Tag amar ao próximo como a nós mesmos

A Magia do Trabalho

Aprender a trabalhar em equipe quer dizer que nos tornamos seres mais tolerantes, mais amorosos e com mais um degrau alcançado de nosso processo evolutivo. Isso quer dizer que aprendemos a dominar o nosso ego em favor do bem viver com todos os que estão a nossa volta. Entendemos que ninguém faz nada sozinho, e que um depende do outro para que possamos viver em sociedade. Por menor valor que você possa dar a uma profissão ou uma tarefa determinada, se você refletir, vai perceber que aquele ser faria muita falta se não existisse e verá o quanto está interligado a você e ao seu dia-a-dia. Convidamos a todos nessa semana a refletir sobre a magia do trabalho em nosso cotidiano.

Precisamos nos sentir úteis e ter um valor na sociedade, se isso não ocorre, o risco de nos tornarmos pessoas depressivas é imenso. Toda ocupação útil é um trabalho, não precisamos necessariamente ter um emprego remunerado, mas podemos auxiliar nossa família e a sociedade de diversas maneiras. Ajudar nas tarefas domésticas, de modo a aliviar o peso de quem já trabalha na rua, batalhando pelo ganha pão da família é um ótimo exemplo de ajudar em casa assim como para a coletividade em geral os trabalhos voluntários em instituições são um bálsamo de luz para qualquer grupo, pois quem trabalha por amor contribui não só com as tarefas palpáveis da instituição, mas como para o equilíbrio das energias do ambiente que frequenta.

O trabalho foi criado para que o homem não se perdesse em seus vícios, para que pudesse desenvolver a sua inteligência e as suas capacidades morais. Com o nível de evolução terrena em que nos encontramos, se as pessoas não precisassem trabalhar, hoje em dia teríamos a oportunidade de conhecer o “inferno” na terra.

Com o passar dos anos, a sociedade se modifica e homem desenvolve desejos e necessidades para que todos tenham uma ocupação. Cada objeto, cada alimento, enfim, qualquer matéria que interagimos durante o nosso dia, possui uma história, uma vida, que passou por muitas pessoas antes de chegar até nós. O computador, celular ou até os óculos, que nesse momento lhe proporcionam essa leitura, a roupa que você está vestido, o local onde você está, tudo tem uma história que o interliga com muitas outras pessoas. Você provavelmente tem dentro de sua casa ou no ambiente em que trabalha, objetos que foram fabricados em outros países, advindos de outra cultura, que passaram pelas mãos de pessoas que você nem conhece e que nem ao menos falam a sua língua.

Olhe ao seu redor e reflita sobre a história de pelo menos dois objetos que você possui e necessita no seu dia-a-dia. Faça essa viagem e depois pergunte a si mesmo... Se o carteiro não viesse entregar as minhas cartas, o que aconteceria? E se os lixeiros não existissem? E se os padeiros não quisessem mais fazer o pão? E se os supermercados fechassem? E se as empresas fechassem? E se a tecnologia não existisse? ... Viva nesse instante um momento de gratidão a todos essas pessoas que passaram e passam diariamente pelo processo de desenvolvimento de tudo que você possui para auxiliar no seu dia, porque você precisa deles, assim como eles precisam de você!

Deus tem um plano para cada um de nós, há tantas coisas que não sabemos e não entendemos. Por isso, temos que trabalhar a humildade para reconhecermos que somos muito ignorantes perante a grande obra do Criador, mas sem perder a consciência de que todos somos importantes para que tudo aconteça.

Pai de infinita bondade nos permita auxiliar no seu plano divino e cumprir a sua vontade de nos tornarmos seres de luz, para que um dia possamos nos unir em um só coração, onde nosso único trabalho seja o de amar ao Senhor sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos! Obrigada por mais essa oportunidade!!!

Paz e luz a todos!!!

Vibração Coletiva (25/04/2018) – A Magia do Trabalho

A Magia do Trabalho

Aprender a trabalhar em equipe quer dizer que nos tornamos seres mais tolerantes, mais amorosos e com mais um degrau alcançado de nosso processo evolutivo. Isso quer dizer que aprendemos a dominar o nosso ego em favor do bem viver com todos os que estão a nossa volta. Entendemos que ninguém faz nada sozinho, e que um depende do outro para que possamos viver em sociedade. Por menor valor que você possa dar a uma profissão ou uma tarefa determinada, se você refletir, vai perceber que aquele ser faria muita falta se não existisse e verá o quanto está interligado a você e ao seu dia-a-dia. Convidamos a todos nessa semana a refletir sobre a magia do trabalho em nosso cotidiano.

