Author Equipe UC

A
Dor Ensina

Queridos irmãos, nessa semana convidamos a todos para refletir sobre o
papel da dor em nossa existência. A falta de entendimento sobre a vida imortal
e os mecanismos de nosso Pai, faz com que acreditemos que a dor é um martírio,
enquanto na verdade, ela é um freio, um aviso ou a chave de algum aprendizado
que tanto relutamos em vivenciar.

Existem dois tipos de dores que normalmente sentimos, as dores do corpo
físico e as dores da alma. As dores no corpo físico podem aparecer como doenças
congênitas ou aquelas que se desenvolvem ao longo de nossas vidas. As dores da
alma, mesmo que possamos carregar de outras encarnações, normalmente se
desenvolvem com o tempo de acordo com as experiências que o espírito encarnado
passará em sua atual existência.

Em ambos tipos de dores, somos nós que escolhemos passar por elas. As
doenças no corpo físico servem para expurgar de nosso perispírito as toxinas
que adquirimos através de atitudes impróprias no passado, funciona como uma
limpeza da alma. Como exemplo, podemos supor que em uma outra encarnação
cessamos nossa própria vida com o uso de entorpecentes, com isso, teremos que
obrigatoriamente “limpar” nosso perispírito, podendo ser através de uma outra
vida sendo portador de uma doença mental por exemplo. Além disso, muitas vezes
elas também são acionadas como um freio para que não desperdicemos ainda mais a
nossa encarnação, adquirindo mais débitos para quitar, passando por provas
ainda mais sérias no futuro. Nesse caso, como exemplo, podemos citar alguém que
ingere exageradamente bebidas alcoólicas e desenvolve a cirrose hepática -
doença degenerativa que afeta seriamente o fígado - certamente a recebe como um
presente, pois será mais um motivo para se afastar do vício, caso contrário
colocará sua própria vida em risco.

Além do expurgo das toxinas, a doença também funciona, como um grande
reformador psíquico, não só para quem adoece, mas como também para toda família
e amigos, que se mobilizam em benefício de quem a sofre para auxiliá-lo. Quando
se recebe a notícia que temos alguma doença, permanecemos por algum tempo em
estado reflexivo, pensamos em o que poderíamos ter feito para evitá-la, assim
como a grande dúvida que surge: porque eu? A partir desse primeiro porque,
vários outros surgem e as dúvidas são a motivação para a busca pelas respostas,
que normalmente nos levam a um novo processo em nossa vida e começamos a
enxergar as coisas de outra forma. Algumas pessoas se revoltam, piorando ainda
mais o panorama da situação, mas sábios são os que aproveitam essa oportunidade
para realizarem a sua reforma íntima e acenderem em sua evolução espiritual.

As dores da alma são sensações que estão gravadas em nossa tela mental
ou então a concentração de cargas negativas que absorvermos das situações que
passamos na vida. Podem aparecer a partir de diversos tipos de traumas, diante
da perda de um ente querido, bullings passados na adolescência ou até
atualmente, dificuldades na convivência familiar, problemas no trabalho, etc.
Todos esses acontecimentos podem gerar dores de alma, mas também podem
facilmente ser amenizados ou aniquilados com o monitoramento de nossos
pensamentos e a busca por entendimento espiritual.

Para sabermos se o caminho que escolhemos ou que iremos escolher pela
busca de entendimento espiritual é sério e confiável basta que façamos uma
única pergunta: isso me torna uma pessoa melhor? Se a resposta for sim, poderá
ficar tranquilo que você estará trilhando o caminho certo. Todos os caminhos
que fazem com que nos tornemos pessoas melhores nos ensinam o amor ao próximo
assim como a nós mesmos e ao Criador sobre todas as coisas.

