Tag Empatia

Empatia

Fala-se muito em
respeito às diferenças, em aceitar o outro como o outro é, sem julgamentos.

Não precisamos ser como
o outro, mas entender que cada indivíduo tem um jeito próprio de compreender o
mundo e de se manifestar na vida. Um mesmo acontecimento pode marcar cada pessoa
de uma forma diferente. Isso nos torna únicos como protagonistas de nossas
vidas.

Olhando o mundo também
pelos olhos do outro, e não apenas pelos nossos, estaremos ampliando nossa
compreensão do Universo. Nosso juízo crítico deixará de ser feito,
egoisticamente, apenas com base em nossos próprios valores e referências.

Conhecer a forma como o
outro enxerga a vida abrirá as janelas com que nos conectamos ao mundo, e até,
talvez, realidades então desconhecidas por nós acabem influenciando ou mesmo
modificando nossa percepção e nosso relacionamento com o mundo.

E esta pluralidade de
realidades, obtida com a prática sincera da empatia, com certeza nos tornará
mais amorosos, mais tolerantes, mais generosos, mais compreensivos e menos
julgadores.

Exercitar a empatia é
por em prática as palavras do Mestre: "Amar ao próximo como a nós mesmo
..."

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (24/06/2020) – Empatia

Empatia

Fala-se muito em
respeito às diferenças, em aceitar o outro como o outro é, sem julgamentos.

Não precisamos ser como
o outro, mas entender que cada indivíduo tem um jeito próprio de compreender o
mundo e de se manifestar na vida. Um mesmo acontecimento pode marcar cada pessoa
de uma forma diferente. Isso nos torna únicos como protagonistas de nossas
vidas.

Olhando o mundo também
pelos olhos do outro, e não apenas pelos nossos, estaremos ampliando nossa
compreensão do Universo. Nosso juízo crítico deixará de ser feito,
egoisticamente, apenas com base em nossos próprios valores e referências.

Conhecer a forma como o
outro enxerga a vida abrirá as janelas com que nos conectamos ao mundo, e até,
talvez, realidades então desconhecidas por nós acabem influenciando ou mesmo
modificando nossa percepção e nosso relacionamento com o mundo.

E esta pluralidade de
realidades, obtida com a prática sincera da empatia, com certeza nos tornará
mais amorosos, mais tolerantes, mais generosos, mais compreensivos e menos
julgadores.

Exercitar a empatia é
por em prática as palavras do Mestre: “Amar ao próximo como a nós mesmo
…”

Paz e Luz a todos!

Esposa doa rim para ex-marido doze anos após separação

designproposal-37-768x378

Mais de uma década após se separarem, a paranaense Beth Caperclaro doou um de seus rins para o ex-marido, Claus Ziegelmaier. “Como éramos esposo e esposa, agora somos irmãos de sangue”, diz o transplantado.

A operação foi realizada em Londrina, no dia 30 de novembro. Após se recuperar da cirurgia, Claus deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e agora aguarda alta no quarto do hospital. Ele só tem a agradecer pela boa ação de sua ex-mulher.

“No começou eu levei até um baque quando minha esposa falou, porque é um gesto de amor. Não de quem menos espera, mas nós tivemos uma vida juntos e fomos separados pelo destino, e o destino nos uniu de novo”, disse.

Eles ficaram juntos por 17 anos, somados o namoro, noivado e casamento, e decidiram se separar de maneira pacífica e conversada – sem filhos e sem rancor.

Claus então casou-se novamente; pouco tempo depois, descobriu uma doença que lhe causou a perda da função dos rins. Desde então, passava por sessões de hemodiálise três vezes por semana, quatro horas por dia, numa rotina que já durava quatro anos. Seu médico lhe indicou um transplante de rim, e logo, ele e sua família começou a procurar por possíveis doadores.

Na procura, a atual esposa de Claus, Amanda Ziegelmaier, encontrou Beth caminhando na rua. Ambas já se conheciam pessoalmente e conversaram.

“Foi um dia que eu estava muito mal e conversei com ela. Ela queria saber como o Claus estava e, neste dia, ela falou que queria pelo menos tentar fazer o exame para ver se podia ajudar ele de alguma forma”, disse Amanda.

Beth fez um exame de compatibilidade e descobriu que poderia fazer a doação. Não pensou duas vezes e com coragem, decidiu se submeter à cirurgia, aceitando ser doadora em nome das boas vivências que teve com o ex-marido.

“Por gratidão, sabe? Dezessete anos junto com uma pessoa que nunca fez isso aqui de mal [fazendo um gesto com as mãos]. Então eu acho que eu devia isso a ele como agradecimento da pessoa que ele foi para mim no passado”, relatou.

Após o transplante, Beth brincou que agora ela ganhou uma nova família e seu ex-marido, uma nova vida.

“Agora ele virou meu irmão, filho do meu pai filho do meu pai e da minha mãe, deixou de ser genro para ser irmão agora”, disse aos risos.

Amanda, atual esposa de Claus, se disse muito agradecida pelo gesto de Beth.

“Não existem palavras para agradecer o que ela fez. Ainda não inventaram essa palavra. É uma gratidão que a gente vai levar pro resto das nossas vidas”, concluiu.

