade própria.

Toda ação espiritual deve ser feita com amor e satisfação. O coração deve dizer onde a nossa ação será melhor executada. Se não sintonizamos mais com esta ou aquela atividade espiritual, não significa que estamos sendo perturbados por espíritos ruins ou demônios. Simplesmente pode ser que acabou o nosso aprendizado e contribuição àquele local. O que não podemos jamais é estagnar em nossa caminhada, abandonando atividades e estudos espirituais para nos entregarmos à alienação e/ou ao isolamento.

As mudanças são naturais quando estamos evoluindo para uma nova consciência. Certamente a leitura dos nossos livros despertaram novos objetivos em tua alma, convidando-te a novas reflexões e objetivos. Natural que seja assim. Só é preciso avaliar se as mudanças têm o objetivo de fazer avançar mais em direção ao caminho da Luz.

Roger Responde 279 – Você conhece a obra do grande filósofo Huberto Rohden? Se sim, o que acha da sua doutrina?

279 – Pergunta (26/10/2015):  Sua Pergunta: Você conhece a obra do grande filósofo Huberto Rohden? Se sim, o que acha da sua doutrina? Obrigada.

Roger: Sim. Não só conheço a obra de Huberto Rohden como acho ele um dos mais importantes espiritualistas do Brasil. Seus livros são grandiosos e de uma profundidade notável. De certa forma, o pensamento universalista de Huberto Rohden ajudou a alicerçar as bases do entendimento do Universalismo Crístico que promovemos nos dias atuais. Toda nova Verdade precisa ser revelada por etapas. E creio que Huberto Rohden, Ramatís e outros grandes pensadores de mente aberta e acima das crenças sectárias foram a base para o trabalho atual que realizamos.

A sua visão sobre temas espirituais e abordagem espiritualista sobre questões filosóficas e científicas, enfatizando o autoconhecimento, a autoeducação e a auto-realização retiram o homem da acomodação religiosa e o impulsionam para agir em prol de sua própria evolução espiritual. Isto, em essência, é a proposta do Universalismo Crístico. Enfim, indico a todos que desejam expandir a sua consciência que busquem conhecer o trabalho de Huberto Rohden, principalmente os seus livros, que são notáveis.

Inclusive, em nossa última viagem ao Egito, no mês passado, quando passamos pela cidade de Nag Hammadi, local onde foram encontrados alguns textos gnósticos do cristianismo primitivo, fiz questão de comentar com o grupo sobre um dos mais preciosos livros deste grande filósofo, que é uma primorosa interpretação do enigmático evangelho de Tomé. O livro se chama “O Quinto Evangelho – A Mensagem do Cristo Segundo Tomé”.

Roger Responde 278 – Se a luta é entre o conhecimento e a ignorância, por que os magos negros, que detém o conhecimento, estão do lado negativo desta equação?

278 – Pergunta (12/10/2015):  Olá, caro amigo Roger. Antes de mais nada gostaria de agradecer por todo esforço e dedicação na tarefa de difundir o Universalismo Crístico, a cada novo livro publicado um jorro de luz e esperança se faz presente em nossas vidas e suas palestras são inspiradoras. Em uma de suas palestras dissestes que a eterna luta não é entre o bem e o mal, mas sim entre conhecimento e a ignorância. Embora concorde, dragões e magos negros são espíritos milenares, detentores de um conhecimento que a humanidade encarnada sonha em conquistar e, conseguirá, em séculos ou milênios futuros. Sendo assim, por que seres com tamanha experiência evolutiva adquirida em várias moradas estelares e um vasto conhecimento espiritual e das leis divinas que regem a evolução no Cosmo se oporiam à tudo que é inevitável e inexorável, como a ascensão do espírito imortal à angelitude, amor universal incondicional e a o que é bom, puro e belo no mundo? Pensar que isso ocorre por simples orgulho, egoísmo e arrogância de seus espíritos é menosprezar sua evolução. Por que agiriam da mesma maneira que a humanidade, a qual é um exemplo de falhas morais?