Para evitarmos as dores em nossa vida precisamos pensar antes de agir e
falar, mudar nossas atitudes quando vemos que dessa forma não está dando certo
ao invés de querer mudar o outro, procurar sempre fazer o bem ao próximo sem
que prejudiquemos a nós mesmos, para que assim possamos deitar todos os dias a
cabeça no travesseiro com a consciência tranquila, tendo a certeza de que se
acordarmos amanhã em outro plano, conseguiremos seguir a nossa caminhada com a
sensação de missão cumprida, por isso lembremos sempre que a vida criada por
Deus é perfeita, nada acontece sem que haja um motivo justo, tudo tem uma
razão.

Não é por acaso que existe a dor, ela é uma consequência de nossos
costumes atrasados e por isso a nossa humanidade ainda precisa dela para
evoluir. Vibremos não para que a ela não exista, pois isso ainda é impossível,
mas que para quando for inevitável encontrar a dor, saibamos utilizá-la como
uma ponte que nos leva ao encontro do mais sublime dos sentimentos, pois a dor
que sentimos tem como objetivo final, nos ensinar como transmitir do fundo de
nossa alma, o amor que liberta!!!!!!

Paz e luz a todos!

Vibração Coletiva (30/09/2020) – A dor ensina

A
Dor Ensina

Queridos irmãos, nessa semana convidamos a todos para refletir sobre o
papel da dor em nossa existência. A falta de entendimento sobre a vida imortal
e os mecanismos de nosso Pai, faz com que acreditemos que a dor é um martírio,
enquanto na verdade, ela é um freio, um aviso ou a chave de algum aprendizado
que tanto relutamos em vivenciar.

Existem dois tipos de dores que normalmente sentimos, as dores do corpo
físico e as dores da alma. As dores no corpo físico podem aparecer como doenças
congênitas ou aquelas que se desenvolvem ao longo de nossas vidas. As dores da
alma, mesmo que possamos carregar de outras encarnações, normalmente se
desenvolvem com o tempo de acordo com as experiências que o espírito encarnado
passará em sua atual existência.

Em ambos tipos de dores, somos nós que escolhemos passar por elas. As
doenças no corpo físico servem para expurgar de nosso perispírito as toxinas
que adquirimos através de atitudes impróprias no passado, funciona como uma
limpeza da alma. Como exemplo, podemos supor que em uma outra encarnação
cessamos nossa própria vida com o uso de entorpecentes, com isso, teremos que
obrigatoriamente “limpar” nosso perispírito, podendo ser através de uma outra
vida sendo portador de uma doença mental por exemplo. Além disso, muitas vezes
elas também são acionadas como um freio para que não desperdicemos ainda mais a
nossa encarnação, adquirindo mais débitos para quitar, passando por provas
ainda mais sérias no futuro. Nesse caso, como exemplo, podemos citar alguém que
ingere exageradamente bebidas alcoólicas e desenvolve a cirrose hepática –
doença degenerativa que afeta seriamente o fígado – certamente a recebe como um
presente, pois será mais um motivo para se afastar do vício, caso contrário
colocará sua própria vida em risco.

Além do expurgo das toxinas, a doença também funciona, como um grande
reformador psíquico, não só para quem adoece, mas como também para toda família
e amigos, que se mobilizam em benefício de quem a sofre para auxiliá-lo. Quando
se recebe a notícia que temos alguma doença, permanecemos por algum tempo em
estado reflexivo, pensamos em o que poderíamos ter feito para evitá-la, assim
como a grande dúvida que surge: porque eu? A partir desse primeiro porque,
vários outros surgem e as dúvidas são a motivação para a busca pelas respostas,
que normalmente nos levam a um novo processo em nossa vida e começamos a
enxergar as coisas de outra forma. Algumas pessoas se revoltam, piorando ainda
mais o panorama da situação, mas sábios são os que aproveitam essa oportunidade
para realizarem a sua reforma íntima e acenderem em sua evolução espiritual.

As dores da alma são sensações que estão gravadas em nossa tela mental
ou então a concentração de cargas negativas que absorvermos das situações que
passamos na vida. Podem aparecer a partir de diversos tipos de traumas, diante
da perda de um ente querido, bullings passados na adolescência ou até
atualmente, dificuldades na convivência familiar, problemas no trabalho, etc.
Todos esses acontecimentos podem gerar dores de alma, mas também podem
facilmente ser amenizados ou aniquilados com o monitoramento de nossos
pensamentos e a busca por entendimento espiritual.

