Tag livre-arbítrio

Luz aos que partiram

Convidamos a todos nessa semana a unir o pensamento em prol de todos os nossos irmãos que já não se encontram mais nesse plano, para juntos gerarmos muita luz para que consigam seguir a sua caminhada. Vamos focar nossos pensamentos nos nossos entes queridos que já partiram para o plano astral. Alguns de nossos entes já estão preparados para receber essa carga energética, que atua através de nosso pensamento e de nossas emoções, mas, infelizmente, a maior parte ainda não está, e é aí que entra o grande problema de não ter entendimento da vida.

Sabemos que todos nós temos o livre arbítrio e que após nossa partida continuamos realizando as escolhas que dão rumo à nossa caminhada. Se tivermos merecimento, após deixarmos a matéria, seremos auxiliados pelos espíritos amigos, que nos darão a livre escolha de acompanhá-los ou de permanecermos onde estamos. Alguns seguem com eles, são tratados e permanecem em colônias estudando, trabalhando, até que recebam novamente a oportunidade de reencarnar na Terra para resgatar débitos do passado, tendências inferiores que ainda são necessárias lapidar ou, dependendo de seu adiantamento, recebem a autorização de ter uma nova experiência em algum plano superior. Muitos outros, infelizmente, não aceitam o auxílio de espíritos amigos, não entendem o que aconteceu, não acreditam que há vida após a morte e ficam vagando pela Terra sentindo as dores e necessidades de quando encarnados, vivenciando o momento de sua partida como se fosse somente um acidente e ainda estivessem lutando pela vida, se conseguem sair, procuram seus parentes e amigos, mas para sua surpresa eles não os enxergam e nem os escutam, continuam sem entender.

Já para quem possui uma vida completamente desregrada, pratica o mal aos seus semelhantes e se encontra totalmente distante das leis de Cristo, faz mal uso de seu livre arbítrio, fazendo com que colha automaticamente a sua passagem direta para planos muito inferiores, onde momentaneamente o fazem perder a razão e o mal predomina.

Para qualquer um desses casos, a única forma de podermos auxiliar é mandando boas energias, focando nosso pensamento em todos os momentos bons que passamos nessa existência com os seres amados, pedindo ao Pai e aos espíritos de luz, que os ajudem, que lhes ofereçam uma nova oportunidade, pois dependendo do caso, por nossa interferência eles recebem um novo auxílio mesmo sem ter pedido, mas o fato de serem resgatados ou não dependerá sempre da sua vontade. Saber se quem amamos está bem do outro lado, só mataria a nossa curiosidade, pois se ficarmos sabendo que estão mal e não estivermos preparados para entender que isso é parte de sua evolução, só aumentamos o nosso desespero e o sofrimento deles. Muitas vezes quando recebemos a oportunidade de saber que nossos entes estão bem, nós ainda duvidamos. Então, aquietemos o nosso coração, sabendo que Deus é justo e bom, que a cada um será dado conforme as suas obras e que é necessário que passemos pelas diversas etapas para alcançar o nosso aprendizado. As respostas estão sempre dentro de nós, pelo que acompanhamos das obras que nossos amigos e familiares construíram aqui, pelo que sentimos quando nos lembramos deles, já temos a certeza de como eles estarão do lado de lá.

Quando não temos entendimento nos desesperamos ao lembrar que não poderemos mais vê-los, e só deixamos a dor da perda prevalecer, perturbamos entes que já estavam sendo tratados, fazemos que voltem para nosso plano e fiquem por aqui perdidos ou nos acompanham até cemitérios e de lá depois não conseguem sair, pois ainda estão muito apegados a matéria.

Amados irmãos, nossos corpos carnais são apenas os equipamentos que nos foram emprestados para que pudéssemos atuar nesse plano, interagir e aprender com as provas e expiações que passamos. O nosso pensamento é a nossa grande arma, que pode ser usada para o bem ou para o mal. Utilizemos essa arma com inteligência, para matar todos os sentimentos que nos atrasam, se tivermos fé e seguirmos lutando com amor, nada irá nos afligir.

