Tag magos negros

278 – Pergunta (12/10/2015):  Olá, caro amigo Roger. Antes de mais nada gostaria de agradecer por todo esforço e dedicação na tarefa de difundir o Universalismo Crístico, a cada novo livro publicado um jorro de luz e esperança se faz presente em nossas vidas e suas palestras são inspiradoras. Em uma de suas palestras dissestes que a eterna luta não é entre o bem e o mal, mas sim entre conhecimento e a ignorância. Embora concorde, dragões e magos negros são espíritos milenares, detentores de um conhecimento que a humanidade encarnada sonha em conquistar e, conseguirá, em séculos ou milênios futuros. Sendo assim, por que seres com tamanha experiência evolutiva adquirida em várias moradas estelares e um vasto conhecimento espiritual e das leis divinas que regem a evolução no Cosmo se oporiam à tudo que é inevitável e inexorável, como a ascensão do espírito imortal à angelitude, amor universal incondicional e a o que é bom, puro e belo no mundo? Pensar que isso ocorre por simples orgulho, egoísmo e arrogância de seus espíritos é menosprezar sua evolução. Por que agiriam da mesma maneira que a humanidade, a qual é um exemplo de falhas morais?

Roger: A pergunta é bem interessante e creio que será melhor e mais detalhadamente respondida no próximo livro que estamos elaborando com previsão de lançamento para meados do ano que vem. Neste livro abordaremos a origem dos magos negros atlantes e seu império sobre o mundo. Fato que se estende até os dias atuais.

Pode parecer óbvio que o caminho do Bem e da evolução seja o único e mais sensato a seguir. Mesmo assim, todos sabemos disso no plano físico e quão poucos seguem este rumo... Por que será? A imensa maioria vive seduzida pelo poder, conforto e riqueza; colocando em segundo ou terceiro plano os valores da alma. E não podemos nem mesmo alegar que no plano espiritual eles sabem e tem certeza de que a vida espiritual existe e é dirigida conforme as diretrizes de Deus. E que aqui, no plano físico, muitos são ateus e não possuem fé suficiente nestas informações espirituais. Só que no próprio plano espiritual existem muitas dúvidas a respeito disso tudo. Deus não aparece em praças públicas discursando sobre como são as coisas verdadeiramente. Lá, como aqui, existem muitas teses e teorias a respeito dos destinos da Terra e da evolução. Muitos espíritos por lá não creem também em Deus e de que exista um propósito divino para a humanidade. Lá, como aqui, é um palco de evolução, e nas esferas vibratórias mais baixas reina semelhante incredulidade, e que é muito bem explorada pelos regentes das trevas, que sabem disso tudo, mas preferem não abrir mão de seus pontos de vista. Eles não são ingênuos ao ponto de desconhecerem o caminho traçado por Deus. Contudo, traçam rotas alternativas e não se preocupam com a inexorabilidade das leis de Deus. Eles sabem que possuem a eternidade para “render-se” a Deus. Enquanto isso, preferem ficar sendo “deuses” de seus próprios interesses e dominar a humanidade alienada que lhe é escrava.

Além disto, existem caminhos evolutivos que desconhecemos. A humanidade terrena ainda precisa de instrumentos de dor e sofrimento para despertar para a evolução. Estes irmãos regentes das trevas, indiretamente, algumas vezes sem saber, trabalham segundo o plano de Deus. Caso eles não existissem e não despertassem a humanidade para a reflexão através da dor, a futilidade e o desprezo ao “Sagrado” seria ainda bem maior. Basta ver como o Brasil decaiu espiritualmente nas últimas décadas, graças a elevação do padrão financeiro de seu povo. Antes, procuravam templos religiosos para dirimir suas necessidades espirituais e psicológicas, agarrando-se a Deus em momentos de dificuldade. Hoje em dia procuram os shopping centers para tentar curar, através do consumismo materialista, a depressão que o grande vazio interno lhes causa. Espíritos primários se aproximam de Deus quando a dor aperta e se afastam nas zonas de conforto. Infelizmente é assim.

Os adolescentes de hoje ressaltam essa discrepância com relação aos adolescentes do século passado. Deus e os valores espirituais a cada dia fazem menos parte do vocabulário das novas gerações. Logo, por mais incrível que isso possa parecer, a humanidade precisa da ação dos magos negros atlantes para tornar-se melhor. A regência deles na Terra ainda nos servirá de benção nos períodos que antecedem a entrada da Nova Era na Terra. Observem a decadência espiritual do povo atlante em seus últimos momentos, que relatamos nos livros Atlântida – No reino da Luz e Atlântida – No Reino das Trevas”, para entender ao que me refiro.

Quem está assistindo a novela “Os 10 mandamentos” da Record e leu os nossos livros “Moisés – O Libertador de Israel” e  “Moisés – Em busca da Terra Prometida” pode observar também como os momentos difíceis nos aproximam de Deus (caso dos hebreus) e como o conforto e a riqueza em mãos de espíritos infantis leva à decadência (caso dos egípcios). O plano de Deus é perfeito. Nada ocorre sem que haja um sentido progressista e evolutivo na obra de Deus. Inclusive as ações do mal têm este objetivo. Nós é que não as compreendemos, devido a estarmos muito distanciados da real consciência. O homem vive em um mundo de ilusão e se regozija com ela. O mal precisa ser eliminado da Terra, mas, antes disso, precisamos eliminar o seu fato gerador, que é a nossa própria imaturidade espiritual e humana.

Roger Responde 278 – Se a luta é entre o conhecimento e a ignorância, por que os magos negros, que detém o conhecimento, estão do lado negativo desta equação?

