Tag Universalismo Crístico Avançado

Mudanças Internas

Queridos irmãos de jornada, nesta semana iremos meditar sobre o progresso que estamos realizando para as mudanças internas que precisamos fazer em relação aos nossos defeitos e imperfeições de nossa alma.

Para que transformemos os nossos defeitos e imperfeições, primeiramente precisamos ter o autoconhecimento sobre nós com muita sinceridade e humildade. Reconhecermo-nos falhos não é nenhum defeito, pois indicará que podemos mudar e fazer diferente. Defeito sim será, se estivermos cientes deles e não procurarmos mudar e usá-los como uma desculpa, uma “muleta”, para as nossas atitudes enfermiças.

As ilusões humanas fazem com que nos distraiamos desta busca interna em favor de nosso progresso moral e espiritual para tornarmos pessoas melhores.

Na Nova Era, é imprescindível que empreendamos a nossa reforma íntima sincera e consciente para atingirmos a evolução proposta pelo Mais Alto. Isso significa promover verdadeiramente mudanças em nosso interior, de dentro para fora, ou seja, que nos tornemos agentes ativos da transformação de nosso mundo interno e, paulatinamente, do mundo externo”. Do Livro Universalismo Crístico Avançado/Roger Bottini Paranhos.

Perguntemo-nos: Como tenho tratado as pessoas com as quais tenho me relacionado? O problema são elas ou sou eu mesmo(a) que me sinto incomodado(a)? Quais as razões que me levam a acreditar que o problema são as outras pessoas? Qual é a dificuldade que tenho para admitir que aquilo que me incomoda no outro é o mesmo defeito que possuo? O que tenho feito para mudar isso? Meus irmãos, as respostas sempre estarão em nosso interior, é só parar e meditar um pouco sobre nossas atitudes. É um erro procurar jogar toda a responsabilidade nos ombros das outras pessoas que fazem parte de nosso cotidiano ou não.

Lembremo-nos do amado mestre Jesus, que proferiu este ensinamento, “Enxergas o cisco no olho de teu irmão, mas não vês a trave em teus próprios olhos”, façamos um estudo sincero de nossos atos e percebamos os pontos a serem mudados e nos observarmos às vezes em que formos cometer os mesmos erros novamente, se ao invés de reagirmos, nos calarmos e nos interiorizarmos, com isso mudaremos e quebraremos os padrões equivocados. Mas para isso, temos que perseverar nas nossas decisões de verdadeiramente mudar.

Não esqueçamos que nosso mundo externo é um reflexo dos sentimentos que levamos em nosso interior. Se é de guerras, só guerras veremos; se é de tristezas e tragédias, só tristezas e tragédias veremos e assim por diante. As mudanças primeiramente começam conosco, para depois se refletirem no mundo exterior. Reflitamos sobre isso meus irmãos.

Nada vale cobrarmos dos outros, por aquilo que não estamos dispostos a mudarmos em nós mesmos, somos espelhos uns dos outros, e que possamos sempre estarmos dispostos a aprender com os nossos defeitos.

Somos todos um, a tua mudança inevitavelmente semeará a mudança no teu próximo e consequentemente a mudança no nosso mundo.

Paz e Luz a Todos!

Vibração Coletiva (28/11/2018) – Mudanças Internas

Mudanças Internas

Queridos irmãos de jornada, nesta semana iremos meditar sobre o progresso que estamos realizando para as mudanças internas que precisamos fazer em relação aos nossos defeitos e imperfeições de nossa alma.

Para que transformemos os nossos defeitos e imperfeições, primeiramente precisamos ter o autoconhecimento sobre nós com muita sinceridade e humildade. Reconhecermo-nos falhos não é nenhum defeito, pois indicará que podemos mudar e fazer diferente. Defeito sim será, se estivermos cientes deles e não procurarmos mudar e usá-los como uma desculpa, uma “muleta”, para as nossas atitudes enfermiças.

As ilusões humanas fazem com que nos distraiamos desta busca interna em favor de nosso progresso moral e espiritual para tornarmos pessoas melhores.

Na Nova Era, é imprescindível que empreendamos a nossa reforma íntima sincera e consciente para atingirmos a evolução proposta pelo Mais Alto. Isso significa promover verdadeiramente mudanças em nosso interior, de dentro para fora, ou seja, que nos tornemos agentes ativos da transformação de nosso mundo interno e, paulatinamente, do mundo externo”. Do Livro Universalismo Crístico Avançado/Roger Bottini Paranhos.

Perguntemo-nos: Como tenho tratado as pessoas com as quais tenho me relacionado? O problema são elas ou sou eu mesmo(a) que me sinto incomodado(a)? Quais as razões que me levam a acreditar que o problema são as outras pessoas? Qual é a dificuldade que tenho para admitir que aquilo que me incomoda no outro é o mesmo defeito que possuo? O que tenho feito para mudar isso? Meus irmãos, as respostas sempre estarão em nosso interior, é só parar e meditar um pouco sobre nossas atitudes. É um erro procurar jogar toda a responsabilidade nos ombros das outras pessoas que fazem parte de nosso cotidiano ou não.