Para sabermos se o caminho que escolhemos ou que iremos escolher pela
busca de entendimento espiritual é sério e confiável basta que façamos uma
única pergunta: isso me torna uma pessoa melhor? Se a resposta for sim, poderá
ficar tranquilo que você estará trilhando o caminho certo. Todos os caminhos
que fazem com que nos tornemos pessoas melhores nos ensinam o amor ao próximo
assim como a nós mesmos e ao Criador sobre todas as coisas.

Para evitarmos as dores em nossa vida precisamos pensar antes de agir e
falar, mudar nossas atitudes quando vemos que dessa forma não está dando certo
ao invés de querer mudar o outro, procurar sempre fazer o bem ao próximo sem
que prejudiquemos a nós mesmos, para que assim possamos deitar todos os dias a
cabeça no travesseiro com a consciência tranquila, tendo a certeza de que se
acordarmos amanhã em outro plano, conseguiremos seguir a nossa caminhada com a
sensação de missão cumprida, por isso lembremos sempre que a vida criada por
Deus é perfeita, nada acontece sem que haja um motivo justo, tudo tem uma
razão.

Não é por acaso que existe a dor, ela é uma consequência de nossos
costumes atrasados e por isso a nossa humanidade ainda precisa dela para
evoluir. Vibremos não para que a ela não exista, pois isso ainda é impossível,
mas que para quando for inevitável encontrar a dor, saibamos utilizá-la como
uma ponte que nos leva ao encontro do mais sublime dos sentimentos, pois a dor
que sentimos tem como objetivo final, nos ensinar como transmitir do fundo de
nossa alma, o amor que liberta!!!!!!

Paz e luz a todos!

Vibração Coletiva (23/09/2020) – O aprendizado do envelhecer

O aprendizado do envelhecer

O grande desafio do amadurecimento é alicerçado na sabedoria
adquirida com o passar dos anos, retomar temas dolorosos, porém
esquecidos.  Buscar pessoas que se afastaram de nós por mágoa mútua,
por perdões não concedidos, por inconsciência de males causados a outrem e
retomar o tema. “Re”conhecer o outro e, se possível, e por que não, que o
perdão seja concedido. Que perdoemos a nós mesmos, que não sejamos tão rígidos,
tão exigentes conosco.

O fato de estarmos mais uma vez no ambiente terrestre é
oportunidade ímpar e desejada por muitos espíritos para recuperar o tempo
perdido em outras encarnações. Cada dia passado na terra é precioso. Precioso
pela imensidão de possibilidades para sermos melhores.  

Aproveitemos cada dia para perdoar aqueles por quem ainda sentimos
mágoa, aqueles que nos proporcionaram momentos de dor pois sabemos que cada
provação, cada momento que nos parece por vezes injusto, tem sua razão de ser.
É necessário para nosso crescimento. Estava programado para nosso crescimento e
precisamos enxergar com olhos de amor, precisamos sentir como oportunidade de
crescimento, como exercício de perdão, de humildade, de tolerância, de amor.

Quando passamos por situação de doença séria, de acidente grave ou
outra vivência que intensifique a presença da morte, tomamos consciência da
importância de cada dia. É-nos dada nova oportunidade para rever
relacionamentos, corrigir erros cometidos, verdades não ditas, para tomar
atitudes antes que seja tarde. Antes que chegue a passagem do outro ou a minha
própria passagem.  Não percamos a preciosa oportunidade. Não
esperemos que situação trágica nos auxilie na tomada de consciência. Nós temos
a cada amanhecer, uma nova oportunidade de fazer diferente.

Amigos, vibremos para que tenhamos em nossos corações a força e a
coragem para tomar atitudes dignas, para rever nosso passado em busca de
oportunidades a retomar. Que tenhamos nobreza e humildade para reconhecer erros
cometidos e perseverança para mudar nos sentimentos que povoam nossos corações
para que não tenhamos motivos para temer o tempo perdido.