278 – Pergunta (12/10/2015):  Olá, caro amigo Roger. Antes de mais nada gostaria de agradecer por todo esforço e dedicação na tarefa de difundir o Universalismo Crístico, a cada novo livro publicado um jorro de luz e esperança se faz presente em nossas vidas e suas palestras são inspiradoras. Em uma de suas palestras dissestes que a eterna luta não é entre o bem e o mal, mas sim entre conhecimento e a ignorância. Embora concorde, dragões e magos negros são espíritos milenares, detentores de um conhecimento que a humanidade encarnada sonha em conquistar e, conseguirá, em séculos ou milênios futuros. Sendo assim, por que seres com tamanha experiência evolutiva adquirida em várias moradas estelares e um vasto conhecimento espiritual e das leis divinas que regem a evolução no Cosmo se oporiam à tudo que é inevitável e inexorável, como a ascensão do espírito imortal à angelitude, amor universal incondicional e a o que é bom, puro e belo no mundo? Pensar que isso ocorre por simples orgulho, egoísmo e arrogância de seus espíritos é menosprezar sua evolução. Por que agiriam da mesma maneira que a humanidade, a qual é um exemplo de falhas morais?

Roger: A pergunta é bem interessante e creio que será melhor e mais detalhadamente respondida no próximo livro que estamos elaborando com previsão de lançamento para meados do ano que vem. Neste livro abordaremos a origem dos magos negros atlantes e seu império sobre o mundo. Fato que se estende até os dias atuais.

Pode parecer óbvio que o caminho do Bem e da evolução seja o único e mais sensato a seguir. Mesmo assim, todos sabemos disso no plano físico e quão poucos seguem este rumo… Por que será? A imensa maioria vive seduzida pelo poder, conforto e riqueza; colocando em segundo ou terceiro plano os valores da alma. E não podemos nem mesmo alegar que no plano espiritual eles sabem e tem certeza de que a vida espiritual existe e é dirigida conforme as diretrizes de Deus. E que aqui, no plano físico, muitos são ateus e não possuem fé suficiente nestas informações espirituais. Só que no próprio plano espiritual existem muitas dúvidas a respeito disso tudo. Deus não aparece em praças públicas discursando sobre como são as coisas verdadeiramente. Lá, como aqui, existem muitas teses e teorias a respeito dos destinos da Terra e da evolução. Muitos espíritos por lá não creem também em Deus e de que exista um propósito divino para a humanidade. Lá, como aqui, é um palco de evolução, e nas esferas vibratórias mais baixas reina semelhante incredulidade, e que é muito bem explorada pelos regentes das trevas, que sabem disso tudo, mas preferem não abrir mão de seus pontos de vista. Eles não são ingênuos ao ponto de desconhecerem o caminho traçado por Deus. Contudo, traçam rotas alternativas e não se preocupam com a inexorabilidade das leis de Deus. Eles sabem que possuem a eternidade para “render-se” a Deus. Enquanto isso, preferem ficar sendo “deuses” de seus próprios interesses e dominar a humanidade alienada que lhe é escrava.

Além disto, existem caminhos evolutivos que desconhecemos. A humanidade terrena ainda precisa de instrumentos de dor e sofrimento para despertar para a evolução. Estes irmãos regentes das trevas, indiretamente, algumas vezes sem saber, trabalham segundo o plano de Deus. Caso eles não existissem e não despertassem a humanidade para a reflexão através da dor, a futilidade e o desprezo ao “Sagrado” seria ainda bem maior. Basta ver como o Brasil decaiu espiritualmente nas últimas décadas, graças a elevação do padrão financeiro de seu povo. Antes, procuravam templos religiosos para dirimir suas necessidades espirituais e psicológicas, agarrando-se a Deus em momentos de dificuldade. Hoje em dia procuram os shopping centers para tentar curar, através do consumismo materialista, a depressão que o grande vazio interno lhes causa. Espíritos primários se aproximam de Deus quando a dor aperta e se afastam nas zonas de conforto. Infelizmente é assim.

Os adolescentes de hoje ressaltam essa discrepância com relação aos adolescentes do século passado. Deus e os valores espirituais a cada dia fazem menos parte do vocabulário das novas gerações. Logo, por mais incrível que isso possa parecer, a humanidade precisa da ação dos magos negros atlantes para tornar-se melhor. A regência deles na Terra ainda nos servirá de benção nos períodos que antecedem a entrada da Nova Era na Terra. Observem a decadência espiritual do povo atlante em seus últimos momentos, que relatamos nos livros Atlântida – No reino da Luz e Atlântida – No Reino das Trevas”, para entender ao que me refiro.

Quem está assistindo a novela “Os 10 mandamentos” da Record e leu os nossos livros “Moisés – O Libertador de Israel” e  “Moisés – Em busca da Terra Prometida” pode observar também como os momentos difíceis nos aproximam de Deus (caso dos hebreus) e como o conforto e a riqueza em mãos de espíritos infantis leva à decadência (caso dos egípcios). O plano de Deus é perfeito. Nada ocorre sem que haja um sentido progressista e evolutivo na obra de Deus. Inclusive as ações do mal têm este objetivo. Nós é que não as compreendemos, devido a estarmos muito distanciados da real consciência. O homem vive em um mundo de ilusão e se regozija com ela. O mal precisa ser eliminado da Terra, mas, antes disso, precisamos eliminar o seu fato gerador, que é a nossa própria imaturidade espiritual e humana.

Roger Responde 273 – Reencarnação de Magos Negros Atlantes e a possibilidade de se realizar algum fenômeno com o poder do Vril nos dias atuais.

273 – Pergunta (20/07/2015):  Oi Roger, tudo bem. Eu li recentemente o livro espírita “Dragões”, e lembro bem que a autora espiritual nos esclarece que alguns espíritos trevosos, como alguns dragões, perderam a chance de reencarnarem na Terra e aguardam apenas o momento de serem transferido para o planeta que está sendo preparado para recomeçarem. Então minha dúvida é que se para os magos negros atlantes que ainda continuam nas trevas vale essa mesma regra, se irão para o outro planeta recomeçarem mais uma vez ou terão outra chance aqui mesmo no nosso planeta. Gostaria se fosse possível, e me perdoe a ousadia e intromissão, mas surgiu essa curiosidade quando eu lia o seu “Atlântida – No Reino da Luz”, na passagem em que você fala que o homem atual desconhece a força do Vril que encontra-se adormecida na pirâmide de Keops. Então, se caso você tivesse a oportunidade de visitá-la e tendo sido no passado um grande mestre dessa força ainda seria capaz de desenvolver algum fenômeno? Obrigada pela atenção, aprendo muito com seus livros, que Jesus continue abençoando seu trabalho nesse novo despertar de consciência. Um abraço.