Lembremo-nos do amado mestre Jesus, que proferiu este ensinamento, “Enxergas o cisco no olho de teu irmão, mas não vês a trave em teus próprios olhos”, façamos um estudo sincero de nossos atos e percebamos os pontos a serem mudados e nos observarmos às vezes em que formos cometer os mesmos erros novamente, se ao invés de reagirmos, nos calarmos e nos interiorizarmos, com isso mudaremos e quebraremos os padrões equivocados. Mas para isso, temos que perseverar nas nossas decisões de verdadeiramente mudar.

Não esqueçamos que nosso mundo externo é um reflexo dos sentimentos que levamos em nosso interior. Se é de guerras, só guerras veremos; se é de tristezas e tragédias, só tristezas e tragédias veremos e assim por diante. As mudanças primeiramente começam conosco, para depois se refletirem no mundo exterior. Reflitamos sobre isso meus irmãos.

Nada vale cobrarmos dos outros, por aquilo que não estamos dispostos a mudarmos em nós mesmos, somos espelhos uns dos outros, e que possamos sempre estarmos dispostos a aprender com os nossos defeitos.

Somos todos um, a tua mudança inevitavelmente semeará a mudança no teu próximo e consequentemente a mudança no nosso mundo.

Paz e Luz a Todos!

Vibração Coletiva (20/07/2016) – Mudanças Internas

Mudanças Internas

Queridos irmãos de jornada, nesta semana iremos meditar sobre o progresso que estamos realizando para as mudanças internas que precisamos fazer em relação aos nossos defeitos e imperfeições de nossa alma.

Para que transformemos os nossos defeitos e imperfeições, primeiramente precisamos ter o autoconhecimento sobre nós com muita sinceridade e humildade. Reconhecermos-nos falhos não é nenhum defeito, pois indicará que podemos mudar e fazer diferente. Defeito sim será, se estivermos cientes deles e não procurarmos mudar e usá-los como uma desculpa, uma “muleta”, para as nossas atitudes enfermiças.

As ilusões humanas fazem com que nos distraiamos desta busca interna em favor de nosso progresso moral e espiritual para tornarmos pessoas melhores.

“Na Nova Era, é imprescindível que empreendamos a nossa reforma íntima sincera e consciente para atingirmos a evolução proposta pelo Mais Alto. Isso significa promover verdadeiramente mudanças em nosso interior, de dentro para fora, ou seja, que nos tornemos agentes ativos da transformação de nosso mundo interno e, paulatinamente, do mundo externo”.

Do Livro Universalismo Crístico Avançado/Roger Bottini Paranhos.

Perguntemos-nos: Como tenho tratado as pessoas com as quais tenho me relacionado? O problema são elas ou sou eu mesmo(a) que me sinto incomodado(a)? Quais as razões que me levam a acreditar que o problema são as outras pessoas? Qual é a dificuldade que tenho para admitir que aquilo que me incomoda no outro é o mesmo defeito que possuo? O que tenho feito para mudar isso? Meus irmãos, as respostas sempre estarão em nosso interior, é só parar e meditar um pouco sobre nossas atitudes. É um erro procurar jogar toda

a responsabilidade nos ombros das outras pessoas que fazem parte de nosso cotidiano ou não. Lembremos-nos do amado mestre Jesus, que proferiu este ensinamento, “Enxergas o cisco no olho de teu irmão, mas não vês a trave em teus próprios olhos”, façamos um estudo sincero de nossos atos e percebamos os pontos a serem mudados e nos observarmos às vezes em que formos cometer os mesmos erros novamente, se ao invés de reagirmos, nos calarmos e nos interiorizarmos, com isso mudaremos e quebraremos os padrões equivocados. Mas para isso, temos que perseverar nas nossas decisões de verdadeiramente mudar.

Não esquecermos que nosso mundo externo é um reflexo dos sentimentos que levamos em nosso interior. Se é de guerras, só guerras veremos; se é de tristezas e tragédias, só tristezas e tragédias veremos e assim por diante. As mudanças primeiramente começam conosco, para depois se refletirem no mundo exterior. Reflitamos sobre isso meus irmãos.

Nada vale cobrarmos dos outros, por aquilo que não estamos dispostos a mudarmos em nós mesmos, somos espelhos uns dos outros, e que possamos sempre estarmos dispostos a aprender com os nossos defeitos.

Somos todos um, a tua mudança inevitavelmente semeará a mudança no teu próximo e consequentemente a mudança no nosso mundo.

Paz e Luz a Todos!

Vibração Coletiva (30/03/2016) – Ser Pacífico

Ser Pacífico

Irmãos, se faz necessário que vejamos o quanto de pacíficos, amorosos, tolerantes e todas as outras gamas de bons valores e sentimentos crísticos estamos sendo e emitindo ao todo e a nossa volta.

A forma que ocorrem as situações externas em nossas vidas são as respostas dos sentimentos e atos que estamos emitindo diariamente para o Universo. Observemos se estamos sempre em estado de guerra com os que estão em nossa volta, não aceitando suas opiniões e querendo sempre fazer prevalecer as nossas opiniões em detrimento da opinião do próximo ou exigindo determinados comportamentos dos outros, muitas vezes sem nem ao menos olharmos para nós mesmos com a intenção da autocrítica. Têm-se visto ultimamente na internet e principalmente nas redes sociais, brigas por diferenças de opinião e, nestas horas, a nossa frequência cai drasticamente e nos enveredamos por caminhos escuros, lançando trevas a tudo e a todos que desagrade nosso ego. Geramos, com isso, vários miasmas em nossa alma e jogamos para a atmosfera terrestre muita energia negativa, que recebemos de volta na mesma intensidade que emitimos. E ainda assim não paramos e meditamos sobre nossas atitudes.