Roger: A pergunta é bem interessante e creio que será melhor e mais detalhadamente respondida no próximo livro que estamos elaborando com previsão de lançamento para meados do ano que vem. Neste livro abordaremos a origem dos magos negros atlantes e seu império sobre o mundo. Fato que se estende até os dias atuais.

Pode parecer óbvio que o caminho do Bem e da evolução seja o único e mais sensato a seguir. Mesmo assim, todos sabemos disso no plano físico e quão poucos seguem este rumo… Por que será? A imensa maioria vive seduzida pelo poder, conforto e riqueza; colocando em segundo ou terceiro plano os valores da alma. E não podemos nem mesmo alegar que no plano espiritual eles sabem e tem certeza de que a vida espiritual existe e é dirigida conforme as diretrizes de Deus. E que aqui, no plano físico, muitos são ateus e não possuem fé suficiente nestas informações espirituais. Só que no próprio plano espiritual existem muitas dúvidas a respeito disso tudo. Deus não aparece em praças públicas discursando sobre como são as coisas verdadeiramente. Lá, como aqui, existem muitas teses e teorias a respeito dos destinos da Terra e da evolução. Muitos espíritos por lá não creem também em Deus e de que exista um propósito divino para a humanidade. Lá, como aqui, é um palco de evolução, e nas esferas vibratórias mais baixas reina semelhante incredulidade, e que é muito bem explorada pelos regentes das trevas, que sabem disso tudo, mas preferem não abrir mão de seus pontos de vista. Eles não são ingênuos ao ponto de desconhecerem o caminho traçado por Deus. Contudo, traçam rotas alternativas e não se preocupam com a inexorabilidade das leis de Deus. Eles sabem que possuem a eternidade para “render-se” a Deus. Enquanto isso, preferem ficar sendo “deuses” de seus próprios interesses e dominar a humanidade alienada que lhe é escrava.

Além disto, existem caminhos evolutivos que desconhecemos. A humanidade terrena ainda precisa de instrumentos de dor e sofrimento para despertar para a evolução. Estes irmãos regentes das trevas, indiretamente, algumas vezes sem saber, trabalham segundo o plano de Deus. Caso eles não existissem e não despertassem a humanidade para a reflexão através da dor, a futilidade e o desprezo ao “Sagrado” seria ainda bem maior. Basta ver como o Brasil decaiu espiritualmente nas últimas décadas, graças a elevação do padrão financeiro de seu povo. Antes, procuravam templos religiosos para dirimir suas necessidades espirituais e psicológicas, agarrando-se a Deus em momentos de dificuldade. Hoje em dia procuram os shopping centers para tentar curar, através do consumismo materialista, a depressão que o grande vazio interno lhes causa. Espíritos primários se aproximam de Deus quando a dor aperta e se afastam nas zonas de conforto. Infelizmente é assim.

Os adolescentes de hoje ressaltam essa discrepância com relação aos adolescentes do século passado. Deus e os valores espirituais a cada dia fazem menos parte do vocabulário das novas gerações. Logo, por mais incrível que isso possa parecer, a humanidade precisa da ação dos magos negros atlantes para tornar-se melhor. A regência deles na Terra ainda nos servirá de benção nos períodos que antecedem a entrada da Nova Era na Terra. Observem a decadência espiritual do povo atlante em seus últimos momentos, que relatamos nos livros Atlântida – No reino da Luz e Atlântida – No Reino das Trevas”, para entender ao que me refiro.