Recentemente li os dois livros: “Atlântida – No Reino da Luz” e “Atlântida – No Reino das Trevas” e estou lendo agora o “Universalismo Crístico Avançado”. Fiquei muito impressionado com o poder da Energia Vril… Poderia passar mais informações sobre essa energia e se hoje ela é utilizada por encarnados, evidentemente para realizar o Bem ou se as  “sombras” também a utilizam hoje. Abraço fraterno.

Roger: Vou responder essas duas perguntas ao mesmo tempo por serem focadas no mesmo tema: a fascinante energia Vril, descrita nos livros que elaboramos sobre a Atlântida. Este realmente é um tema impressionante e que resulta em dezenas de perguntas a respeito. Lembro aos amigos que nesta sessão de perguntas e respostas do site temos mais de 270 perguntas respondidas, sendo boa parte a respeito dos livros sobre a Atlântida e sobre a energia Vril.

O Vril nada mais é que o fluido cósmico universal presente em todo o Universo. O que permitiu que os atlantes realizassem maravilhas foi a sua incrível habilidade em manipular esta energia. E, para isto, é preciso acreditar nesta energia invisível, ter um grande poder mental e fé para acreditar que isto é possível. O que atrasa o nosso progresso neste campo é o fato de não termos nem a fé do tamanho de um grão de mostarda… Além disto, a atmosfera da Terra atualmente encontra-se muito pesada e materialista, dificultando realizar feitos notáveis com o Vril. Mesmo assim, hoje em dia, conseguimos transformar realidade com o quinto elemento, através de curas e outras aplicações vinculadas ao campo da fé e da Espiritualidade. Mas, no futuro, a humanidade da Nova Era, o “homem novo”, voltará a utilizar o Vril em todo o seu potencial, evitando que o “homem velho” destrua o planeta pela excessiva emissão de carbono na atmosfera, resultado do modelo energético de queima de combustíveis fosseis, que atualmente é a principal fonte de energia no mundo, e que a ganância dos poderosos insiste em manter.

E sobre visitar a pirâmide de Quéops, eu não só já tive a oportunidade de entrar nela, como farei isso novamente pela terceira vez em nossa próxima viagem ao Egito em setembro. Viagem que divulgamos aqui no site e no Facebook para reunir um grupo de colaboradores e simpatizantes do Universalismo Crístico. Nas duas vezes anteriores que entrei na Grande Pirâmide, em 2011 e 2012, tentei realizar algo com o Vril, mas ele se manifesta apenas no plano espiritual, inclusive dentro desse imenso catalisador de energia. Ainda mais que o Egito hoje em dia não é mais a terra das altas vibrações espirituais. O período faraônico tornou-se apenas história. A cultura islâmica que domina hoje em dia a região criou um véu que encobre a elevada energia espiritual de outrora. Expliquei isso em um capítulo inteiro no livro “Universalismo Crístico Avançado”, onde descrevemos detalhes das duas viagens ao Egito que já fizemos com leitores.

Sobre os dragões e magos negros atlantes poderem reencarnar na Terra ainda ou não… Tudo pode acontecer. Estabelecer regras absolutas sobre reencarnações é como estabelecer datas para grandes transformações no mundo. O próprio mago negro Arnach dos livros Atlântidas reencarnou faz pouco mais de cinco anos. Não houve nenhuma proibição para isto. No caso dele seria algo útil tanto para ele como para os projetos da Espiritualidade Superior.  Talvez a gente aprofunde mais sobre todas essas informações em nosso próximo livro, que será sobre esse tema. Mas, fundamentalmente, ele abordará questões mais urgentes, como a desconexão da humanidade atual com a Espiritualidade, abrindo brechas para a ação de todas estas coisas torpes que estamos vendo pelo mundo, atualmente.

Por fim, gostaríamos de informar aos amigos que apoiam e desejam auxiliar o projeto Universalismo Crístico na Terra que imprimimos 20 mil exemplares da nova revista do Universalismo Crístico (edição 2015), com recursos obtidos justamente com a viagem ao Egito, citada acima. Quem tiver onde distribuir estas revistas em sua região (local com pessoas interessadas no tema), envie e-mail para uc.novaera@gmail.com solicitando exemplares, provável quantidade e informando o seu endereço completo para a entrega.

Roger Responde 204 – Hitler foi um herói do bem ou do mal? O holocausto da segunda guerra mundial existiu?

204 – Pergunta (11/11/2013): Roger, me sinto imensamente feliz por ter conhecido o seu trabalho através do livro “Sob o Signo de Aquário”, pretendo ler todos os outros. Sou leitora assídua dos livros espíritas, mas o seu trabalho e o Universalismo Crístico estou conhecendo agora; obrigada por nos trazer tão importantes conhecimentos. Quero se possível me esclareça uma terrível dúvida: o ditador nazista foi um herói do bem ou um herói do mal? Ele já foi exilado como já li em um livro, o holocausto existiu? Muitos negam e elogiam o ditador como se ele fosse um enviado e vítima dos judeus. Se possível me esclareça sobre isso, é muito importante. Que o nosso Criador e o nosso grande mestre Jesus e os Espíritos de luz que te acompanham te iluminem cada vez mais. Um grande abraço ao mentor Hermes, à Crystal, Gaijin, Ramiro e Shien e a você Roger. Muito obrigada. 