Precisamos, meus irmãos, exercitar a tolerância diante daquilo que nos desagrada, precisamos respeitar a opinião de nosso próximo, pois não somos os donos da verdade. Só o Criador sabe realmente o que é o melhor para todos e precisamos exercitar as boas virtudes crísticas que existem para o nosso crescimento espiritual. Para isso é necessário estarmos sempre vigilantes e meditativos, e sempre nos questionando: Como está minha energia hoje? Tenho lançado trevas ao meu redor? Como as pessoas têm reagido em resposta ao que vibro? Como vai o estado do meu ego?

Muitas tragédias poderiam ter sido evitadas se tivéssemos o hábito de meditar nestas questões, sempre sendo pacíficos, tolerantes e benevolentes diante de atitudes que não aprovamos e deixando de sermos reativos logo de pronto. Já chegou o tempo em que reações de raiva, ódio e rancor, precisam ser

abandonadas, e se faz urgente nossa posição de seguirmos na Luz do Cristo. Como esperar um Mundo melhor, se temos atitudes como estas?

…“Hermes nos ensinou há milênios, na famosa “Tábua de Esmeraldas”, a Lei da Correspondência. “O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima”. A nossa atenção está tão concentrada no microcosmo, nosso pequeno mundo, o nosso umbigo, como se diz, que não percebemos o imenso macrocosmo à nossa volta.

O princípio da correspondência afirma que o que é verdadeiro no macrocosmo também o é no microcosmo, e vice-versa. Portanto, podemos aprender as grandes verdades do Cosmo observando o modo pelo qual elas se manifestam em nossa vida.

Se sabemos que cada célula do corpo contém o conhecimento e a estrutura de todo o organismo, podemos, na qualidade de células de Gaia, o grande organismo planetário, mudar a face da matrix a partir de nossa ação individual, como se fôssemos cordas que mudam a sua vibração, trazendo uma nova e transformadora música. É fato! O microcosmo pode influenciar e mudar o macrocosmo! Basta termos consciência disso.

O sistema fará oposição à mudança por causa da sua inércia e desconhecimento. Porém, é possível, sim, promover a Grande Mudança, assim como o massoterapeuta é capaz de harmonizar todo o corpo apenas estimulando pontos específicos dos pés e das mãos, utilizando técnicas de reflexologia.

O Todo mora na intimidade de cada unidade! Cada célula de nosso corpo tem, na sua estrutura íntima, o código de todo o organismo. Desse modo, nós, filhos da Terra, temos esse mesmo código em nossa alma com relação à Gaia. Apenas ainda não temos consciência disso. Quando tivermos, o mundo nunca mais será o mesmo… Mudar o mundo depende apenas da ação consciente que cada um de nós puder promover.”…

Livro Universalismo Crístico Avançado/Roger Bottini Paranhos

Então meus irmãos, reflitamos sobre estas questões.

Muita Paz e Luz a Todos!

Roger Responde 228 – O capítulo adicional do livro “Universalismo Crístico Avançado” já está disponível? Pode ser baixado gratuitamente pelo site?

228 – Pergunta (16/06/2014):  No livro Universalismo Crístico Avançado foi desligada a 3ª pirâmide e a chave para o desligamento neste caso foi o amor. Neste mesmo livro também foi comentado que a 4ª e ultima pirâmide seria desligada e que necessitaria da ajuda das pessoas aqui na terra “encarnadas” e que quando isso acorresse seria informado pelo site do UC. Isso já aconteceu? Um grande abraço para todos fiquem sempre em paz e com Deus.

Roger: Sim, este fato já aconteceu no dia 21 de dezembro de 2012 e o relato completo foi realizado em capítulo adicional do livro “Universalismo Crístico Avançado”. Ele está disponível para qualquer leitor que desejar lê-lo desde 15 de janeiro de 2013.

 Este arquivo PDF, com o relato completo, pode ser baixado no site www.universalismocristico.com.br  Basta acessar a seção “Livros”, clicar no livro “Universalismo Crístico Avançado”. Na página deste livro, mais abaixo, está o ícone para fazer o download do capítulo adicional e gratuito.

Roger Responde 153 – O poder transformador e curativo do verdadeiro despertar da consciência