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (16/09/2020) – Felicidade

Felicidade

Todos
nutrimos o desejo de sermos felizes. Muitas vezes, não é simples dizer o que é
felicidade pois, para cada um, a felicidade tem um sentido, um significado.
 Isso é natural porque cada um toma como referência a sua experiência de
vida ao longo das nossas inúmeras existências.  Pensando sobre a
felicidade, construímos nosso conceito do que é ser feliz. E para você, o que é
felicidade?

Também
podemos ainda pensar sobre outro aspecto da felicidade: o que nos torna
felizes? Invariavelmente buscamos a felicidade como se fosse algo externo ao
nosso ser. Imaginamos alcançar felicidade nas conquistas de nossa sobrevivência
(moradia, relacionamentos afetivos, educação, lazer, entretenimento, condição
social etc). E a todo tempo somos bombardeados com imagens e ideias nos dizendo
como sermos felizes.  Raramente buscamos em nossos recursos internos a
fonte desse estado.

Aristóteles
nos disse que felicidade seria ausência de dor. Será que é possível sermos
felizes diante da dor? O que pensam a respeito disso? Será que a felicidade é
algo distante de nosso estágio atual? A única certeza que podemos afirmar é que
somente em raros momentos a experimentamos.

Por isso, o
tema da vibração coletiva dessa semana é justamente um convite para que façamos
um exercício em que cada um consiga identificar, relembrando seus momentos
felizes, os sentimentos que o envolvem nesse estado. Imaginamos que será uma
rica experiência.  Especialmente porque constataremos que a felicidade é
um estado interior da nossa consciência. Ela não está em algo externo ao nosso
ser e na maioria das vezes confundimos isso, especialmente quando lidamos com a
dor física, moral ou mental. Certo é que, na perfeição da vida, todos temos
gravados em nossas células este estado elevado de vibração. E essa energia
expandida promove esse sentimento chamado de felicidade. Todos poderemos
gerá-la, a cada dia, a cada momento. Abraçando a dor com essa energia,
estaremos trazendo cura, mudando o padrão vibratório dos nossos sentimentos e,
de alguma forma, cultivando  resignação, equilíbrio, suavidade, ou seja,
estágios para a felicidade e harmonia interior.

Não duvide
disso: todos merecemos a felicidade. Nascemos para a felicidade. Mas ser feliz
é uma conquista de cada um. Como diz o monge budista Thich Nhat Hanh: “A maior
benção não é aquela que cai dos céus e nos é dada, mas é a felicidade que cada
um de nós é capaz de gerar para si próprio”.

Não é algo
simples, sejamos sinceros. Exige esforço, tempo, cuidado.  Mas não
deixemos de lutar por essa conquista. Cultivemos a cada dia, a felicidade
interior. É uma grande oportunidade de aprendizagem. Não a desperdicemos!

Paz e Luz a
todos!

Vibração Coletiva (09/09/2020) – Não julgueis para não serdes julgados

Não
julgueis, para não serdes julgados!

Caríssimos amigos de
estrada, iniciamos a nossa reflexão da semana com a seguinte passagem do
Evangelho:

“Não julgueis, a fim
de não serdes julgados; – porquanto sereis julgados conforme houverdes julgado
aos outros; empregar-se-á convosco a mesma medida de que vos tenhais servido
para com os outros.” (S. Mateus 7:1 e 2)

No momento em que
impregnamos nossa mente e coração com o desejo de evoluir, de mudarmos a nossa
conduta para melhor, irradiamos conhecimento seguido de bons exemplos a todos
que nos cercam. Se queremos evoluir, precisamos perder o velho hábito de julgar
os outros. Mesmo que a crítica e o julgamento cheguem junto com a vontade de
auxiliar o próximo, lembremos que antes de ajudar alguém, precisamos começar
por nós mesmos. Nossa forte tendência em analisar e resolver os problemas dos
outros, pode, por vezes, nos mostrar o quanto nos falta tempo e dedicação para
melhorarmos a nós mesmos e para resolvermos os nossos próprios problemas.