Roger: Fico feliz, querida amiga, que está conhecendo o trabalho incansável do Universalismo Crístico para despertar consciências. Ao contrário das religiões, a nossa maior meta é despertar os leitores e simpatizantes para uma visão mais ampla da Espiritualidade e da vida como um todo. Sobre a questão de Hitler e sua missão sinistra, nós abordamos este tema e a sua relação com os magos negros atlantes no livro “Atlântida – No Reino das Trevas”.

Ele não foi um herói do bem, muito menos um enviado e vítima dos judeus. O holocausto existiu sim e foi um dos mais terríveis atos do mal concretizados no plano físico da Terra. Hitler e seus seguidores mais próximos, Heinrich Himmler, Martin Bormann, Rudolf Hess, Josef Mengele, entre outros, são magos negros atlantes que reencarnaram naquele período para estabelecer o império do mal sobre o nosso desorientado plano físico. Estavam todos eles sendo orientados mediunicamente por um mago negro muito maior, Gadeir, líder máximo dessa organização, que é a mais poderosa do astral inferior, superando inclusive os temíveis dragões.

Certamente que os judeus que foram vítimas deste genocídio estavam entrelaçados a esse drama por seus laços cármicos do passado. Não existe injustiça na vida criada por Deus. No entanto, parece que a humanidade ainda continua longe da libertação, que só obtemos quando se paga o mal com o bem, ou seja, agindo com o amor e perdão. O ódio e a vingança apenas escravizam as almas em ciclos reencarnatórios infindáveis…

Os carmas são mutáveis. Se a nossa humanidade optasse pelo amor incondicional, todos os carmas do mundo seriam extintos. Deus não deseja vingança, e, sim, aprendizado. Como disse o apóstolo Pedro em suas epístolas, inspirado pelo mestre Jesus: “O amor cobre a multidão dos pecados”.

Leia nos livros “Atlântida – No Reino da Luz” e, principalmente, “Atlântida – No Reino das Trevas” informações sobre a ação dos magos negros atlantes no processo de alienação espiritual da humanidade, as suas tentativas de impor o seu poder sobre a humanidade no transcorrer dos séculos, principalmente durante o período da segunda guerra mundial, quando tentaram, utilizando-se de médiuns e técnicas ocultistas, obter o poder da energia inversa do Vril, para elaborar a terrível bomba de antimatéria, conhecida como o “Sol Negro”.  Sua ação de magia negra para inverter o poderoso símbolo de luz dos tibetanos: a cruz suástica. A criação da “sociedade Vril” entre várias outras iniciativas para vencer a guerra e estabelecer um império nazista mundial, que seria regido do além pelos magos negros atlantes.

Roger Responde 109 – Como um ex-mago negro pode ser um espírito protetor?

109 – Pergunta (16/01/2012): Sobre Ramiro, seu guia protetor nessa encarnação, você disse que ele foi Ryu na encarnação em Atlântida. Tendo sido um mago negro, responsável por tantos erros juntamente com você, as gêmeas e com Arnach, ele está hoje numa posição de “espírito protetor” e não reencarnado para dar sua contribuição para o bem assim como você, Arnach e as gêmeas? Por quê?

Roger: Espírito protetor ou anjo da guarda não são espíritos evoluídos. São almas na mesma condição evolutiva de seus afilhados. Mentor espiritual que é um ser iluminado. Hermes é meu mentor, e só está junto a mim nos momentos de trabalho. Já Ramiro é meu guia espiritual que me acompanha a todo instante para proteger-me e auxiliar-me dentro de suas limitações. E ele ainda tem muito a evoluir também. Nesse devido momento ele não está encarnado porque está me dando suporte do plano espiritual. Assim como já exerci a posição de guia dele em outros momentos em que ele esteve na matéria.

Além do mais, os leitores precisa contextualizar no tempo os acontecimentos da Atlântida. Esses fatos ocorreram há 12 mil anos. Nesse período muita coisa aconteceu. Paulo de Tarso era um assassino de crianças antes de converter-se ao Cristianismo na estrada para Damasco, e isso ocorreu há apenas 2 mil anos, um tempo seis vezes menor, e mesmo nesse curo período Paulo de Tarso hoje em dia é uma alma santificada, tanto no mundo material como no plano físico.

Quando narrarmos a história de Jesus, o leitor poderá perceber que os apóstolos estavam longe de ser santos. Alguns eram até bem egoístas. Eram pessoas como nós, com seus erros e acertos. O que os santificou foi sua determinação em trazer uma nova verdade, a qual tiveram que aprender a viver integralmente nos séculos futuros. Muitos deles reencarnaram por várias vezes após a implantação do Cristianismo. As pessoas rezavam para eles nas Igrejas, mas eles estavam pelo mundo, aperfeiçoando as suas almas e alguns até ainda oscilando bastante entre o Bem e o Mal.

É fácil santificarmos pessoas que nem conhecemos intimamente e que já não estão mais aqui para avaliarmos seu comportamento no dia a dia. Ao passo que demonizamos criaturas esforçadas na busca do Bem somente por convivermos diretamente com elas e percebermos suas atitudes naturalmente humanas, mas que não desmerecem o seu esforço em busca da Luz. Como disse Jesus: “nenhum profeta é reconhecido em sua terra”. E o ditado popular nos diz: “santo de casa não faz milagre”.

Roger Responde 107 – Como iniciar as pessoas no UC?

107 – Pergunta (02/01/2012): Grande Amigo Roger, estou com uma grande dificuldade em “iniciar” outras pessoas no Universalismo Crístico. Penso que para pessoas que não têm um entendimento espiritual básico, ou seja não conhecem conceitos básicos “espíritas”, se torna muito difícil aceitar o Universalismo e seus três pilares básicos. O próprio livro remete a esses conhecimentos quando trata do cordão prateado, reencarnação, perispírito, outras dimensões, padrões vibracionais, carmas, vidas passadas, magos negros… Para pessoas que “não conhecem” fica difícil assimilar e, principalmente, aceitar o UC. Essa é minha grande dúvida; como iniciá-los? Devo recomendar primeiro obras básicas espíritas?