 

Fontes: http://razoesparaacreditar.com/amor/esposa-doa-rim-marido/

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2018/12/07/doze-anos-apos-separacao-mulher-doa-rim-para-ex-marido-agora-somos-irmaos-de-sangue-diz-transplantado.ghtml

Vibração Coletiva (22/11/2017) – Empatia

Empatia

Fala-se muito em respeito às  diferenças, em aceitar o outro como o outro é, sem julgamentos.

Não precisamos ser como o outro, mas entender que cada indivíduo tem um jeito próprio de compreender o mundo e de se manifestar na vida. Um mesmo acontecimento pode marcar cada pessoa de uma forma diferente. Isso nos torna únicos como protagonistas de nossas vidas.

Olhando o mundo também pelos olhos do outro, e não apenas pelos nossos, estaremos ampliando nossa compreensão do Universo. Nosso juízo crítico deixará de ser feito, egoisticamente, apenas com base em nossos próprios valores e referências.

Conhecer a forma como o outro enxerga a vida abrirá as janelas com que nos conectamos ao mundo, e até, talvez, realidades então desconhecidas por nós acabem influenciando ou mesmo modificando nossa percepção e nosso relacionamento com o mundo.

E esta pluralidade de realidades, obtida com a prática sincera da empatia, com certeza nos tornará mais amorosos, mais tolerantes, mais generosos, mais compreensivos e menos julgadores.

Exercitar a empatia é por em prática as palavras do Mestre: “Amar ao próximo como a nós mesmo …”

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (22/03/2017) – Empatia

Empatia

Fala-se muito em respeito às diferenças, em aceitar o outro como o outro é, sem julgamentos.

Não precisamos ser como o outro, mas entender que cada indivíduo tem um jeito próprio de compreender o mundo e de se manifestar na vida. Um mesmo acontecimento pode marcar cada pessoa de uma forma diferente. Isso nos torna únicos como protagonistas de nossas vidas.

Olhando o mundo também pelos olhos do outro, e não apenas pelos nossos, estaremos ampliando nossa compreensão do Universo. Nosso juízo crítico deixará de ser feito, egoisticamente, apenas com base em nossos próprios valores e referências.

Conhecer a forma como o outro enxerga a vida abrirá as janelas com que nos conectamos ao mundo, e até, talvez, realidades então desconhecidas por nós acabem influenciando ou mesmo modificando nossa percepção e nosso relacionamento com o mundo.

E esta pluralidade de realidades, obtida com a prática sincera da empatia, com certeza nos tornará mais amorosos, mais tolerantes, mais generosos, mais compreensivos e menos julgadores.

Exercitar a empatia é por em prática as palavras do Mestre: “Amar ao próximo como a nós mesmo …”

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (11/05/2016) – Verdades

Verdades

O que são verdades? Vamos meditar sobre esta questão, meus irmãos. O que entendemos como verdades?

Uma determinada questão possui vários ângulos e pontos de vistas diferentes. Cada pessoa enxerga sob um determinado ponto de vista, misturado junto com crenças negativas e valores que recebemos em nossa infância sobre a vida.

Então, como não enxergamos de forma igual e também não sentimos de forma igual, cometemos o grave erro de procurar impor aos outros nossas verdades, nossos pontos de vista, muitas das vezes equivocados, esquecendo que o outro não é igual a nós e sente de forma diferente.

É comum vermos as pessoas brigando umas com as outras pelo simples fato de não aceitarem que os outros possuem opiniões e pensam de forma diferente e se esquecem de praticar a empatia entre si, de colocar-se um no lugar do outro e verificar se aquilo que eu vou falar não vai de certa forma machucar o meu irmão e lembrar que cada um está em um estado evolutivo diferente do nosso. Não raro, o outro é o nosso próprio espelho.

Quando situações semelhantes nos ocorrer, façamos silêncio diante daquilo que nos desagrade, não entremos em brigas e discussões desnecessárias que farão o nosso padrão vibratório baixar. Na maioria das vezes ambas as partes estão equivocadas em seus pontos de vista.

Manter o equilíbrio é primordial quando as opiniões não se identificam, praticar a tolerância para uma boa convivência é muito importante nestes momentos e respeitar a maneira de ser de nossos irmãos, assim como queremos que sejamos respeitados.

Lembremos-nos do ensinamento que Jesus nos ensinou: “Ama ao teu próximo como a ti mesmo”.

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (22/07/2015) – “Empatia”

Empatia

Fala-se muito em respeito às diferenças, em aceitar o outro como o outro é, sem julgamentos.

Não precisamos ser como o outro, mas entender que cada indivíduo tem um jeito próprio de compreender o mundo e de se manifestar na vida. Um mesmo acontecimento pode marcar cada pessoa de uma forma diferente. Isso nos torna únicos como protagonistas de nossas vidas.

Olhando o mundo também pelos olhos do outro, e não apenas pelos nossos, estaremos ampliando nossa compreensão do Universo. Nosso juízo crítico deixará de ser feito, egoisticamente, apenas com base em nossos próprios valores e referências.

Conhecer a forma como o outro enxerga a vida abrirá as janelas com que nos conectamos ao mundo, e até, talvez, realidades então desconhecidas por nós acabem influenciando ou mesmo modificando nossa percepção e nosso relacionamento com o mundo.

E esta pluralidade de realidades, obtida com a prática sincera da empatia, com certeza nos tornará mais amorosos, mais tolerantes, mais generosos, mais compreensivos e menos julgadores.

Exercitar a empatia é por em prática as palavras do Mestre: “Amar ao próximo como a nós mesmo …”

Paz e Luz a todos!