153 – Pergunta (19/11/2012): Roger, meu querido e amado irmão, fiz uma cirurgia no final do ano passado para retirada de um tumor cancerígeno. Depois disso fiz quimioterapia e diversos tratamentos complementares. Nesse meio tempo, eu descobri  os seus livros “por acaso” e comecei a lê-los, de forma ávida, um após o outro. Me tornei outra pessoa. Os conceitos que aprendi de Hermes e de você mudaram a minha forma de pensar de um jeito marcante. Pensei estar curada, mas, mesmo assim, em agosto o câncer voltou de forma mais agressiva. O meu médico recomendou uma nova cirurgia o mais rápido possível  para a remoção das áreas afetadas, antes que se alastrasse mais. Mas tivemos que esperar porque o meu sistema imunológico estava enfraquecido e o nível de plaquetas no sangue não atingia o  mínimo necessário para a cirurgia. Mesmo com a volta da doença, não me abalei. Enquanto isso, eu  segui com as minhas leituras de teus livros para acalmar o meu coração. Até que chegou em minhas mãos o último deles: o “Universalismo Crístico Avançado”. Não sei dizer o que me aconteceu desde então… Parece que eu o lia em outra dimensão… na dimensão do espírito…. acompanhando vivamente os teus passos nessa incrível jornada. Isto fez com que eu sentisse energias divinas brotando do fundo de minha alma, como nunca havia sentido antes… Terminei a leitura nos amoráveis braços de Jesus, assim como fez o nosso adorável Fiel. Por fim, neste abençoado estado de espírito, recuperei o meu sistema imunológico e fiquei apta para a cirurgia. O meu médico realizou novos exames para ver como trabalharia melhor a área afetada. E então algo incrível aconteceu: Roger, todo o câncer havia desaparecido, como se nunca tivesse existido! O meu médico ficou estarrecido. Sem palavras… Ele quer que eu faça novos exames, mas eu sei… Estou digitando essa carta com lágrimas nos olhos e mãos trêmulas, pois recebi a notícia há poucas horas… Não sei se estou sonhando ou acordada… Estou em estado de graça… Deus seja louvado…. Por isso preciso te perguntar:  Como isso ocorreu? Que milagre foi esse? Foi intervenção de Hermes? Ou do abraço de Jesus ao final da leitura? Seus livros tem o poder de curar?Ou será efeito da Vibração Coletiva do Universalismo Crístico que acompanho todas as quartas-feiras? Li que Hermes disse que os participantes recebem bênçãos curativas. Diga-me, por favor, para eu divulgar com ainda mais fervor essa “boa nova” do Universalismo Crístico por todo o reino de meu amado Deus! Quero que todos que sofrem (como eu sofri) sejam abençoados pelas palavras do “Deus Vivo” que fluem pelas tuas mãos abençoadas, querido irmão. Deus lhe dê em dobro tudo o que você tem feito por nós. O que você faz por nós, seus irmãos, jamais teremos como pagar. Sei disso! Portanto, saiba que você fará parte de minhas orações diárias até o último de meus dias nessa vida. É o mínimo que posso fazer.

Roger: Querida amiga e irmã, esta certamente é a pergunta mais emocionante que recebi desde o início do espaço “Roger Responde” no final de 2009. Deus sabe a alegria que sinto nesse momento em te dizer que não foi os nossos livros, nem Hermes, nem Jesus quem te curou. Foi simplesmente tu mesmo que realizaste a cura ao se permitir despertar para verdadeira consciência e compreensão do objetivo da vida. Eis o misterioso poder da fé e da aquisição da sincera espiritualização!

Todavia, os nossos livros e, principalmente o último, “Universalismo Crístico Avançado”, merecem sim o reconhecimento por serem “detonadores psíquicos” que causam o despertar das pessoas, fazendo com que floresça em suas almas o “Cristo interno” que lá se encontra adormecido. A profunda expansão da consciência provocada pelo nosso livro mais recente é o que leva as pessoas a esse estado de espírito em que te encontras; e, nessa sintonia, tudo de bom certamente começa a acontecer… Por isso, precisamos divulgar mais e mais este trabalho do qual sou apenas um canal do Mais Alto. Chegou o momento. É a hora de estabelecermos a “Nova Era” na Terra. Vamos juntos mudar a consciência coletiva do nosso planeta!

Eu sabia que o livro “Universalismo Crístico Avançado” seria mágico, pela intensidade de cada capítulo e por seu desfecho magistral com o Grande Mestre. Mas não tinha ainda imaginado que ele teria tamanho poder de mobilizar as forças internas dos leitores para promover um “milagre” dessa magnitude. Isto é algo realmente maravilhoso! É difícil até mesmo falar sobre o conteúdo de teu depoimento… Assim como é difícil falar sobre o conteúdo deste livro… Agora, que eu saí do profundo mergulho que realizei junto com Hermes para realizá-lo, é que passo a enxergar “de fora” toda a beleza desse profundo tratado de saber e amor espiritual. Somente quem o lê pode entender a sua grandiosidade e depois termina assim como eu, sem palavras para o descrever, tal o deslumbramento que esta obra pode causar nas almas já despertas para a Grande Busca.

Deus te abençoe pela tua cura. E não pela cura do corpo, pois essa se reflete somente nessa vida transitória e de ilusões. Quem se cura e não desperta para a Verdadeira Vida… nada conquistou… Para este, a cura não teve valia, a não ser para acalmar o seu próprio ego, ainda escravo dos desejos humanos. Mas, no teu caso, ocorreu o despertar e a cura da própria alma, que é eterna e te propiciará uma caminhada completamente instigante e de muita felicidade para o futuro. Aproveita bem a benção que recebeste do Criador dos Mundos.  “A cada um é dado segundo as suas obras”. Apenas recebeste de acordo com a semeadura de tua nova consciência.

Roger Responde 138 – Realizar missões em situações adversas.