As flores que levamos aos cemitérios para os que já partiram secam e as velas são uma luz mínima perto da que podemos emanar com o pensamento unido ao nosso coração. Para o plano espiritual não existe distância, o mundo é mental, então de onde estivermos, tenhamos a certeza de estarmos emanando luz a todos os irmãos desencarnados de nosso Universo para que possam seguir a sua caminhada rumo a luz de nosso Pai Maior.

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (31/10/2018) – Luz aos que partiram

Luz aos que partiram

Convidamos a todos nessa semana a unir o pensamento em prol de todos os nossos irmãos que já não se encontram mais nesse plano, para juntos gerarmos muita luz para que consigam seguir a sua caminhada. Vamos focar nossos pensamentos nos nossos entes queridos que já partiram para o plano astral. Alguns de nossos entes já estão preparados para receber essa carga energética, que atua através de nosso pensamento e de nossas emoções, mas, infelizmente, a maior parte ainda não está, e é aí que entra o grande problema de não ter entendimento da vida.

Sabemos que todos nós temos o livre arbítrio e que após nossa partida continuamos realizando as escolhas que dão rumo à nossa caminhada. Se tivermos merecimento, após deixarmos a matéria, seremos auxiliados pelos espíritos amigos, que nos darão a livre escolha de acompanhá-los ou de permanecermos onde estamos. Alguns seguem com eles, são tratados e permanecem em colônias estudando, trabalhando, até que recebam novamente a oportunidade de reencarnar na Terra para resgatar débitos do passado, tendências inferiores que ainda são necessárias lapidar ou, dependendo de seu adiantamento, recebem a autorização de ter uma nova experiência em algum plano superior. Muitos outros, infelizmente, não aceitam o auxílio de espíritos amigos, não entendem o que aconteceu, não acreditam que há vida após a morte e ficam vagando pela Terra sentindo as dores e necessidades de quando encarnados, vivenciando o momento de sua partida como se fosse somente um acidente e ainda estivessem lutando pela vida, se conseguem sair, procuram seus parentes e amigos, mas para sua surpresa eles não os enxergam e nem os escutam, continuam sem entender.

Já para quem possui uma vida completamente desregrada, pratica o mal aos seus semelhantes e se encontra totalmente distante das leis de Cristo, faz mal uso de seu livre arbítrio, fazendo com que colha automaticamente a sua passagem direta para planos muito inferiores, onde momentaneamente o fazem perder a razão e o mal predomina.

Para qualquer um desses casos, a única forma de podermos auxiliar é mandando boas energias, focando nosso pensamento em todos os momentos bons que passamos nessa existência com os seres amados, pedindo ao Pai e aos espíritos de luz, que os ajudem, que lhes ofereçam uma nova oportunidade, pois dependendo do caso, por nossa interferência eles recebem um novo auxílio mesmo sem ter pedido, mas o fato de serem resgatados ou não dependerá sempre da sua vontade. Saber se quem amamos está bem do outro lado, só mataria a nossa curiosidade, pois se ficarmos sabendo que estão mal e não estivermos preparados para entender que isso é parte de sua evolução, só aumentamos o nosso desespero e o sofrimento deles. Muitas vezes quando recebemos a oportunidade de saber que nossos entes estão bem, nós ainda duvidamos. Então, aquietemos o nosso coração, sabendo que Deus é justo e bom, que a cada um será dado conforme as suas obras e que é necessário que passemos pelas diversas etapas para alcançar o nosso aprendizado. As respostas estão sempre dentro de nós, pelo que acompanhamos das obras que nossos amigos e familiares construíram aqui, pelo que sentimos quando nos lembramos deles, já temos a certeza de como eles estarão do lado de lá.

Quando não temos entendimento nos desesperamos ao lembrar que não poderemos mais vê-los, e só deixamos a dor da perda prevalecer, perturbamos entes que já estavam sendo tratados, fazemos que voltem para nosso plano e fiquem por aqui perdidos ou nos acompanham até cemitérios e de lá depois não conseguem sair, pois ainda estão muito apegados a matéria.

Amados irmãos, nossos corpos carnais são apenas os equipamentos que nos foram emprestados para que pudéssemos atuar nesse plano, interagir e aprender com as provas e expiações que passamos. O nosso pensamento é a nossa grande arma, que pode ser usada para o bem ou para o mal. Utilizemos essa arma com inteligência, para matar todos os sentimentos que nos atrasam, se tivermos fé e seguirmos lutando com amor, nada irá nos afligir.