Precisamos nos sentir úteis e ter um valor na sociedade, se isso não ocorre, o risco de nos tornarmos pessoas depressivas é imenso. Toda ocupação útil é um trabalho, não precisamos necessariamente ter um emprego remunerado, mas podemos auxiliar nossa família e a sociedade de diversas maneiras. Ajudar nas tarefas domésticas, de modo a aliviar o peso de quem já trabalha na rua, batalhando pelo ganha pão da família é um ótimo exemplo de ajudar em casa assim como para a coletividade em geral os trabalhos voluntários em instituições são um bálsamo de luz para qualquer grupo, pois quem trabalha por amor contribui não só com as tarefas palpáveis da instituição, mas como para o equilíbrio das energias do ambiente que frequenta.

O trabalho foi criado para que o homem não se perdesse em seus vícios, para que pudesse desenvolver a sua inteligência e as suas capacidades morais. Com o nível de evolução terrena em que nos encontramos, se as pessoas não precisassem trabalhar, hoje em dia teríamos a oportunidade de conhecer o “inferno” na terra.

Com o passar dos anos, a sociedade se modifica e homem desenvolve desejos e necessidades para que todos tenham uma ocupação. Cada objeto, cada alimento, enfim, qualquer matéria que interagimos durante o nosso dia, possui uma história, uma vida, que passou por muitas pessoas antes de chegar até nós. O computador, celular ou até os óculos, que nesse momento lhe proporcionam essa leitura, a roupa que você está vestido, o local onde você está, tudo tem uma história que o interliga com muitas outras pessoas. Você provavelmente tem dentro de sua casa ou no ambiente em que trabalha, objetos que foram fabricados em outros países, advindos de outra cultura, que passaram pelas mãos de pessoas que você nem conhece e que nem ao menos falam a sua língua.

Olhe ao seu redor e reflita sobre a história de pelo menos dois objetos que você possui e necessita no seu dia-a-dia. Faça essa viagem e depois pergunte a si mesmo… Se o carteiro não viesse entregar as minhas cartas, o que aconteceria? E se os lixeiros não existissem? E se os padeiros não quisessem mais fazer o pão? E se os supermercados fechassem? E se as empresas fechassem? E se a tecnologia não existisse? … Viva nesse instante um momento de gratidão a todos essas pessoas que passaram e passam diariamente pelo processo de desenvolvimento de tudo que você possui para auxiliar no seu dia, porque você precisa deles, assim como eles precisam de você!

Deus tem um plano para cada um de nós, há tantas coisas que não sabemos e não entendemos. Por isso, temos que trabalhar a humildade para reconhecermos que somos muito ignorantes perante a grande obra do Criador, mas sem perder a consciência de que todos somos importantes para que tudo aconteça.

Pai de infinita bondade nos permita auxiliar no seu plano divino e cumprir a sua vontade de nos tornarmos seres de luz, para que um dia possamos nos unir em um só coração, onde nosso único trabalho seja o de amar ao Senhor sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos! Obrigada por mais essa oportunidade!!!

Paz e luz a todos!!!

Vibração Coletiva (22/11/2017) – Empatia

Empatia

Fala-se muito em respeito às  diferenças, em aceitar o outro como o outro é, sem julgamentos.

Não precisamos ser como o outro, mas entender que cada indivíduo tem um jeito próprio de compreender o mundo e de se manifestar na vida. Um mesmo acontecimento pode marcar cada pessoa de uma forma diferente. Isso nos torna únicos como protagonistas de nossas vidas.

Olhando o mundo também pelos olhos do outro, e não apenas pelos nossos, estaremos ampliando nossa compreensão do Universo. Nosso juízo crítico deixará de ser feito, egoisticamente, apenas com base em nossos próprios valores e referências.

Conhecer a forma como o outro enxerga a vida abrirá as janelas com que nos conectamos ao mundo, e até, talvez, realidades então desconhecidas por nós acabem influenciando ou mesmo modificando nossa percepção e nosso relacionamento com o mundo.