138 – Pergunta (06/08/2012): Boa noite Roger! Eu já li alguns de seus livros. Acho que você foi corajoso por expor-se tanto, contando sobre seus erros passados e o admiro por isso. Atualmente estou lendo “Universalismo Crístico – O Futuro das Religiões”. Para mim o que o Rafael diz é algo fácil de entender, mas até agora durante a leitura, tive uma reflexão: e se Rafael ao invés de ter reencarnado numa família bem estruturada financeiramente e moralmente, ele tivesse nascido numa favela com uma família desestruturada, como seria? Ele demonstra ser um espírito iluminado, com elevado grau de conhecimento para levar adiante a sua missão de preparar o terreno para o surgimento de alguém com uma missão maior ainda (Gabriel??), mas será que vivendo aqui na Terra numa situação adversa como a maioria dos seres humanos vive, ele teria disposição e ânimo para encarar um trabalho tão difícil?

Roger: Creio que a condição social e financeira não seja empecilho para a realização de uma missão. Espíritos encarregados de reencarnar e realizar tarefas de conscientização da humanidade geralmente executam com êxito as suas missões independente da situação. Francisco de Assis era rico e abandonou tudo para viver na pobreza e realizar aquilo a que se propôs. E temos aqui mesmo no Brasil, recentemente, um grande exemplo nesse sentido. Chico Xavier nasceu em família muito pobre, perdeu a sua querida mãe cedo, sofreu maus tratos na infância e, mesmo com todas essas adversidades, realizou uma das mais impressionantes missões de esclarecimento espiritual da história de nossa humanidade. Espíritos com a característica de Rafael, descrito em nosso livro “Universalismo Crístico – O Futuro das Religiões”, possuem um caráter inquebrantável. Nada os impede de atingirem os seus objetivos, quer nascendo em uma família rica ou em meio a uma favela controlada por traficantes.

O nosso novo livro “Universalismo Crístico Avançado” que será lançado em setembro, entre diversos outros temas, aborda a importante questão da caridade assistencialista versus a caridade que promove o desenvolvimento humano, que é, também, indiretamente, tema desta pergunta. Neste novo livro, o leitor terá mais de 400 páginas que abordarão os temas fundamentais das propostas futuras do U.C., entre elas, esta questão especifica, no capítulo 15.

Neste capítulo, o leitor perceberá que a verdadeira caridade ensinada por Jesus não foi a de “dar o pão” sem trabalho, mas, sim, a dos valores espirituais e de estimular e educar para o esforço próprio. O grande Mestre sempre trabalhou nos locais onde ficou hospedado por mais tempo, com o objetivo de não se tornar um peso para aqueles que o acolhiam com carinho e amor. É dessa forma que devemos nos portar. Ficarmos dependentes da esmola alheia, sem procurar trabalhar e evoluir, não é uma atitude virtuosa. Quando Jesus estimulava a caridade assistencialista é porque o cenário de miséria em que se encontravam os pobres da época era tão grande e caótico que não lhe permitia alternativa. Hoje, os tempos são outros. Temos que criar ações que estimulem a inclusão social dos que se encontram à margem da sociedade. O assistencialismo deve ser feito somente em situações urgentes. Jamais devemos tornar essa prática uma rotina. Em vez de tratar os assistidos como incapazes, temos que estimulá-los a um gradual desenvolvimento pessoal. Devemos ensinar a pescar, e não dar o peixe… Se nós desejamos fazer um projeto de construção e avanço da humanidade, temos que ensinar os nossos irmãos a caminharem com as suas próprias pernas.

Iniciativas como o projeto Universalismo Crístico deveriam ser sempre louvadas e apoiadas por todos que têm esperança de construir um mundo melhor e mais espiritualizado. A maior ação que podemos realizar pelo bem de nossos semelhantes é dar-lhes educação e conscientização espiritual. E isso nós só conseguiremos com ações concretas, organizadas e realizadas de forma profissional. É necessário ensinar a pescar em vez de dar o peixe! A caridade ainda está muito focada no assistencialismo, porque é mais fácil “dar o peixe” do que se envolver e se comprometer a ajudar projetos de conscientização espiritual e, assim, realizar a verdadeira beneficência, que consiste em “ensinar a pescar”. Precisamos mudar esse cenário arraigado em nossa cultura por séculos! O assistencialismo é uma solução cômoda para quem realiza a caridade, porém termina causando mais prejuízos do que benefícios a quem o recebe.

É necessária a fortificação do caráter individual, através de eficientes modelos educacionais, e não o simples incentivo e louvor a toda espécie de assistencialismo. Temos que ter bom senso para avaliar em qual momento é realmente urgente e necessário dar o peixe, fazendo-o apenas por um período determinado a fim de evitar a dependência. Nas demais situações, a melhor caridade é, sem dúvida, ensinar a pescar, permitindo assim que crianças carentes tenham condições de obter o suporte filosófico, educacional, social e espiritual para se sentirem inspirados a realizar tarefas semelhantes às relatadas nos dois livros sobre o Universalismo Crístico.

 

Roger Responde 137 – Como será o livro Universalismo Crístico Avançado?

137 – Pergunta (30/07/2012): Roger, o novo livro será um manual de instruções que explica como fazer para se sintonizar com a LUZ? Ou um manual de como devemos proceder para encontramos o nosso caminho para Evoluir? O que significa o “Avançado” do nome “Universalismo Crístico Avançado”?