Quem está assistindo a novela “Os 10 mandamentos” da Record e leu os nossos livros “Moisés – O Libertador de Israel” e  “Moisés – Em busca da Terra Prometida” pode observar também como os momentos difíceis nos aproximam de Deus (caso dos hebreus) e como o conforto e a riqueza em mãos de espíritos infantis leva à decadência (caso dos egípcios). O plano de Deus é perfeito. Nada ocorre sem que haja um sentido progressista e evolutivo na obra de Deus. Inclusive as ações do mal têm este objetivo. Nós é que não as compreendemos, devido a estarmos muito distanciados da real consciência. O homem vive em um mundo de ilusão e se regozija com ela. O mal precisa ser eliminado da Terra, mas, antes disso, precisamos eliminar o seu fato gerador, que é a nossa própria imaturidade espiritual e humana.

Roger Responde 277 – Existe diferença entre médium e sensitivo?

277 – Pergunta (28/09/2015):  Roger, seus livros são excelentes e muito esclarecedores. Até o fato de não serem psicografia me dão mais credibilidade. Minha dúvida é a seguinte: existe diferença entre médium e sensitivo? Entendo que médium é alguém que tem contato mais consciente com o plano espiritual e sensitivo é alguém que não vê nem contata diretamente espíritos, mas tem extrema sensibilidade ao mundo que vive. Essa pergunta é mais para esclarecer se um sensitivo ao tentar desenvolver em um Centro Espírita pode se tornar um bom colaborador na casa. E se as energias pesadas de um Centro até lhe seriam maléficas.

Roger: Sim. Exatamente isto. O médium é alguém que desenvolve a habilidade psíquica de contato com o mundo espiritual de forma consciente, enquanto o sensitivo percebe naturalmente alguns aspectos transcendentais, muitas vezes, sem ter consciência deste contato intermundos. Um bom exemplo de sensitivo seria o inventor do Iphone: Steve Jobs. Apesar dele ter tido uma formação espiritual na Índia, desconhecia este mecanismo de comunicação com o mundo espiritual. Mesmo assim, intuitivamente, captou as inovações tecnológicas que lhe eram passadas pelos engenheiros siderais da Terra. As virtudes crísticas nunca foram o seu forte, como todos devem saber. Entretanto, ele foi instrumento de Deus para avançar os mecanismos de comunicação da sociedade mundial.

Outro exemplo de sensitivo ou médium de inspiração são médicos honrados que amam a sua profissão e buscam o bem do próximo, sejam ateus ou de religiões tradicionais. Eles são intuídos e inspirados no tratamento de pacientes para realizarem bons procedimentos cirúrgicos ou de diagnóstico e tratamento. Como disse-nos Allan Kardec: “Somos mais governados por espíritos do que podemos imaginar”…

Certamente que se um sensitivo desta natureza for desenvolver a sua capacidade mediúnica, colherá belos frutos. A sua sensibilidade psíquica já está naturalmente desenvolvida. Desta forma, mais facilmente desenvolverá uma mediunidade consciente, caso acredite no processo mediúnico e estude com afinco. E não creio que as energias pesadas de um centro espírita lhe serão maléficas. Se ele estiver sintonizado com os propósitos da Casa e sentir-se gratificado de trabalhar pela mensagem do Cristo, com certeza terá bons resultados e não sofrerá a ação de energias perniciosas. Mas cada um deve saber aonde é mais útil ao trabalho de Deus. Nem todos os médiuns precisam ou devem participar da ritualística espírita. A mediunidade está acima das religiões e pode ser exercida das mais diversas formas. O importante é o médium sentir-se bem e sintonizado com o local em que exercerá a sua faculdade mediúnica, seja em centros religiosos ou em seu trabalho humano diário. O verdadeiro templo está em nossos corações. Quem vive diariamente a mensagem do Cristo utiliza o intercâmbio mediúnico em todas as ações do dia, pelo bem de seus semelhantes.

Roger Responde 276 – A filosofia “Adventos Crísticos” e “Universalismo Crístico” são a mesma mensagem? Qual a diferença? Por que existem duas linhas? Qual é a falsa e qual a verdadeira?