Roger: Queridos amigos, para atingirmos uma universalização na busca de Deus e dos valores espirituais, tão necessários para resgatar os bons valores em nossa sociedade, é necessário nos afastarmos das crenças religiosas específicas. Ou seja, para os leigos, é necessário mudarmos a abordagem. Temos que falar menos de “crenças” e mais de “fatos palpáveis” do cotidiano. Por exemplo, falar de carma, reencarnação e magos negros pode parecer ficção para quem vive com a mente limitada aos conceitos da vida física. Eles acreditam apenas em um “Deus formal”, sem introspecção nenhuma. No entanto, o amor ao próximo é uma verdade universal e incontestável para a harmonia e o bem viver. Instigar a consciência espiritual, a partir do cultivo dos bons valores, é o caminho para “iniciar” as pessoas que se encontram completamente alienadas de sua caminhada evolutiva.

Temas como carma, reencarnação, ação dos magos negros, outras dimensões, etc… é um mundo completamente estranho para os leigos. No entanto, as suas vidas, como as de todos nós, necessitam urgentemente de um “novo pensar” no campo dos “valores espirituais”, que poderíamos chamar até mesmo de “valores humanos”, pois é um termo mais comum a eles. Nossas famílias, jovens em geral, sociedade, empresas, precisam absorver uma verdadeira e sensata filosofia espiritual, livre de crenças religiosas. Com o enfraquecimento gradual das religiões, a humanidade em geral está perdendo os seus valores mais básicos. E o papel exercido pelas religiões precisa ser rapidamente preenchido por uma compreensão espiritual moderna e livre de dogmas religiosos que venham a engessá-la de acordo com “crenças específicas” desse ou daquele grupo. Caso isso não ocorra, nas próximas décadas teremos uma grave deterioração de nossa civilização, tornando-a fria e insensível. O homem pensará somente em seu próprio interesse, fomentando guerras e uma desumanização de nossa espécie.

Tenho feito palestras dentro de empresas, com enfoque em treinamento, no qual sou convidado a falar sobre o tema “Espiritualidade”. Vejam como o mundo está mudando. Isso é muito positivo! Quando uma grande empresa se preocuparia em treinar seus funcionários sobre esse tema? No ambiente empresarial existem pessoas de todas as crenças religiosas e ateus também. Essa experiência está sendo interessante para eu moldar uma apresentação que atenda a um público verdadeiramente universal, enfocando em temas como o amor, respeito, amizade, tolerância, compreensão, “ação e reação” e todas as demais virtudes que nos levam à evolução espiritual. Para falarmos das coisas de Deus, não precisamos citá-Lo. É algo inerente ao homem compreender que amor e Deus, são exatamente a mesma coisa.

E permeando essa mensagem de valores espirituais, devemos, também, enfocar a divulgação da busca do desenvolvimento da consciência espiritual nessas pessoas. Quem somos, de onde viemos, para onde vamos? Qual a finalidade da vida? Somos apenas animais instintivos como nossos irmãos menores, ou somos seres conscientes que possuem uma alma que transcende a vida física? O que são as experiências paranormais? Como explicar os fenômenos realizados por grandes mestres como Jesus? Que força movia Chico Xavier a psicografar duas cartas ao mesmo tempo, com ambas as mãos, sobre temas diferentes, em línguas diferentes e algumas escritas de “trás para adiante”? Vou contar-lhes um segredo: mais vale fazermos perguntas reflexivas às pessoas do que tentar doutriná-las com nossas crenças…

Roger Responde 087 – Os magos negros podem vampirizar os encarnados à distância?

087 – Pergunta (15/08/2011): Li recentemente numa tacada só a duologia sobre a Atlântida e gostei bastante. Sei que o fundamento do livro é moral, no entanto, tenho um lado racional que tem muita curiosidade em conhecer a história da humanidade. Só o fato da grande pirâmide atlante ter sido construída há pelo menos 30000 anos antes de sua encarnação na Atlântida é fascinante, o que nos faz pensar que a era de ouro atlante já existia há pelo menos 42000 anos atrás! Você disse na última questão que intimamente não acredita na existência da Lemúria. Tenho dúvidas a respeito, porém, não consigo acreditar na tradição da teosofia que diz que os lemurianos eram meio reptilianos, com um olho só. Contudo, farei uma pergunta sobre outro assunto. Quando você era um mago negro no astral, construiu, através de sua hábil manipulação mental do Vril, um palácio. No entanto, num único segundo de culpa, todo o seu palácio ruiu e você e as gêmeas se viram atirados ao charco. Disso se conclui que tudo é mental. Porém, uma mente, mesmo que poderosa, precisa de energia, e você diz que os magos negros vampirizam a energia dos espíritos sofredores dos charcos para manterem seus impérios (como as máquinas faziam com os humanos no filme “Matrix”). O que gostaria de saber é se os magos negros vampirizam também “à distância” os encarnados. Antes de tudo obrigado!

Roger:  Os magos negros vampirizam à distância, mas utilizando-se de um sistema de cadeia energética. Eles não vão até a vítima para sugar-lhe as energias como fazem os obsessores comuns. Eles fazem isso enviando seus comandados que sugam das vítimas sintonizadas com ações anticrísticas  o elemento astral que alimenta os seus impérios.  Uma comparação clara desse processo, seria o próprio tráfico de drogas. O chefe de um grande cartel de cocaína não vende a droga diretamente. Quem leva o produto maléfico ao usuário final são traficantes menores, bem abaixo nessa sinistra escala hierárquica,  mas, o chefão, é quem recebe a maior quota desse retorno financeiro. O processo obsessivo regido por magos negros e dragões é muito semelhante, só que a moeda ambicionada não é o dinheiro, e, sim, a energia astral da vitima viciada e em sintonia com o mal. Não é por acaso que a nossa humanidade tem raros momentos de felicidade e vive em constante depressão…

Somente em alguns raros casos eles atuam diretamente vampirizando encarnados, mas isso ocorre em casos bem específicos e que são de especial interesse deles. Como eu afirmei na pergunta número 84, do dia 25/07/2011: os magos negros são arredios e evitam contato com aqueles que consideram inferiores a eles. Jamais “bebem da fonte” por acharem a nossa humanidade desprezível. Apenas absorvem a energia gerada a partir da egrégora formada por seus milhares de comandados.