Roger: No livro que lançamos no ano de 2007, “Universalismo Crístico – O Futuro das Religiões” nós nos concentramos em trazer uma visão mais básica da compreensão espiritual do terceiro milênio. Nele, enfocamos a importância de nos libertarmos da visão dogmática e exclusivista de uma única religião, por meio da compreensão de que todas as crenças do planeta são verdadeiras e provêm de Deus, trazendo uma única mensagem essencial: “ama o teu próximo como a ti mesmo”. Neste livro, afirmamos que a verdade é relativa, pois ela é um reflexo da percepção limitada de cada época, de cada cultura e de cada povo. Com o avanço da consciência e compreensão espiritual dos alunos da “escola Terra”, a verdade vai se revelando de forma mais ampla, iluminando-se e libertando-se de antigos dogmas e preconceitos, mostrando-se de forma mais universal, tolerante e com maior clareza.

No novo livro que já está pronto e encontra-se em fase de revisão, “Universalismo Crístico Avançado”, apresentamos três novos alicerces de compreensão espiritual, focados nas questões comportamentais, e não de crenças, que são: primeiro “a compreensão profunda e verdadeira do amor”, segundo “a busca do autoconhecimento” e o terceiro “entender a forma como pensa o nosso semelhante”. E, além disso, apresenta dois roteiros. O primeiro é: tudo que foge a lei do amor deve ser descartado, pois não provém de Deus. E o segundo é a autoavaliação! Precisamos mensurar se estamos nos conhecendo melhor e entendendo o nosso próximo, baseado nos preceitos sagrados do amor. Essa é a fórmula elementar para evoluirmos em harmonia com os nossos semelhantes.

Nesse segundo roteiro, vemos que é fundamental analisar o nosso progresso, tanto na busca de nosso autoconhecimento como na compreensão de nossos semelhantes. Para isso, no livro novo, Hermes apresenta alguns métodos para que o leitor possa fazer essa sua autoavaliação. Entre eles, estão alguns exercícios para reprogramação da mente. A correção de nossos hábitos diários, iniciando-se em nossos pensamentos, é um grande passo para termos uma relação mais harmoniosa com o mundo. E, para isso, precisamos nos livrar de nossos maus hábitos.

O livro não será um manual de instruções, mas sim, um conjunto de diálogos com Hermes, de forma romanceada, onde ele nos apresenta diversas reflexões e processos de autoavaliação para despertarmos para o real caminho da evolução. Mas não se preocupem. O livro não será de difícil compreensão e monótono. Permeando toda a história, serão apresentadas exemplificações bem interessantes e que remeterão o leitor a profundas reflexões. Essa abordagem prenderá a atenção dos leitores de forma única. Já que todos os ensinamentos que forem apresentados de forma teórica, serão vistos também na prática, imprimindo ao livro realismo, emoção e dinamismo, cativando a atenção de todos de forma impressionante.

Roger Responde 136 – Implantação do Universalismo Crístico na Terra.

136 – Pergunta (23/07/2012): Olá Roger, ao lermos e analisarmos a trilogia da implantação do monoteísmo da Terra, percebemos que qualquer implantação de novas ideias é sempre realizada por partes, porque somos ainda difíceis e avessos a novas mudanças. Porém, percebemos que a espiritualidade, que sempre inspirou a humanidade nesses momentos, sabia exatamente até que ponto aquela parte do projeto seria aceita. Entendo o Universalismo Crístico também como um projeto em “etapas”, que talvez sejam mais curtas e menos sofridas pelos novos eleitos que estão chegando e para chegar. Como podemos avaliar e compreender melhor quais são os passos que devemos realizar nesse momento atual? Akhenaton imaginou que conseguiria realizar seu projeto instituído pelo amor, mas o Plano Divino sabia que seria somente um primeiro passo, pela mentalidade da época. Qual então a orientação que você e Hermes podem nos dar sobre até qual ponto podemos e conseguiremos avançar nessa implantação da nova visão do terceiro milênio, nesse estágio em que ainda não temos os eleitos tão fortemente presentes?

Roger: Todas as mudanças precisam ser graduais. Sempre que uma nova verdade se revela, existe um período inicial de rejeição e, depois, de aceitação gradual até se tornar uma verdade aceita por todos. Ainda mais no caso de uma revelação que exige consciência e aceitação, ao contrário das religiões do passado onde terminava ocorrendo uma indisfarçável imposição da verdade.

O Espírito Criador é imutável! É o ser humano que modifica a sua percepção de Deus à medida que evolui, aproximando-se da verdade. No passado, com Moisés, tínhamos uma concepção de um Deus-justiceiro, que punia com rigor os seus filhos rebeldes. Depois, com Jesus, a humanidade amadureceu para a concepção do Deus-amor. A verdade absoluta do “ama ao teu próximo como a ti mesmo” tornou-se roteiro inquestionável de evolução espiritual. E, agora, na aurora da Nova Era, chega o momento da compreensão do Deus-consciência. A civilização futura perceberá que o Espírito Criador não é uma Entidade externa que pune ou ama os seus filhos. Ela se dará conta de que somos todos um com Ele. Estamos interligados e temos a responsabilidade de entender os mecanismos da vida e participar ativamente do processo de amadurecimento de toda a humanidade.

Moisés revelou ao mundo o Deus-justiça e Jesus o Deus-amor. Agora é a vez do Universalismo Crístico, através da sábia orientação de Hermes, revelar o Deus-consciência de forma popular e universal.