276 – Pergunta (31/08/2015):  Boa tarde amigos e amigas, existe um autor espiritual, chamado Adolfo Marques dos Santos que é médium intuitivo,  e que vem divulgando em suas obras psicografadas por Therezinha Teixeira Pereira de Carvalho, os chamados “Adventos Crísticos” que diz trazer para conhecimento da sociedade, a verdadeira palavra proferida por Jesus há mais de 2000 anos, gravada no “Plano Luz” em “A Arca do Desconhecido”, cujo livro sagrado existente no arquivo Akásico da Terra e também no Vaticano. Em seu livro “O Fim dos Tempos e os Discos Voadores”, relata que entre os integrantes das sagradas fileiras, Apolônio de Tiana é o coordenador geral da implantação na Terra dos Adventos Crísticos. A equipe, liderada por Apolônio, organiza os grandes eventos espirituais envolvendo os quatro pilares da nossa sociedade, mas e execução fica por conta dos encarnados, sob a assessoria dos desencarnados. Dentre eles encontra-se Nicanor e sua equipe que primam pelo despertar de nossa força superior, bem como outro ser especial, Túlio Celine, cuja tarefa primordial desenvolve na coordenação dos eventos ligados aos planos espirituais. Já há algum tempo venho acompanhando, lendo, estudando e divulgando o Universalismo Crístico, segundo os parâmetros divulgados por Roger Bottini Paranhos, que através da Espiritualidade Superior vem relatando as “verdades imortais” para o terceiro milênio, sob a orientação do Mestre Hermes. Assim sendo, o meu questionamento é o seguinte: tratam-se de “duas correntes filosóficas” que, à primeira vista, trabalham com o mesmo “assunto” ou existe alguma diferença? Estão correlacionados ou seguem caminhos e orientações diferentes da Espiritualidade Superior? Do meu ponto de vista, só pode existir “um caminho”, uma vez que o “tema” em questão visa um único propósito: o despertar da humanidade e a sua união fraternal diante dos ensinamentos de Jesus e das leis imutáveis de Deus… Não pode coexistir dois “Projetos Divinos”, com nomes diferentes, seres humanos encarnados e desencarnados trabalhando sob orientações da Espiritualidade Superior e que visam os mesmos objetivos!!! Em resumo, qual é o “objetivo” disso tudo: Universalismo Crístico ou Adventos Crísticos??? Como podemos ou devemos nos posicionar diante desse “impasse”, para que possamos trabalhar de forma honesta e correta??? No final, creio eu, que a Verdade prevalecerá, pois com as Leis de Deus, não devemos brincar ou ficar em dúvidas qual caminho à seguir… Espero que possam me entender, para que possamos, juntos, continuar com projetos que sejam fiéis à toda a humanidade, em qualquer plano de existência da vida! Abraços e aguardo contatos!

Roger: Sinceramente, confesso que este e-mail me deixou preocupado. Estamos há anos demonstrando, através do Universalismo Crístico, que as religiões e filosofias espirituais são diferentes porque atendem ao nível de consciência de cada povo e de cada época da história da humanidade em que foram reveladas. Portanto, as religiões são diferentes porque cada ser humano é diferente; pois possui bagagem espiritual, cultura humana e nível de desenvolvimento de consciência diferentes.

A colocação deste leitor afirma que “só pode existir um caminho”… Muito pelo contrário, querido irmão. Seria assim se fôssemos robôs pré-fabricados e, além disso, criados exatamente no mesmo instante e com a mesma programação interna. Deus aposta na diversidade para estabelecer a evolução tanto individual quanto coletiva da humanidade. O Espírito Criador se manifesta das mais diferentes formas para atender aos diversos níveis de evolução e consciência de seus filhos. Por isto existem tantas religiões pregando verdades relativamente diferentes, mas que se mantém unidas em sua essência. A essência do Deus guerreiro, Yahwéh, de Moisés, é a mesma do Deus “Pura Consciência” do Espiritualismo moderno. Por isto não devemos acreditar em nenhuma informação ao “pé da letra”, mas sim absorver a sua essência crística.