Vale sempre lembrar que esse tema é instigante e prende a atenção dos leitores. No entanto, devemos focar nossa atenção nos exemplos de Luz e na mensagem renovadora trazida pelos grandes mestres espirituais de nossa humanidade. O Evangelho de Jesus e sua mensagem libertadora tem mais força que a ação de mil magos negros. E, quem está em sintonia com essa mensagem, jamais será atingido pela ação das sombras. Evitem fascinar-se demasiadamente pelas curiosidades das sombras. Alimentem suas mentes com histórias de luz! Quanto mais povoarmos nossas mentes com pensamentos voltados para o amor e a luz, mais felizes seremos, afastando definitivamente a tristeza e a depressão de nossa vidas.

Roger Responde 084 – Explicações sobre magos negros e dragões

084 – Perguntas (25/07/2011): Roger, tenho lido vários livros que abordam as faces das trevas e tenho encontrado informações diferentes das suas obras que trazem relatos sobre magos negros e dragões. No seu livro sobre a Atlântida você afirma que os magos negros estão acima dos dragões, mas não é  o que afirmam outras literaturas. O que você pode nos dizer a respeito.

Roger:  Tenho recebido alguns e-mails levantando essa mesma questão. E já tinha respondido esse questionamento na coluna “Roger Responde 2010”, pergunta número 06, do dia 18/01/2010. Sobre se li esses livros, na verdade, hoje em dia, o meu tempo para leituras é muito restrito. Geralmente só leio as obras que são indicadas pelos mestres espirituais e aquelas que podem vir a ajudar na ampliação da minha visão na elaboração de trabalhos futuros. Sobre esse tema, li apenas o livro “Os Dragões”, do espírito Maria Modesto, psicografado por Wanderley Oliveira. Achei um livro muito bom.

Sobre o tema magos negros e dragões posso falar com tranquilidade, até mesmo por já ter vivido diretamente nesse meio. O que deve estar causando confusão em outros livros é a denominação dada aos magos negros. Essa ordem espiritual, se podemos chamar assim, é oriunda da extinta Atlântida. Os verdadeiros e originais magos negros são apenas o grupo de sacerdotes do Vril que viviam na Grande Ilha e corromperam seu domínio sobre o quinto elemento com o objetivo de utilizá-lo para o mal. Esses seriam os magos negros atlantes. No próprio livro, no penúltimo capítulo, afirmamos: “Com o passar do tempo, todos aqueles que foram treinados pelos genuínos magos negros atlantes receberam essa mesma denominação. Mas, em sua maioria, eram apenas antigos atlantes que nunca possuíram poder algum com o Vril, no entanto, se destacaram na complexa hierarquia do lado negro no transcorrer dos milênios”.

E com o passar dos milênios, espíritos que nem viveram na Atlântida, começaram a receber essa mesma denominação de magos negros, por mediuns que pouco compreendiam a origem antiga desse termo e, também, por espíritos maléficos que desejavam demonstrar poder e, portanto, se apresentavam com esse terrível título. Contudo, eram apenas espíritos primários, facilmente dominados pelos dragões, fato que causou a falsa impressão de os dragões serem superiores aos verdadeiros magos negros atlantes. Um fato realmente impossível de acontecer dado o histórico desses últimos doze mil anos.

Os genuínos magos negros atlantes sempre viveram em regiões pouco acessíveis a consciências primarias. Raramente são percebidos. Eles são arredios e evitam contato com aqueles que consideram inferiores a eles. Dificilmente veremos um genuíno mago negro manifestando-se mediunicamente. O caso de Arnach com meu grupo mediúnico foi raro. Ocorreu devido a nossa ligação do passado.

E, como afirma o livro “Atlântida – no reino das trevas”,: “Os dragões são espíritos primitivos, que concentram os seus processamentos mentais na região do cérebro conhecida como reptiliana. Eis o motivo de serem designados por esse nome! A sua forma perispiritual torna-se animalizada, geralmente em forma de réptil, pois reflete diretamente a região cerebral de suas manifestações mais comuns. Eles não reagem diretamente por meio da emoção ou da razão, e sim por instinto. Parecem zumbis selvagens seguindo o comando de seus líderes. E o ódio em seus corações é algo realmente assustador. Milênios voltados para o mal provocaram essa metamorfose em seus corpos espirituais, sendo um processo lento e difícil resgatá-los para o caminho da luz. Já os magos negros são seres profundamente racionais e elegantes. Prezam o diálogo e a negociação. Eles processam a sua interação com o mundo externo através das refinadas estruturas do córtex cerebral: a área mais racional e nobre do cérebro. Adoram hipnotizar as suas vítimas em meio ao diálogo. São verdadeiros vampiros! Raramente se alteram em uma discussão, pois sabem que, por esse meio, não obterão uma vitória consistente. Costumam realizar planos de longo prazo, enquanto os dragões geralmente são imediatistas”.

Roger Responde 068 – Explicações sobre os magos negros

068 – Pergunta (04/04/2011): O que mais me chama atenção em seus livros, são algumas descrições de sensações que os personagens passam, como vaidades, egoísmos, ou seja, sensações que todos sentimos, mas nem sempre admitimos, nos seus livros é muito bem expresso e causa a reflexão. A minha pergunta é sobre a evolução dos magos, pois como espíritos tão baixos podem ser mais inteligente que nós. Como eles podem ter tanto poder se são tão pouco evoluídos?  Ou eles na verdade são evoluídos, mas sem moral? Para terminar faço uma deixa que não é pergunta nem pegadinha, no livro Akhenaton, você diz que teve sua primeira experiência com Ramatis, sob a encarnação de Meri-Rá. Mas no livro Atlântida, que ocorreu 12 mil anos antes, você narra a convivência com Ramatis sob o nome de Násser.