Porém, naturalmente, ocorrerá um processo semelhante ao que ocorreu na época de Jesus. As pessoas que estiverem em uma situação confortável dentro do velho sistema reagirão de forma feroz para manter tudo como está. Jesus foi crucificado por pregar uma mudança que exigiria uma nova postura da humanidade, que até hoje em dia ainda não foi bem aceita. Da mesma forma, o Universalismo Crístico apresenta uma visão de liberdade espiritual, mas que exige esforço consciente para libertar-se do casulo da ignorância, com o objetivo de evoluir, tornando-se uma pessoa melhor.

Como a nossa humanidade foi acostumada por séculos a ser conduzida por líderes religiosos (muitas vezes usando cabresto), então, esse é um processo de mudança bem difícil e que precisa ser realizado aos poucos. As religiões trazem mensagens importantes de mudança e crescimento espiritual. No entanto, as pessoas fazem que acreditam e as religiões fazem que estão cumprindo o seu papel. Já o Universalismo Crístico tem a função de “chacoalhar” consciências, despertando-as. Não existe espaço para o comodismo dentro da visão dinâmica do U.C.

Desse modo, assim como nos tempos do cristianismo primitivo, o Universalismo Crístico vem repetir as palavras de Jesus, quando nos diz que não veio “trazer a paz, mas sim, divisão”, que veio “separar irmão de irmão”. Ou seja, a nova consciência do UC mudará a forma de pensar daqueles que já despertaram, naturalmente fazendo-os viver e pensar de uma forma que não mais se coaduna com a alienação vigente nos dias atuais, desligando-os da sintonia hipnótica que ainda escraviza a humanidade em geral.

Quem despertar para a consciência espiritual do terceiro milênio, dificilmente ficará satisfeito com a vida como ela é hoje. Um sentimento de idealismo irresistível o fará se engajar na tarefa de libertar os seus demais irmãos, através de ações conscientes que todos construiremos juntos a partir do projeto Universalismo Crístico na Terra.

Entretanto, o Universalismo Crístico é uma iniciativa espiritual de amor, paz e respeito. Os passos terão que ser graduais e realizados de forma pacienciosa. As pessoas devem aceitar o U.C., através de profunda compreensão e entendimento. Seria ilógico impormos uma ideia que prega a liberdade. O Universalismo Crístico precisa ser enraizado lentamente nas consciências, pois ele deve ser como uma árvore frondosa, bem enraizada, que os ventos fortes e as tempestades da incompreensão humana não conseguirão derrubar. Ao mesmo tempo, deverá ser flexível como os bambus, que se vergam para adaptar-se à vida, porém jamais se quebram.

Portanto, temos que avançar, gradualmente, anos após ano, observando o amadurecimento da humanidade e a sua capacidade de absorver a nova verdade. Como já afirmamos em outras oportunidades, a verdade absoluta está nas mãos de Deus. O que temos no momento são verdades relativas que atendem ao nível atual de compreensão e evolução da humanidade. Nossa tarefa é ampliar o entendimento da verdade, impulsionando o homem a crescer passo a passo, para assim tornar-se apto a ingressar na consciência espiritual do terceiro milênio.

O novo livro “Universalismo Crístico Avançado”, que será lançado no dia 15 de setembro deste ano, abordará com profundidade tudo o que falamos nessa pergunta.

Roger Responde 126 – Dificuldade dos educadores para despertar os jovens

126 – Pergunta (14/05/2012): Olá Roger! Sou professora numa Escola Pública do Estado de São Paulo e muitas vezes fico pensando como despertar nos adolescentes o interesse para uma aprendizagem significativa. As deficiências são tantas que às vezes torna-se muito difícil. Como uma educadora pode contribuir para a evolução destes jovens? Eu tento fazer o possível para despertá-los para o estudo mas confesso que poucos se dedicam. A prova são estes índices baixos que vemos nas avaliações! O que fazer?

Roger: Oi querida amiga, essa é uma das nossas principais preocupações também. No novo livro “Universalismo Crístico Avançado” que será lançado em setembro desse ano, abordamos o tema com profundidade, dedicando a ele um capítulo exclusivo e diversas outras reflexões durante todo o livro.

Um dos principais pontos abordados diz respeito a estimularmos nos jovens o saudável hábito de filosofar, ao invés de apenas ensinarmos o conteúdo tradicional de forma mecânica, que é importante para a formação humana. Hoje em dia os homens parecem robôs, que são facilmente manipulados por instrumentos de manipulação de massas. Tudo porque a filosofia, o ato de pensar e chegar a conclusão por suas próprias reflexões, foi completamente abandonada do modelo educacional vigente. As escolas precisam resgatar o modelo educacional filosófico e reflexivo. Hoje em dia os alunos apenas decoram as matérias, sem “integrar o conhecimento”. Eles não compreendem o significado daquele saber para o seu desenvolvimento humano e espiritual. Muitos nem lembram mais o que estudaram no ano seguinte, tornando-se adultos sem opinião própria e sem capacidade de conceber reflexões que poderiam ajudar muito em suas profissões e vidas.