Um caminho importante
a seguir para enxergarmos melhor nossa conduta é a busca pelo conhecimento
espiritual. Depois que o adquirimos podemos começar a colocá-lo em prática e
isso caberá a cada um, individualmente, de acordo com as oportunidades que
surgem durante o dia-a-dia. Todas as situações cotidianas são provas que
recebemos para colocarmos o nosso conhecimento em prática, para que vejamos o
que nós mesmos temos a melhorar, para evoluir diante de cada situação e não
analisar os equívocos dos outros.

É necessário que julguemos
menos os nossos semelhantes e passemos a apontar as análises para nós mesmos,
não em nível de cobrança, mas a fim de autoconhecimento e reforma íntima. Todos
os seres humanos acabam passando pelos mesmos problemas e privações, apesar de
elas estarem revestidas através das “capas sociais”. Se analisarmos, as
aflições são sempre as mesmas, guardando as devidas proporções. Os desvios de
conduta moral e corporal, nada mais são do que os vícios do corpo e da alma,
que são as privações pelas quais todos temos que passar, até que aprendamos a
trocá-las por virtudes e bons hábitos, chegando a ascese espiritual.

“Atire-lhe a primeira
pedra aquele que estiver isento de pecado”, disse Jesus. Essa sentença faz da
indulgência um dever para nós outros, porque ninguém há que não necessite, para
si próprio, de indulgência. Ela nos ensina que não devemos julgar com mais
severidade os outros, do que nos julgamos a nós mesmos, nem condenar em outrem
aquilo de que nos absolvemos. Antes de profligarmos a alguém uma falta, vejamos
se a mesma censura não nos pode ser feita. (Evangelho Segundo o Espiritismo,
pág 191)

Convidamos a todos
para fazermos essas análises e refletirmos a fim de que enxerguemos o quanto
todos nós, que estamos na terra, nos assemelhamos, se analisarmos nossas reais
fraquezas. Cada vez que enxergarmos um defeito moral, uma atitude errônea ou um
mau hábito em alguém, tentemos analisar em que aquilo se assemelha as nossas
atitudes já realizadas, a nossa forma de agir e nos hábitos que ainda possuímos.

Esperamos que todos
consigam realizar esses exercícios, que serão excelentes para que possamos dar
um salto em nossa reforma moral, transferindo, automaticamente, esses novos
aprendizados para as mudanças de hábitos. Toda pequena mudança, sem dúvida, irá
refletir em todos que estiverem a nossa volta, auxiliando assim, os que já
estiverem prontos para iniciar a sua própria reforma moral, incentivados,
simplesmente, por nosso exemplo. Não é lindo?

Vibremos para que
consigamos desenvolver a nossa evolução pelo amor, sem precisar que coisas
ruins aconteçam para que comecemos a nos transformar para melhor. Tenhamos a
certeza de que temos todo o amparo necessário do plano espiritual, que segue
cada passo de cada um que está tendo a oportunidade de fazer a diferença na
construção de um mundo melhor, justamente, por já estarmos despertos para a
vida real.

Paz e luz e a
todos!!!

Vibração Coletiva (02/09/2020) – Aceitando as diferenças

Aceitando as diferenças

Somos todos
filhos do mesmo Pai, provenientes da mesma Fonte Criadora e, portanto, todos
irmãos. Porém cada um traz consigo sua própria bagagem e vivências. Cada um de
nós é uma face do Todo Cósmico a evoluir e, assim, todos diferentes em cores,
experiências, linguagens a nos unirmos em um só coração.

Aprender a
aceitar as diferenças é um exercício de amor incondicional, pois são elas que
nos ajudam a crescer, evoluir em sabedoria e amor. Devemos lembrar que nessa
caminhada ninguém é portador da verdade absoluta, pois enxergamos a vida dentro
de nossas limitadas visões e crenças.