As flores que levamos aos cemitérios para os que já partiram secam e as velas são uma luz mínima perto da que podemos emanar com o pensamento unido ao nosso coração. Para o plano espiritual não existe distância, o mundo é mental, então de onde estivermos, tenhamos a certeza de estarmos emanando luz a todos os irmãos desencarnados de nosso Universo para que possam seguir a sua caminhada rumo a luz de nosso Pai Maior.

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (02/11/2016) – Luz aos que Partiram

Luz aos que Partiram

Convidamos a todos nessa semana a unir o pensamento em prol de todos os nossos irmãos que já não se encontram mais nesse plano, para juntos gerarmos muita luz para que consigam seguir a sua caminhada. Os dias que antecedem e os que seguem após o feriado de 02 de Novembro, dia dos Finados, fazem com que todos os seres encarnados comecem a focar o pensamento nos seus entes queridos que já partiram para o plano espiritual. Acontece que alguns de nossos entes já estão preparados para receber essa carga energética – que atua através de nosso pensamento e de nossas emoções – mas, infelizmente, a maior parte ainda não está, e é aí que entra o grande problema de não termos o entendimento da vida maior, quando passamos por datas como essa.

Quem já tem entendimento é necessário colocá-lo em prática e se libertar de antigos rituais mecânicos; para quem não tem seria muito bom buscá-lo, caso o contrário, para as duas ocasiões, ao invés de auxiliar nossos irmãos que tanto amamos, apenas iremos perturbá-los e atrasá-los em seus caminhos para evolução.

Sabemos que todos nós temos o livre arbítrio e que após nossa partida continuamos realizando as escolhas que dão rumo à nossa caminhada. Se tivermos merecimento, após deixarmos a matéria, seremos auxiliados pelos espíritos amigos, que nos darão a livre escolha de acompanhá-los ou de permanecermos onde estamos. Alguns seguem com os espíritos amigos, são tratados e permanecem em colônias estudando, trabalhando, até que recebam novamente a oportunidade de reencarnar na Terra, onde terão nova oportunidade de sanar débitos do passado, tendências inferiores, ou dependendo de seu adiantamento, recebem a autorização de ter uma nova experiência em algum plano superior. Muitos outros, infelizmente, não aceitam o auxílio de espíritos amigos, não entendem o que aconteceu, não acreditam que há vida após a morte e ficam vagando pela Terra sentindo as dores e necessidades de quando encarnados, vivenciando o momento de sua partida, como se fosse somente um acidente e ainda estivessem lutando pela vida. Nesses casos, se conseguem encontrar seus parentes e amigos não entendem qual o motivo de eles não conseguirem lhe enxergar e nem lhe  ouvir, permanecendo nessa situação por tempo indeterminado.

Já para quem possui uma vida completamente desregrada, pratica o mal aos seus semelhantes e se encontra totalmente distante das leis de Cristo, faz mal uso de seu livre arbítrio, fazendo com que colha automaticamente a sua passagem direta para planos muito inferiores, onde momentaneamente o fazem perder a razão e somente o mal predomina.

Para qualquer um desses casos, a única forma de podermos auxiliar é mandando boas energias, focando nosso pensamento em todos os momentos bons que passamos nessa existência com os seres amados, pedindo ao Pai e aos espíritos de luz, que os ajudem, que lhes ofereçam uma nova oportunidade. Dependendo do caso, por nossa interferência, os desencarnados recebem um novo auxílio, mas o fato de serem resgatados ou não dependerá sempre da sua própria vontade. Saber se quem amamos está bem do outro lado, só mataria a nossa curiosidade, pois se ficarmos sabendo que estão mal e não estivermos preparados para entender que isso é parte de sua evolução, só aumentará o nosso desespero e o sofrimento deles. Se recebermos a oportunidade de saber que nossos entes estão bem, muitas vezes, nós ainda duvidamos, então, aquietemos o nosso coração, sabendo que Deus é justo e bom, que a cada um será dado conforme as suas obras e que é necessário que passemos pelas diversas etapas da vida, seja no plano espiritual, ou terreno para alcançar o nosso aprendizado.