Outro ponto que abordamos é que a educação familiar e a escolar são os alicerces máximos da boa formação do homem. A criança que recebe uma educação positiva e com bons valores, através dessas duas estruturas, tornar-se-á um adulto de sucesso e feliz. Precisamos preparar o terreno para as novas gerações que se sintonizarão naturalmente com a luz. Precisamos educá-las desde cedo para que vejam o caminho de paz e amor que devem seguir. Uma revolução na educação precisa ser iniciada. Esse é um dos principais papéis que o Universalismo Crístico defenderá quando estiver plenamente estruturado por todo o pais. As novas gerações, de boa índole, se bem formadas desde a infância, estabelecerão na Terra a Nova Era.

Se nós desejamos perpetuar na Terra um elevado padrão de vida e desenvolvimento humano e espiritual, tornando os homens conscientes, livres e pacíficos, esse caminho encontra-se, sem dúvida alguma, na educação através de efetivos modelos de conscientização e despertar. Ensinar os nossos filhos a pensarem e lhes oferecer conhecimento é a melhor herança que poderíamos dar a eles e ao mundo como um todo. Os pais e educadores devem perceber isso e ensinar e estimular nas crianças o que realmente importa. Não se consegue formar homens e mulheres valorosos por meio de elogios fúteis, focados no ego de cada um. Para isso é preciso incentivá-los a comportamentos e valores dignos.

Infelizmente esse espaço é muito pequeno para abordar com profundidade um tema tão importante. Mas logo logo, o livro “Universalismo Crístico Avançado” estará disponível para todos com dezenas de páginas a respeito desse tema.

Roger Responde 121 – Existe a chama violeta? Ela transmuta carmas?

121 – Pergunta (09/04/2012): Li no livro “Universalismo Crístico O futuro das religiões” que a chama violeta não ajuda a transmutar os carmas do passado e purificar o espírito. Pergunto: Existe a chama violeta? Para que serve? Por que tanto se fala nela? Como ela se encontra em tantos sites e vídeos? Tinha uma grande atração por Saint Germain e a chama violeta e fiquei desapontada com essas afirmações.

Roger: Esse questionamento tem o mesmo enfoque da pergunta da semana passada. Amigos, como afirma o livro, purificar o espírito, ocorre porque em conexão com a crença da Chama Violeta entramos em um estado vibracional superior, ou seja, de oração. Saint Germain e os outros mestres trabalham conosco nessa vibração que nos impulsiona e cria melhores condições para evoluirmos, como falamos na semana passada. Agora, quanto a queimar o carma, não existe queima de carma sem mudança de padrões de comportamento. Não basta sintonizar-se com a Chama Violeta e continuar repetindo os mesmos padrões de comportamento que levam ao desequilíbrio.

Como diz o livro “Universalismo Crístico básico”: queimar carma só se consegue através da correção do mal cometido, ou seja, através da prática direta do Bem. Não se iludam com relação a isso. Mesmo porque aquele que fica em pleno estado de meditação e purificação jamais consegue perfeita harmonia de espírito se ainda encontra-se em desavença com algum irmão ou realizando práticas antifraternas. Não existe queima de carma sem reforma íntima e harmonização com o seu próximo.

Se não fosse assim, onde estaria o mérito de resolvermos os nossos problemas somente meditando, sem uma real ação para corrigir os nossos erros e sem ajudar aqueles a quem fizemos mal? Em nosso novo livro “Universalismo Crístico Avançado” falamos em determinado capítulo sobre o carma. Até revelei esse trecho do livro em nosso grupo de emails do UC-Brasil. http://groups.google.com/group/uc-brasil Vou reproduzir aqui, também, no “Roger Responde” para que todos tenham acesso de forma antecipada a parte do conteúdo do novo livro.

Eu analisei o caso, consultando a sua tela mental e as anotações feitas pelos demais atendentes na ficha do paciente. Verifiquei o carma que teria de resgatar nessa última existência e percebi algo muito interessante: não havia ocorrido o resgate cármico, apesar de todo o sofrimento que vivera devido ao seu corpo ter sido consumido pela doença.
As pessoas com consciência espiritual acreditam que estamos aqui para regatar carmas do passado. Só que, algumas vezes, não tem consciência de que não basta apenas “resgatar carmas”, é necessário realizar uma mudança de padrões de comportamento. Só assim o ciclo se encerra!
O paciente que eu estava atendendo desencarnou consumido por um terrível câncer de pâncreas, devido ao rancor e ressentimento em sua alma. E já era a sua terceira reencarnação consecutiva que descia à matéria para vencer o mesmo desequilíbrio da alma.
Nas questões cármicas, o que realmente importa, é o aprendizado. Se ele não ocorrer, o carma não é regatado, por mais que tenhamos sofrido com a sua ação impiedosa.
Inclusive, o carma pode até ser mudado, ou anulado, a partir do aprendizado. A função de nossas experiências na matéria é provocar evolução interna, ou seja, aprendizado em direção à luz. Não existe punição divina! O homem é que ainda percebe a causa da dor dessa forma distorcida.
Apenas viver o carma não é suficiente. É necessário aprender com ele e modificar-se para melhor. No caso que eu analisava era possível ver que o seu corpo espiritual ainda repetiria aquele mesmo padrão enfermiço em sua existência seguinte. E isso ocorre com muitas pessoas teimosas que não aceitam o ponto de vista de seus semelhantes quando lhes indicam a necessidade de se modificarem para melhor.

← Previous Page