E esta pluralidade de realidades, obtida com a prática sincera da empatia, com certeza nos tornará mais amorosos, mais tolerantes, mais generosos, mais compreensivos e menos julgadores.

Exercitar a empatia é por em prática as palavras do Mestre: “Amar ao próximo como a nós mesmo …”

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (18/10/2017) – Harmonizando o Conviver

Harmonizando o Conviver
Quando iniciamos o caminho do despertar, o mundo ao nosso redor e a forma como o enxergamos começa a mudar. Entendemos que o equilíbrio que tanto almejamos não é conquistado de fora para dentro, que não dependem das pessoas e das situações que nos cercam para nos mantermos em paz. Interiorizamos que somente encontraremos o equilíbrio a partir de nós mesmos, melhorando-nos a cada dia e a cada nova situação que se apresentar em nossa caminhada.
Por vezes, nos depararemos com pessoas que de alguma forma ferirão nossos sentimentos ou que então agirão de acordo com o entendimento e grau de amadurecimento delas, dos quais não concordaremos. Essas pessoas estão presentes em nosso dia-a-dia, na família, no trabalho e nos relacionamentos mais próximos ao nosso.
É realizando a reforma íntima que encontraremos a melhor forma de lidar com esses irmãos que tanto estimamos. Necessitamos mudar nosso olhar referente a essas situações que nos descontentam, e passar a enxergar essas pessoas de uma nova maneira. Inicialmente, precisamos aceitá-los como são, sem cairmos na ilusão de que um dia conseguiremos mudá-los, pois sabemos que a mudança depende unicamente de cada ser, mesmo que nos esforcemos, nada acontecerá se a pessoa assim não o desejar.
Quando nos dispomos ao aprimoramento moral e espiritual, entendemos que em primeira instância precisamos “amar ao nosso próximo assim como amamos a nós mesmos”, o que nos leva ao segundo passo, a compreensão. Precisamos compreender esses irmãos, seus motivos em agir de determinada forma, e só conseguiremos isso quando nos colocarmos no lugar deles, buscando em seu íntimo as suas verdades e razões. Agindo assim passaremos a entendê-los e a vê-los por uma nova perspectiva, o que nos ajudará a enfrentar as difíceis situações com maior zelo e principalmente com um maior desapego das nossas verdades relativas e do ponto de vista pessoal.
Alterando a forma como enfrentamos nossas divergências com esses queridos irmãos, que nos são difíceis por hora, passamos a ver claramente que eles são peças importantes para o nosso crescimento e desenvolvimento espiritual. Sendo assim, quando finalmente passamos a compreender que esses irmãos de caminhada são um meio de conquistar nossa ascensão espiritual, passamos a nutrir por eles o sublime sentimento de gratidão. Gratidão sim, pois é com eles que tanto aprendemos, e sem eles muitas lições não nos seriam passadas. São eles que nos fazem desenvolver a prática da paciência, da ausência do orgulho, do desprendimento, do perdão, da compaixão, entre tantos outros sentimentos que nos elevam moralmente.
“O solo sulcado pela enxada bem acionada agradece ao lavrador que o feriu, reverdecendo, transformado e estuante de vida. Mesmo a erva má que medra no caminho no lugar também agradece, coroando-se de flores na quadra primaveril.” (Divaldo Franco – Psicologia da Gratidão)
É dessa forma, compreendendo nossos semelhantes e enxergando-os como irmãos que necessitam de nosso auxílio, e de que devemos sê-los gratos por tornarem-se uma ferramenta de aprendizado em nossas vidas, é que nos aproximaremos um pouco mais de nosso Pai maior e descortinaremos mais um dos tantos véus que nos cegam e nos impedem de ver a luz.
Paz e luz a todos!

Vibração Coletiva (22/03/2017) – Empatia

Empatia

Fala-se muito em respeito às diferenças, em aceitar o outro como o outro é, sem julgamentos.

Não precisamos ser como o outro, mas entender que cada indivíduo tem um jeito próprio de compreender o mundo e de se manifestar na vida. Um mesmo acontecimento pode marcar cada pessoa de uma forma diferente. Isso nos torna únicos como protagonistas de nossas vidas.

Olhando o mundo também pelos olhos do outro, e não apenas pelos nossos, estaremos ampliando nossa compreensão do Universo. Nosso juízo crítico deixará de ser feito, egoisticamente, apenas com base em nossos próprios valores e referências.