Roger:  A tua afirmação está correta. Os magos negros tem uma evolução da consciência superior, fruto de anos de estudo e aperfeiçoamento. Assim como um cientista, que é um gênio nas áreas técnicas, mas tem o coração frio e indiferente. No campo moral é que reside a inferioridade deles e é nesse ponto que se diferenciam dos espíritos de luz. Para atingir a angelitude, precisam trabalhar o seu “corpo emocional”. No “corpo mental” já estão bem desenvolvidos; mais do que inúmeros trabalhadores da luz que conhecemos nas esferas intermediárias.

E sobre a pegadinha. Realmente foi falha minha. Bem observado! Na época do livro Akhenaton, eu havia obtido poucas informações a respeito da Atlântida. Não tinha a consciência que tenho agora para escrever esses livros. Tanto que Hermes achou melhor não respeitar a ordem cronológica dos fatos para preservar minha psique. Caso eu soubesse de tudo isso que ocorreu na Atlântida lá em 2001 (quando escrevemos Akhenaton) talvez eu tivesse surtado.

E para tu perceberes como esses detalhes são complicados, ainda mais em um livro como Akhenaton, que tem mais de 750 mil caracteres, veja que na pergunta tu também te equivocaste. Os acontecimentos da Atlântida ocorreram 9 mil anos antes da décima oitava dinastia egípcia, e não 12 mil, como afirmaste. Hoje em dia, em seis meses, lidamos com mais informações do que nossos avós lidavam durante toda a vida. Impossível não ocorrer equívocos.

Roger Responde 066 – OVNIs avistados nos EUA no período pós-guerra eram experimentos de cientistas nazistas?

066 – Pergunta (21/03/2011): Roger, assisti a um documentário na TV a Cabo sob o título “OVNI´s Nazistas”. Nesse documentário é apresentada a tese de que as aparições de vários OVNI´s nos EUA após a segunda guerra mundial ocorreu devido aos americanos terem levado os cientistas nazistas para seu país (isentando-os do julgamento por seus crimes de guerra) e lá eles teriam trabalhado em diversos projetos ultramodernos para época no ramo da engenharia e aeronáutica. Ao ver o documentário, logo me veio a mente as explicações dos teus livros sobre a Atlântida de que Hitler e o partido nazista obtiveram informações das tecnologias atlantes (através de métodos ocultistas) e tentaram implantá-las. Como a guerra acabou antes, várias plantas de projetos ficaram inacabadas, despertando o interesse dos Americanos. Estou certo nessa dedução?  

Roger:  Sim, meu amigo. Não poderias estar mais certo. Foi exatamente isso que aconteceu. Vamos aos fatos. Himmler realizou diversas reuniões ocultistas com a presença de quatro mulheres médiuns que serviram de canal para muitas informações trazidas pelos magos negros atlantes para a construção de armamentos que viriam dar a vitória definitiva para a instauração de um império nazista mundial. Seria a supremacia da raça ariana, tão desejada por Gadeir, sob a égide da suástica. Vários desses projetos foram desenvolvidos pelos nazistas, mas não ficaram prontos a tempo. Com a vitória dos aliados, os americanos se interessaram por aqueles projetos inacabados e pelo potencial dos engenheiros nazistas. Eles já tinham demonstrado a sua capacidade desenvolvendo o primeiro avião a jato, em foma de delta, que fora um sucesso na guerra. Logo, mereciam crédito.

No entanto, projetos como os “discos” e o surreal “sino” jamais obtiveram êxito pela falta de um elemento fundamental: o domínio da energia Vril. Os americanos, então, tentaram desenvolver naves com essas aerodinamicas mas utilizando propulsão a jato, algo completamente incompatível com a aerodinamica e a força motriz necessária para esses veículos. Os primeiros testes começaram a ser realizados em torno de um ano após o final da segunda guerra mundial, com muitas aparições nos céus e quedas de equipamentos por diversas regiões dos EUA. Como os projetos eram ultra-secretos e o povo americano começou a crer na presenças de extraterrestres, a força aérea americana resolveu não negar essas informações e, até mesmo, sutilmente, passou a apoiar a ideia de que o mundo estava sendo visitado por seres extraterrestres, para assim desviar a atenção do povo. Nesse caso específico não estamos nos referindo ao fenomeno denominado como “foo fighter” que se trata de outra coisa.

Assim, o rápido avanço tecnológico do período pós-guerra levou a compreensão dos leigos ao terreno dos “contos de fadas”, fazendo-os crer que os OVNI’s (fisicamente observados) eram de origem extraterrestre. Na verdade nada mais eram que o impressionante avanço tecnologico, oriundo de tecnologia atlante, obtido por meio de informações mediunicas. Isso causou preocupação nas altas esferas espirituais, pois antecipou a era de desenvolvimento tecnológico da atual humanidade, que ainda encontrava-se muito imatura. O período tenebroso da “guerra fria” entre americanos e soviéticos foi o mais claro resultado dessa antecipação do conhecimento do assombroso poder energético da fissão nuclear, que jamais chegaria ao domínio do homem nessa época se dependesse das forças da Luz.

E como já afirmamos no livro “Sob o Signo de Aquário”, em entrevista com o espírito extra-terrestre Shien, a presença de ET´s na Terra acontece somente na dimensão espiritual. Eles estão na Terra auxiliando-nos nesse período de transição planetária somente no plano espiritual. Visões ou contatos com esses seres só ocorrem através de manifestações mediunicas, de vidência, materializações, etc… ou, então, através de interpretações equivocadas, como essa, muito bem observada pelo leitor. É possível encontrar várias informações adicionais sobre esse tema em uma rápida pesquisa na Internet.