Analisei esta filosofia que afirmas, através de rápida pesquisa realizada na Internet, e observei que se trata de uma visão unificadora apenas focada no Cristianismo, ou seja, na mensagem de Jesus. Trata-se de um ecumenismo das religiões cristãs, assim como ocorre com a mensagem da Legião da Boa Vontade. Já a mensagem do Universalismo Crístico é global, pois aborda a mensagem das filosofias espirituais de todas as principais religiões da humanidade, tanto do Ocidente como do Oriente, procurando focar-se na essência destas mensagens e se libertar de rituais e crenças religiosas que, em vez de libertar consciências, terminam por escravizar.

Além disto, o Universalismo Crístico tem por objetivo promover o avanço da consciência espiritual, transcendendo as mensagens espirituais já conhecidas. Indo além da mensagem de Jesus e dos demais avatares que construíram a base espiritual sobre a qual todos nós estamos evoluindo no decorrer dos séculos. O Universalismo Crístico é dinâmico e de caráter evolutivo, tanto em sua essência quanto em sua filosofia. Não existem dogmas e verdades absolutas imutáveis. Somente Deus é Absoluto e Imutável. E, em nosso atual estágio evolutivo, não temos como conhecer Deus em sua plenitude. Temos apenas verdades relativas a respeito do Criador. As “leis Imutáveis de Deus”, que afirmas em tua mensagem, lamento informar, mas as desconhecemos… O que temos são interpretações humanas disso… Portanto, precisamos ampliar a nossa consciência e evoluir passo a passo, com bom senso e discernimento, em direção à Sabedoria Divina. “Plano Luz”, “Arca do Desconhecido”, “hierarquia de mestres responsáveis pela Terra”… creio que isto tudo está mais na interpretação do médium do que em fatos propriamente ditos.

Quem está certo e quem está errado? Não existe um “impasse para que possamos trabalhar de forma honesta e correta” como tu afirmas em tuas colocações. Todos estão corretos! Apenas as mensagens são diferentes para atender a cada nível de consciência e a cada crença espiritual. Mas, em essência, as duas filosofias que questionas buscam levar o homem ao despertar espiritual e a busca da expansão de sua consciência. Nada mais que isso. E veja bem: se alguma delas defender a ideia de que ela é a verdade absoluta e o resto é mentira, então, meu irmão, sacuda a poeira de tuas sandálias e segue o teu caminho, porque ali não é um caminho genuinamente de Deus.

Queridos amigos, responderei a próxima pergunta somente no dia 28 de setembro, depois do retorno de nossa viagem ao Egito. As fotos e relatos desta grande viagem, em que visitaremos a cidade celestial de Akhenaton, serão publicadas posteriormente em meu perfil do Facebook, assim como fizemos em todas as viagens anteriores. Paz e Luz a todos!

Roger Responde 275 – Em relação as tuas lembranças de regressão de memória para escrever os livros, você consegue recordar a língua desses povos para conversar fluentemente em tais idiomas?

275 – Pergunta (17/08/2015):  Roger, gostaria de ser bem direto e objetivo nessa pergunta, em relação a suas lembranças como cidadão atlante ou como egípcio ou hebreu, nesse processo, você consegue se lembrar da língua totalmente ao ponto de poder conversar fluentemente em tais idiomas? Poderia esclarecer melhor como funciona os sistemas Akáshicos de memória? Obrigado, e o intuito do Universalismo Crístico é brilhante, parabéns…

Roger: Não. A elaboração destes livros foi realizada através de regressão de memória conduzida por Hermes, o mentor espiritual de nossos livros. Nesta regressão, eu faço um acesso mental e visual dos fatos. Não existem comunicações mecânicas a respeito dos acontecimentos. As imagens inundam a minha mente, e com estas visões, obtenho um acesso à “essência” destes fatos no plano mental. Depois vem a difícil tarefa de descrever, na linguagem humana, de forma minuciosa, todos aqueles acontecimentos. Porém, mesmo não tendo acesso a linguagem da época, os nomes e diálogos surgem muito claro em minha mente. Ao ponto de eu acertar até mesmo a grafia utilizada, mesmo sem conhecer anteriormente. Talvez seja uma complementação do trabalho realizado através da poderosa mente de Hermes.