As respostas que precisamos sobre nossos familiares e amigos que já partiram estarão sempre dentro de nós, é só pensarmos nas obras que eles construíram aqui, analisar o que sentimos quando nos lembramos deles, assim já teremos ideia de como eles estão do lado de lá. Independente da sensação que tivermos, sempre será útil uma oração sincera, pedindo a Deus que o preteja e que lhe dê muita luz para que siga a sua caminhada em paz, mas nunca deixar que o desespero da separação invada nossos pensamentos.

Quando não temos entendimento, nos desesperamos ao lembrar que não poderemos mais vê-los, e só deixamos a dor da separação prevalecer, perturbamos entes que já estavam sendo tratados, fazemos que voltem para o nosso plano e fiquem por aqui perdidos ou nos acompanhem até cemitérios e de lá depois não conseguem sair, caso ainda estiverem muito apegados a matéria.

Amados irmãos, nossos corpos carnais são apenas os equipamentos que nos foram emprestados para que pudéssemos atuar nesse plano, interagir e aprender com as provas e expiações que passamos. O nosso pensamento é a nossa grande força, que pode ser usada para o bem ou para o mal. Utilizemos esse poder com inteligência, para afastar todos os sentimentos que nos atrasam, se tivermos fé e seguirmos lutando com amor, nada irá nos afligir, além de ficarmos com a certeza de que não atrapalharemos aqueles que tanto amamos e que continuam tão vivos quanto nós.

As flores que levamos aos cemitérios para os que já partiram secam e as velas são uma luz mínima perto da que podemos emanar com o pensamento unido ao nosso coração. Para o plano espiritual não existe distância, o mundo é mental, então de onde estivermos, tenhamos a certeza de estarmos emanando luz a todos os irmãos desencarnados de nosso Universo para que possam seguir a sua caminhada rumo a luz de nosso Pai Maior.

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (30/09/2015) – Caminhos para a mudança!

Caminhos para a mudança!

Convidamos todos a unirem-se em vibração em torno de um tema que é de conhecimento da grande maioria, mas que ainda é muito necessário ser relembrado e enfatizado: de que o crescimento é individual, depende unicamente de cada um, e de que recebemos todo o auxílio, todos os ensinamentos e oportunidades necessárias para alcançarmos nossa evolução!

Amados irmãos, nós nunca estamos sós, recebemos auxílio do plano espiritual em todos os momentos de nossas vidas. Eles compreendem que cada um de nós tem o seu tempo de aprendizado, de amadurecimento, e sempre respeitam nossas escolhas, feitas através do livre-arbítrio que possuímos. Porém, devemos ter a consciência de que o caminho que já trilhamos, de descoberta e entendimento do plano espiritual, nos será cobrado e responsabilizado, por cada ato que realizamos ou que então deixamos de realizar.

Cada escolha nos traz uma conseqüência, e se caso optamos por um caminho diferente do que deveríamos trilhar, infelizmente sofreremos as conseqüências. Não entendam isso como uma punição, jamais, pois as Leis de Nosso Pai são justas e somente existem para nos ensinar o caminho da luz, portanto, simplesmente sofreremos a lei de ação e reação. Entendamos que a cada prática de hoje, haverá uma conseqüência amanhã e, para tanto, não podemos reclamá-las, mas, aceitá-las, e tentar modificar os próximos atos para que as conseqüências sejam diferentes.

Sabe-se, não é de hoje, que a cada um será dado segundo as suas obras e se entre os homens podem existir equívocos e enganações, para Deus jamais. Deus é justo e bom e quer o melhor para seus filhos, e é justamente por isso que permite que cada um sofra as conseqüências de seus atos, pois sem entender o que ocorre perante a escolha de seu caminho, jamais evoluirá.

Infelizmente, na maioria das vezes, é pela dor que todos aprendem. Aprender pelo amor exige muita resignação e competência que poucos são capazes. A todos os que já estão despertos, acordem para a vida, aprendam com o seu dia-a-dia, sejam capazes de analisar seus atos e conseqüências. Aprendam também com os erros dos outros, para que não passem por situações parecidas. Saibam que tudo nos é fornecido para que tenhamos entendimento da vida maior, e que os ensinamentos que ainda nos são desconhecidos, somente não nos são revelados porque não teríamos condições de compreendê-los. Porém, tudo aquilo que já nos foi transmitido é o suficiente para que conquistemos a evolução.