Roger Responde 060 – Reflexões sobre os trabalhos de desobsessão

060 – Pergunta (07/02/2011): Caro Roger, também parabenizo o leitor pela bela visão crística apresentada na questão 55. Da mesma forma que ele, eu também li todos os seus livros na ordem em que foram publicados e espero ansioso por novas obras suas em parceria com Hermes, principalmente aquela já prometida da época de Jesus. Eu percebi também em sua obra que a evolução dos espíritos se dá de forma bastante lenta e, desde a época da Atlântida, muitos espíritos estão ainda reencarnando para queimar carmas em busca de sua angelitude.  Baseando-me neste fato, fico cada vez mais duvidoso com relação aos trabalhos de desobsessão realizados em Terreiros de Umbanda, Centros Espíritas e Casas Apométricas, nos quais apenas em meia hora de “conversas doutrinantes”  se consegue convencer um mago negro ou um espírito de baixa vibração a seguir pelo caminho da luz. Recordando-me dos recorrentes embates sem vencedores com Arnach e Galeato, onde fortíssimas argumentações são confrontadas pelo lado negro e pelo caminho crístico, fico ainda mais cético com relação a estas doutrinações instantâneas, que utiliza normalmente no meu entender uma retórica repetitiva e de baixo poder de convencimento. Onde está havendo exagero e o processo está equivocado? Nas sagas dos espíritos que vêm caminhando por milhares de anos em direção a Luz ou nas seções de desobsessão realizadas até mesmo em uma única reunião de atendimento espiritual?

Roger: Caro leitor,  a tua colocação já diz tudo. E isso é algo que acontece comumente nos processos de doutrinação/desobsessão: animismo dos médiuns e sugestionamento dos doutrinadores. Não se converte um mago negro ou um dragão com meia dúzia de palavras… Eles tem muito mais conhecimento que nós. Somente atingindo o seu coração, com verdadeiro sentimento de amor, depois de muito refletirem, é que voltam para a luz. Assim como ocorreu com Arnach, desde o livro “Sob o Signo de Aquário” até sua redenção no “Atlântida – No reino das Trevas” e que esperamos ocorra com Galeato e muitos outros no futuro.

Espíritos com o conhecimento dos magos negros não serão jamais doutrinados através de nossa abordagem limitada. Eles estão no plano astral, com ampla compreensão das coisas, enquanto estamos aqui com a nossa visão limitada a apenas essa existência. O que os faz abandonarem o caminho das trevas é um processo lento e reflexivo, muitas vezes através de “despertamentos inconscientes” que levam anos, décadas ou, até mesmo, séculos. Creio que o nosso exemplo, verdadeiramente sincero, é muito mais efetivo do que qualquer argumentação evangélica. E isso é  o que falta muito nos doutrinadores, seja de que segmento for, espíritas, umbandistas, apômetras, evangélicos, católicos, etc…(todos trabalham com esse tipo de atividade mas denominam com outros nomes). O problema não está em nossa “falta de santidade”, mas sim em não reconhecer que somos criaturas ainda imperfeitas. Os magos negros dão risadas dos falsos moralistas, hipócritas e enganadores. No entanto admiram aqueles que reconhecem os seus erros e fraquezas, colocando toda a autoridade moral nas mãos de Jesus e dos mentores espirituais, como tão comumente lemos nas obras de Chico e Divaldo.

Já presenciei diversas doutrinações que mais parecem um teatro. O médium diz sempre as mesmas coisas, seguindo um terrível e metódico animismo, enquanto o doutrinador segue o seu script de “frases de efeito” sem real consideração ou interesse pelo espírito comunicante. É comum o doutrinador estar mais preocupado com o seu ego e a admiração dos presentes do que com o real problema. E, assim, em uma simbiose anímica entre os encarnados, o espírito que está sendo esclarecido retira-se dando risadas, isso ocorre comumente com doutrinação de magos negros ou dragões, que não estão preocupados em serem esclarecidos. Claro que espíritos simples, que necessitam apenas de socorro, absorvem a necessária energia magnética desse processo, e recebem depois um verdadeiro esclarecimento pelos mentores no mundo espiritual. Mas vejam bem, para os espíritos desencarnados, (seja de que natureza forem), o comportamento consciente e solidário dos encarnados, tem importante reflexo em suas almas, convidando-os para uma verdadeira renovação; haja vista a vitória espiritual no mundo físico ser algo realmente admirável para todos.

Um excelente livro, que deveria ser leitura obrigatória de todos os médiuns que trabalham com desobsessão/doutrinação, é o “Diálogo com as Sombras”, do escritor espírita Hermínio de Miranda. O exercício mediúnico é algo que exige muito estudo e principalmente reflexão e desenvolvimento de sensibilidade por parte de médiuns e doutrinadores. Realizar esse processo de forma “automática”, como se todo o atendimento seguisse uma “receita de bolo” é um passo para a falência do processo e, consequentemente, dos médiuns. Cada caso é um universo novo e deve ser tratado como tal. Jamais pré-julguem o espírito comunicante segundo seus princípios preconceituosos. Jesus tratou com amor e carinho prostitutas e cobradores de impostos; e, até hoje, ainda vemos pessoas pré-julgando seus irmãos, emitindo seus “pré-conceitos” do que é certo e do que é errado, segundo seus costumes e hábitos, muitas vezes hipócritas ou absolutamente equivocados. De médiuns assim, o inferno está cheio. A Alta Espiritualidade da Terra precisa de médiuns sinceros, que reconheçam suas fraquezas, e que procuram seguir os ensinamentos de Jesus, principalmente “o ama ao teu próximo como a si mesmo”, independente de quem seja esse próximo. Sabemos que existem vários trabalhadores valorosos também, voltados para o trabalho sincero e verdadeiro. Entretanto, sempre cabe alertar sobre esses desvios tão comuns e rotineiros.

← Previous Page