Os registros Akáshicos não são armazenados em linguagem humana, através de letras concatenadas. Isso é um mecanismo humano. O mundo espiritual se comunica pela linguagem plena do pensamento. Basta perceber que quando entramos em profunda meditação, e os mentores espirituais conversam conosco, esta conversa não transcorre em uma linguagem específica. Sentimos e nos conectamos por via de vigoroso processo mental e emocional. Eles não falam “eu te amo, meu filho!”. Eles nos fazem sentir isto profundamente. Então, olhamos em seus olhos e compreendemos a mensagem sem a articulação de uma palavra sequer. E este é um mecanismo bem interessante, porque a mensagem, por incrível que possa parecer, se torna ainda mais fiel, devido a evitar-se os naturais erros de interpretação e de entendimento da língua escrita e falada.

Como já expliquei, os livros que recebo mediunicamente passam pelo crivo da minha mente. A essência é do plano espiritual, mas a linguagem é minha. Por este motivo o nosso último livro lançado, Universalismo Crístico Avançado, é tão rico se comparados aos primeiros recebidos lá pelo ano 2000. Não foi Hermes que evolui em sua linguagem e mensagem. E sim eu que consegui absorver melhor a essência que ele me passa e aperfeiçoei a minha capacidade de reproduzir os seus elevados ensinamentos com a limitada linguagem humana.

E obrigado por reconhecer que o Universalismo Crístico é brilhante. Sem dúvida, é o melhor e mais eficaz processo de espiritualização que já surgiu na história da humanidade. Posso falar isso com tranquilidade, porque o mérito não é meu. Sou apenas o mediador. O mérito, sem dúvida alguma, é da Alta Espiritualidade da Terra, que entendeu que uma boa parcela da humanidade já está pronta para esta compreensão maior dos objetivos da vida criada por Deus. O Universalismo Crístico é a linguagem espiritual da futura humanidade da Terra.

Roger Responde 274 – A verdadeira evolução. Encontrar a nossa verdadeira essência e libertar-se de condicionamentos equivocados que resultam em nossas inferioridades da alma.

274 – Pergunta (03/08/2015):  Roger, sou um fã de seus livros e eles já ajudaram muito no meu processo de expansão da consciência nesta encarnação. Essa pergunta vem depois de alguns anos de estudo e muitas reflexões. No início de minhas descobertas espirituais pensava que, à medida que fosse absorvendo maiores conhecimentos, iria evoluindo. Mas percebi que só isso não basta, pois temos conosco uma série de maus hábitos e preconceitos armazenados na nossa memória espiritual que não são modificados facilmente apenas com a racionalização dos fatos. É necessário um verdadeiro mergulho no inconsciente para encontrarmos nossa verdadeira essência e finalmente nos libertarmos de nossas inferioridades. Acontece que esse mergulho não é fácil e gostaria de saber como poderíamos modificar séculos de condicionamentos perturbadores quando adquirimos a consciência de que não mais queremos agir impulsivamente? Digo isso, pois é extremamente difícil saber o que é certo e continuar caindo em velhos hábitos.

Roger: Querido amigo, a tua pergunta já é uma aula de consciência e busca de realização espiritual. Faz algum tempo que enxergo claramente o caminho para a real evolução neste caminho que tu citas na pergunta acima. Tanto que o nosso último livro “Universalismo Crístico Avançado” trabalha diretamente esta questão “mais comportamental”, procurando mostrar aos leitores que o que realmente importa é o autoconhecimento e entender e aceitar a forma de pensar de nossos semelhantes. As demais crenças religiosas e espirituais são absolutamente secundárias.