Busquem o seu melhor lado, sem esconder o pior, é claro, pois quando o escondemos, simplesmente “tapamos buracos” que na primeira oportunidade servirão de obstáculos para que galguemos maiores degraus evolutivos. Reconheçamos as nossas imperfeições para que possamos modificá-las, isso é evoluir! Utilizemos nossas análises críticas aos outros para enxergar em nós mesmos o que fazemos de errado, somente através dessa mudança de hábito enxergaremos o que precisamos dar mais atenção em nossas vidas para que o futuro de nossa humanidade seja promissor.

Reflexão Portanto, queridos companheiros, comecemos a mudança AGORA, sem deixar para amanhã, pois amanhã poderá ser tarde demais e podemos ter atrasado consideravelmente nossa oportunidade de crescimento através do AMOR! Sejamos mais conscientes de nossas vidas, de nossas atitudes, de nossas escolhas, esse é o caminho para a mudança e para a evolução. Esse é o caminho que necessitamos percorrer e que a muito nos aguarda! Caminhemos para frente, aproveitando o hoje, mas visando um futuro próspero e promissor!!!

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (29/04/2015) – “Indivíduo – Em busca do Fraterno Ser”

Indivíduo -? Em busca do Fraterno Ser.
A alma, o receptáculo do espírito fractal universal de ser, que encarnado se torna um indivíduo terrestre com o aprendizado experimental no autoconhecimento humano. Na realidade coletiva humana, faz com que o ser cresça neste planeta seguindo as normas e os critérios, as bases estabelecidas na sociedade dos conceitos de humanidade.
Pai e Mãe, irmãos, vidas que conjuntas geram as famílias, famílias que se encontram e geram os amigos, amigos que se tornam conhecidos, reconhecidos, queridos, verdadeiros, se unem, se afastam e geram o nosso crescimento como ser humano.
As trocas humanas, gerador da energia potencial da experiência para evolução, física, psicológica e emocional de todo humano.
As escolhas, as decisões, os caminhos, a forma, a conduta, a formação de nossos valores internos que vão nos guiar em todo nossa vida nas consequências de nossas ações.
As ilusões, os desejos, os anseios, enganos e desenganos do que somos, para o que viemos e o que queremos com nossa vida?
Se o mais lindo tesouro nos fosse presenteado pela Criação, qual seria este?
“Porque, onde estiver o teu tesouro, aí também estará o teu coração’’. Mateus 6;21
Onde você decidir ser e estar, odiar ou não odiar, amar ou não amar, viver à vida ou sobreviver, ai se encontra a construção de sua evolução como ser.
Para quem vibrar? Para o que mentalizar? O que se quer ser?
São estas as bases, que possibilitam formar o Ser que assumirá a conduta fraterna ao planeta, quando esta conduta interna for para consigo, assim como para o seu próximo.
Queremos o nosso bem? Queremos o bem ao próximo?
Lembremos a chave que o Mestre Amor nos repassou:
“Não faça ao teu próximo, aquilo que não gostaria que fizessem contigo”.
“Dai à César o que é de César e a Deus o que é de Deus”
O que é esse Deus em nosso interior? Um Deus de Amor ou de Dor, o que queremos que seja?
O Livre Arbítrio é nosso, e não existem prisões, existem prisioneiros de nossa própria ignorância e padrões estabelecidos na manutenção de nosso “Infantil Controle” que não existe, pois se o Criador nos deu o Livre Arbítrio, como dizer que não podemos, em verdade a decisão é sempre nossa.
Nessa Vibração Coletiva, convidamos a todos nossos irmãos e irmãs de humanidade e em fraternidade de vivência Planetária, a mentalizarmos no aqui e agora esse “Ser o que queremos Ser”, projetando a todos as almas, que se encontrem em ser a verdade daquilo que almejam, mas não se permitem, por não se autoconhecer em sua própria Luz.
Consciência para todos nós, em Paz e Fraternidade!!

Roger Responde 199 – Quem criou o mal? Se nós nascemos de Deus, que é só bondade e amor, de onde surgiu o mal?