Por isso, o
respeito deve ser a base de toda nossa experiência evolutiva, pois ele é
parceiro do amor.

Vamos hoje
unir nossos pensamentos vibrando pela dignidade no nosso mundo rico em
diferenças, onde podemos nos expressar com liberdade e bem-estar!

Paz e Luz a
todos!

Vibração Coletiva (26/08/2020) – Protetores espirituais

Protetores Espirituais

Queridos irmãos de jornada, nesta semana vamos meditar acerca
de nossos protetores espirituais, nossos anjos guardiões que sempre estão
velando por nós e que poucas vezes emitimos um agradecimento em pensamento ou
através de oração vinda do coração a estes irmãos abnegados, que na maioria das
vezes deixam seus próprios interesses pessoais, para nos assistir em nosso
caminhar nesta escola chamada planeta Terra.

A humanidade, alienada e desinteressada de seu progresso
espiritual moral, tornou este momento de contato com nossos protetores algo
mecânico e de pouca relevância.

Muitos de nossos sofrimentos, indagações e dificuldades de
qualquer ordem, seriam plenamente solucionados se tivéssemos o saudável hábito
de meditar, silenciar e serenar a mente para que este contato entre nossos
guias fosse estabelecido e pudéssemos de forma cristalina ouvir seus amoráveis
conselhos em relação às dificuldades apresentadas.

Várias vezes recebemos intuições, “coincidências”
acontecem, amigos e familiares que chegam até nós com uma resposta ou com um
determinado conselho de qual o melhor caminho a seguir, e acabamos por não
acreditar nestes “acasos”, nestas “coincidências” que nos ocorrem. Nossos
protetores agem de diversas formas, usando como canal para chamar a nossa atenção
os que estão a nossa volta, porque nosso canal com eles está bloqueado devido
ao nosso ego e orgulho inflados, que ao invés dos conselhos deles, acabamos
sintonizados com irmãos menos evoluídos espiritualmente que não querem o nosso
bem evolutivo.

Futuramente, com o avanço da Nova Era e com o resgate do
saudável hábito da meditação e expansão de nossas consciências, seremos capazes
de perceber suas presenças mais facilmente em nossas vidas, porque poucos se
dispõe a este maravilhoso exercício.

Para melhorarmos nossa comunicação com nossos amigos
protetores e orientadores espirituais, precisamos sempre nos vigiar e exercitar
os bons valores morais; sermos amorosos, gentis, tolerantes e etc., e estar
sempre com uma boa vibração astral para um bom contato espiritual com o alto.

Irmãos, procuremos serenar nossas mentes para que nossos
irmãos que nos guiam em nossa jornada, possam nos intuir com mais clareza seus
bondosos conselhos. E possamos também reconhecer seus esforços e trabalho
conosco, fazendo uma prece do coração pela amizade e companheirismo. Que
sejamos gratos.

Muita Paz e Luz a Todos!

Vibração Coletiva (19/08/2020) – Porque nascemos?

Porque
eu nasci? Qual a finalidade da vida?

Essas são algumas daquelas perguntas feitas
por uma criança, que me deixa, num primeiro momento sem reação. Dá um branco,
não consigo articular um pensamento ordenado e inteligível para saciar o desejo
de saber do pequenino. Eu sei a resposta, uma resposta que minha razão aceita e
que meu coração concorda, porém, como colocar isso em palavras? A saída
tradicional (que serve para muitas perguntas) não deu certo. Devolvi a pergunta
ao pequenino, para saber o que ele pensava sobre isso, mas… ele respondeu que
tinha pensado muito nisso e não tinha ainda achado uma resposta. Passei então,
a falar sobre a necessidade de evoluir para que possamos , um dia, somente ter
bondade e amor no coração, e que isso é possível quando a gente faz o bem
sempre. Que antes de nascermos – toda a nossa família, combinamos de estarmos
juntos para um auxiliar o outro nesse crescimento e que agora estamos aqui e
precisamos aproveitar ao máximo essa oportunidade e buscar sempre fazer o bem e
ajudar as pessoas a evoluírem também. – Então, quando a pessoa morre, só quem
matou na terra vai viver no inferno onde mora o demônio? – Não, querido. As
pessoas que fazem o mal aos outros, quer com agressão física, quer com palavras
– humilhando e maltratando, ao morrer, não conseguirão enxergar os seres de luz
que estarão à espera para nos auxiliar. E os seres do mal, que já estão no
mundo espiritual, aproveitam essa conexão que as pessoas más têm para
rapidamente direcioná-los para o lado escuro da vida que continua. – E quanto
ao demônio, não existe um ser soberano dessa forma, o que existe são espíritos
que foram muito maus na terra e ao mudar para o mundo espiritual, se sentem tão
culpadas que acabam ficando sujas, fétidas e com aparência assustadora ou
gostam tanto de fazer maldades que não querem mudar de vida.