Conhecer a forma como o outro enxerga a vida abrirá as janelas com que nos conectamos ao mundo, e até, talvez, realidades então desconhecidas por nós acabem influenciando ou mesmo modificando nossa percepção e nosso relacionamento com o mundo.

E esta pluralidade de realidades, obtida com a prática sincera da empatia, com certeza nos tornará mais amorosos, mais tolerantes, mais generosos, mais compreensivos e menos julgadores.

Exercitar a empatia é por em prática as palavras do Mestre: “Amar ao próximo como a nós mesmo …”

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (13/01/2016) – Somos todos um

Somos todos um

Todos os homens foram divinamente criados, igualmente, simples e ignorantes. Todos partiram do mesmo princípio, e todos rumam para o mesmo ponto de chegada. Somos perfectíveis, e possuímos igual aptidão para tudo adquirirmos e tudo conhecermos. Dispomos do livre arbítrio, o que nos torna diferentes, já que temos o poder da escolha e da mudança dos nossos caminhos. Dessa forma, cada um de nós ruma por trilhas diferentes e encontra-se em níveis distintos de elevação moral e intelectual. Porém, naturalmente, um dia nos encontraremos, já compreendendo a filosofia divina, com o amor preenchendo nossas almas, e assim seremos um, unidos ao nosso Pai de infinita bondade.

Convidamos nossos amados irmãos para que nessa semana concentrem seus pensamentos e energias salutares em direção a união fraternal de toda a humanidade, visando o despertar da consciência de cada ser humano, para que ampliem suas visões e compreendam que cada um de nós fazemos parte de uma única família universal. Que a visão embaçada promovida pela ignorância e o preconceito possa ser corrigida com as lentes da sabedoria e da compreensão, para que todos enxerguem que o único caminho é o do bem, o do amor e o do respeito integrais a cada ser.

Quando compreendermos verdadeiramente a máxima “Amar ao próximo como a nós mesmos”, sentiremos vibrar em nosso íntimo a força unificadora provinda de nosso Pai Maior. Para exercitarmos essa máxima, precisaremos vivenciar diariamente o desprendimento de nossos preconceitos, aceitando, respeitando e compreendendo as diferenças daqueles que nos cercam, englobando e realizando o que significa o elevado conceito de alteridade.

No lugar de tentarmos mudar as pessoas, e não aceitar seu modo de pensar e suas atitudes, procure entender seus motivos e limitações, e aceite-a como ela é. Inverta seu pensamento, veja que você não possui capacidade para mudar o outro, mas que ao contrário, você possui plena capacidade de mudar a sua forma de pensar, de agir e de sentir. Este é o segredo da harmonia do bem conviver.

Não podemos jamais mudar alguém, para que se torne quem queríamos que esse alguém fosse, porém, podemos auxiliá-lo em seu despertar, colocando-nos na posição de “educadores”, tendo a visão de que sempre podemos passar ensinamentos as outras pessoas. Todos nós temos a responsabilidade de auxiliarmos os irmãos que nos cercam, estendendo caridosamente nossas mãos, e a primeira e melhor forma de ajudar é dando nosso exemplo, através das nossas atitudes e palavras. Entretanto, devemos ter sempre a humildade em saber que assim como podemos ensinar, também estamos sempre na posição de alunos, aprendendo lições de crescimento e amadurecimento, provindas de quaisquer pessoas.

Tenhamos a certeza de que quando o ser humano compreender a força que há na união, perceberá que mesmo entre tantas diferenças somos todos iguais, aprenderá a respeitar e conviver com as diversidades, para assim construirmos um mundo de amor, estaremos aí rumando no caminho reto, no caminho que nos leva ao nosso Pai. Encontraremos a felicidade na Terra quando o homem perceber que o auxílio recíproco é o recurso de que precisamos para conquistarmos o equilíbrio entre todos. Enquanto existir discriminações, segregações, intolerâncias, ganância pelo poder e tantas discrepâncias sociais, ainda teremos dor e sofrimento, até o dia do inevitável despertar.

Acredite sempre no poder dos pequenos gestos de bondade e de amor, pois por mais insignificantes que possam parecer, são como notas musicais da grande sinfonia da vida vibrando no universo.

Assuma parte dessa grande orquestra do amor universal contribuindo como puder, pois juntos somos mais fortes, somos um!

Paz e Luz a todos!