199 – Pergunta (07/10/2013): Prezado Roger, venho alguns dias questionando-me a respeito de um assunto que muito me intriga. Deus na criação dos espíritos os fez simples e ignorantes, ou seja, sem ciência de nada, como está escrito no livro dos espíritos. Esses espíritos também tinham o livre-arbítrio, como temos hoje, porém como um espirito criado por Deus pode no inicio de sua jornada evolutiva optar, através do livre-arbítrio, o caminho do mal se o mesmo nem existia, uma vez que no princípio havia só Deus e sendo ele só bondade e amor não poderia ter criado o mal? E mais, se foi o homem quem criou o mal ele não poderia ter saído de Deus que é um ser perfeito e só faz o bem. Mas o mal existe… É um fato, então quem o criou?! Ou será que a maldade não existe, talvez seja apenas nosso estado evolutivo que não permite ver as coisas como ela realmente são… Desculpe-me pelo tamanho da pergunta, é que as duvidas foram aparecendo enquanto escrevia. Responda-me se puder e quiser. Grande abraço e fique com Deus.

Roger: Querido amigo, o mal não existe. Ele é apenas a ausência do Bem. Assim como a escuridão se trata apenas da ausência de luz. Deus não criou o mal, mas ele passa a se manifestar quando ocorre a falta do bem e do amor. Logo, o mal não é criação divina, mas sim um subproduto da imaturidade espiritual dos filhos de Deus em seus primeiros estágios de evolução. O ato de andar de bicicleta não preconcebe a queda do ciclista, mas a imperícia deste em dirigir a bicicleta pode ocasionar a queda.

Em geral temos aquela visão de duas grandes e poderosas facções: os agentes do Bem e do Mal. No entanto, só existe o Bem e um grupo de espíritos rebeldes, que mesmo sendo poderosos, são apenas almas em provisória desarmonia com a criação de Deus, que leva inevitavelmente ao Bem e ao Amor. Só que nós, por ainda estarmos limitados à precária consciência da vida física, vemos o mal como uma força gigantesca. Mas o mal não é forte por si só. Ele precisa de dois elementos para vencer-nos: o nosso medo e a nossa imperfeição moral. Até os poderosos magos negros sabem disso. Eles só se aproveitam da ignorância do homem comum para imporem-se.

O maior mal (e mais poderoso de todos) é apenas a nossa ignorância, que nos leva ao erro, sendo que errando prejudicamos a nossa caminhada para a mais breve felicidade. Aos olhos de Deus, o mal do homem é algo inofensivo que serve apenas como mecanismo de despertamento para o próprio homem. Nunca existiu uma guerra épica entre o Bem e o Mal. O homem que acredita existir essa batalha dual, por ser ainda pequeno demais para compreender a magnitude de Deus, que foi, é e sempre será Único e Soberano.

As forças do mal que tememos são apenas o medo do desconhecido e do fruto de nossas próprias imperfeições, que geralmente apontamos como resultado da ação dos agentes das trevas. Naquela tentativa tão comum de colocar a responsabilidade de nossos erros e atos na ação dos outros, em vez de assumirmos a nossa responsabilidade de nos autoconhecermos e nos tornarmos pessoas melhores. Todo o Bem e o Mal moram dentro de nossa própria mente e coração. O Bem é a plenitude de Deus. O Mal é a ilusão que construímos devido a nossa ignorância e imperfeição. Um é Luz, o outro é ausência dela.

 

Roger Responde 057 – Reflexões sobre o livre arbítrio

057 – Pergunta (17/01/2011):  Primeiramente, gostaria de dar parabéns pelo livro Atlântida no Reino das Trevas… Como sempre, muitas conexões feitas e dúvidas tiradas… e melhor ainda… novos questionamentos surgiram… No final de Atlântida no Reino das Trevas, vocês escrevem: “O Espírito Criador, em sua Mente Suprema, consegue prever com exatidão as ações de seus filhos com milênios de antecedência, apenas analisando seu perfil psicológico. Para Deus, o mistério absolutamente não existe.” Temos nosso livre arbítrio, mas se Deus sabe como tudo vai acontecer, a espiritualidade maior, os espíritos mais elevados, devem também ter consciência disso tudo… então por que alguns “fracassos” não puderam ser evitados? Como no caso da tentativa de Akhenaton em implantar a crença de um único Deus. Se existe uma previsão, por que tantas guerras? tantos desastres? Não poderíamos evitar isso? Gostaria que você falasse mais a respeito do livre arbítrio, fiquei um pouco confusa, porque no fundo parece que não temos tanta liberdade assim, já que tudo já está previsto.