Muita ilusão é criada pelos estudiosos de espiritualidade em geral. Muitas crenças, algumas sensatas, outras absurdas, que não levam a lugar nenhum. Só o que importa, realmente, é o quanto este ou aquele ensinamento nos torna pessoas melhores. O ensinamento só é rico se ele agrega bons valores diretamente ao nosso íntimo. Discutir o “sexo dos anjos” de nada nos serve. Entretanto, nos conhecermos melhor, ao ponto de enxergarmos claramente as nossas imperfeições, seja de que forma for, levando-nos a tomar consciência da necessidade de mudança interna para sermos pessoas melhores; isto sim, faz toda a diferença. O que importa não é o legado moral das religiões. E, sim, pensamentos e ações que visem um amadurecimento da humanidade e a busca da sagrada prática do “não faça aos outros aquilo que não gostaria que te fizessem”.

Vemos religiões pelo mundo matando e morrendo em nome de Deus. Que aprendizado tiveram estas pessoas para crerem que este é o caminho da real evolução que nos eleva até ao Criador? Esta cegueira espiritual precisa ser discutida. O homem verdadeiramente espiritualizado não precisa impor as suas crenças, e sim lutar contra as suas imperfeições para servir de exemplo daquilo em que acredita. Compreender e viver o real significado do amor é fundamental.

Mas voltando ao cerne de tua pergunta… Como podemos modificar séculos de condicionamentos perturbadores quando adquirimos a consciência de que não mais queremos agir impulsivamente? Isto não é fácil, meu amigo. No livro “Universalismo Crístico Avançado”, no capítulo 11, abordamos essa questão da “automatização dos comportamentos”, situação em que repetimos as mesmas atitudes negativas sem refletir sobre elas, causando mal a nós e aos nossos semelhantes, sendo que muitas vezes nem percebemos isso. Para libertar-se desse modelo alienante é preciso realizar uma profunda meditação de autoconscientização de nosso papel no mundo, entre nossos familiares, amigos e a sociedade em geral.

Após diagnosticarmos os nossos equívocos de comportamento, passar, então, a realizar um trabalho interno, perseverante e sistemático para mudar esse comportamento daninho que está enraizado em nossa consciência imortal e, também, em nosso cérebro físico. Precisamos refazer as conexões sinápticas de nosso cérebro que se “viciaram” naquele comportamento negativo. Poucos obtém sucesso porque para isso é preciso a mesma determinação e vigília de um viciado em cigarros que deseja se libertar deste hábito horrível. E, por fim, após vencer estas etapas, é preciso não vacilar e entrar novamente na corrente de hábitos negativos que a sociedade e o mundo divulga e multiplica diariamente. Orar e vigiar os seus atos e procurar evitar de cair novamente nessa corrente negativa, que é a regra determinante em nosso mundo, que anda tão distanciado dos valores crísticos. O mundo ao nosso redor não nos ajuda. Vivemos em meio a uma neblina de hábitos decadentes que dificulta o brilhar natural da luz. Precisamos lutar para abrir uma brecha de sol em meio a tanta treva.

Sem dúvida, a tarefa não é fácil. Mas a pessoa que fez esta pergunta já tem o mais importante: a consciência desperta e o desejo sincero de se libertar das ilusões do mundo e das inferioridades da alma que, a médio e curto prazo, cobram o seu preço, que são a infelicidade e a dor. A luta por transformar-se para um estado de luz e de cultivo de nobres valores é dura, mas tem a sua divina compensação. Deus abençoa a estes com felicidade e harmonia por atingirem a meta pelo qual nasceram neste “mundo escola”, que é a experiência física.

← Previous Page