Eu tenho uma pergunta para você, e vi que estava apurado em suas viagens, vou coloca-la aqui novamente se você puder me responder: é sobre o livre-arbítrio. No Atlântida vol2, você fala sobre ele e como Deus conhece seus filhos amados. Como “funciona” então o livre-arbítrio? Uma vez que temos uma missão, um comprometimento com a vida e conosco mesmo o livre arbítrio permite que escolhamos as atitudes e ações no caminho, mas o caminho já está traçado? Seria assim que ele age em nossas vidas?

Roger: Essa questão realmente é um pouco complicada. Vamos tentar colocar de forma clara e objetiva. O livre-arbítrio, ou seja, a liberdade de escolha, é um direito fundamental de todos os filhos de Deus. A escolha de nossos próprios caminhos, ou seja, tomarmos as nossas próprias decisões, é que nos caracteriza como verdadeiros filhos de Deus, e não apenas robôs autômatos, que agem segundo a vontade da Mente Suprema de Deus. A beleza da vida está em nossa individualidade e liberdade de decisão, independente das consequências. Espíritos que já se iluminaram, sentem-se realizados através dessa liberdade e conquista, já os que ainda se encontram na estrada da imperfeição, por sua limitada consciência, terminam semeando o caos durante a sua caminhada evolutiva, causando distúrbios nos projetos de luz, que terminam ocasionando fracassos.A nossa imperfeição espiritual faz com que tomemos decisões equivocadas, mas que nos levam ao aprendizado. E Deus não está preocupado com resultados imediatos, mas sim com o proveito que tomamos da lição ensinada pela vida. Para o Criador, a “aprovação” no final do período de aprendizagem só tem real valor se realmente tivermos evoluído, ou seja, aprendido a lição necessária em nosso momento evolutivo.

Mas, então, como Deus sabe tudo de antemão, com milênios de antecedência? Veja, estamos falando de uma Inteligência incompreensível a nossa natureza de espíritos ainda imperfeitos. Falar de Deus, sempre é um desafio. Como analisar um Ser que jamais foi criado, que sempre existiu? A nossa mente mal consegue refletir sobre algo que jamais teve um princípio, quanto mais entender a Inteligência Suprema e sua capacidade de análise psicológica do comportamento de seus filhos no transcorrer dos milênios. Analisando os nossos filhos na infância, devido a convivência diária, podemos perceber quais serão suas inclinações futuras na vida adulta. Mesmo assim erramos muitas vezes… Já o Espírito Criador consegue avaliar-nos por centenas de encarnações futuras, por milhares de anos, e acertar com 100% de precisão quais serão as nossas escolhas. A mente Dele é o Todo, nela residem o passado, o presente e o futuro. Em Deus não existe espaço nem tempo. E isso não é fácil de compreendermos devido aos limitados paradigmas da vida humana.

E somente o Cristo Planetário, espírito responsável pela evolução da Terra, tem acesso completo a essas informações assim tão amplas. Nem mesmo os grandes mestres da Terra, como Jesus, entre outros, tem tamanha consciência dos futuros da humanidade e das individualidades das consciências que evoluem na Terra. Portanto, trabalham com esperança no futuro, realizando os projetos que, quando são falhos, mesmo assim oferecem importante aprendizado para a humanidade como um todo. O fracasso de implantar o monoteísmo na Terra, realizado por Akhenaton, que narramos no livro “Akhenaton – A revolução espiritual do antigo Egito”, não foi uma perda, mas sim uma necessária escola para os espíritos que evoluíam em nosso mundo naquele período. Talvez se o projeto de Akhenaton tivesse dado certo, sem a humanidade ter os reais valores para compreender a sua mensagem, teríamos problemas futuros nos estágios seguintes da evolução coletiva de nosso planeta, assim como acontece quando um aluno é aprovado para o nível seguinte em sua escola sem ter aprendido adequadamente a matéria.