Essa conversa nos leva a refletir quão
importante é o estudo das coisas, quer seja pelas disciplinas filosóficas,
teológicas, o autoconhecimento, a psicologia quer sejam as doutrinas que nos
colocam a pensar, a entender e aceitar o outro. A colaborar com a expansão da
consciência em busca de um mundo de paz.

Que numa conversa dessa tenhamos embasamento
para esclarecer e cumprir nossa missão de fortalecer e orientar os espíritos
que estão aos nossos cuidados. Um questionamento desse tipo nos leva a estudar,
a buscar o conhecimento para que nossos tutelados não tenham que buscar
respostas em pessoas ou grupos que possam direcioná-los para o caminho das
trevas.

Amados irmãos, vibremos para que a luz divina
direcione nossos passos e os passos de toda a humanidade na busca do amor, da
disciplina e da evolução espiritual e que nossos pequeninos tenham sempre em
nós uma referência positiva e amorosa para seu crescimento espiritual.

Paz e Luz a todos!

Vibração Coletiva (12/08/2020) – A amizade além do plano físico

A
amizade além do plano físico

Hoje nossa reflexão gira em torno do nosso
relacionamento com nosso guia protetor, ou, nosso anjo da guarda.

Antes de retornarmos a este mundo físico para
seguir o caminho da evolução, firmamos compromisso com um ser que nos
acompanhará por toda nossa vida. Esse ser tem como missão nos orientar, dar
sugestões quanto à direção a seguir, a decisões a serem tomadas. Porém, no
nosso caminhar, por vezes, nos esquecemos desse apoio, não nos conectamos ou,
apenas nos lembramos dessa presença amiga, somente nos momentos de aflição.

É importante que mantenhamos esse canal
aberto para comunicação. Mantendo sintonia no bem, na construção de uma
vivência digna, correta, madura, em comunhão de pensamentos e ações de
gentileza, benevolência, amabilidade, caridade. Esse ser jamais nos abandona,
porém, depende de nossas atitudes para que ele possa se fazer presente.

Nos momentos de decisão ele nos inspira
decisões virtuosas, porém, por nosso livre arbítrio podemos segui-las ou não.

Ao persistirmos em ações desacertadas, vamos
criando uma barreira que torna difícil sua transposição. Cabe a cada um de nós,
manter a área livre e aberta para que tenhamos sempre a presença benéfica
desses amigos de luz que tanto torcem pelo nosso sucesso nas tarefas árduas de
crescimento espiritual.

Naqueles momentos de profunda solidão – mesmo
estando em meio à multidão, a doce presença desse espírito protetor nos
fortalece e nos faz sentir um abraço amigo, um sentimento de proteção e afago.
Nos momentos de dor profunda, é o amparo, o abrigo, o saber que tudo é
passageiro e que esse momento também tem seu fim. É o amor que nos dá força
para levantar-se e seguir em frente. É a alegria de viver que retorna ao
espírito cansado pelas lutas terrenas, é a dor aliviada pelo ombro amigo, é
enfim nosso amigo caridoso que estando sempre presente é irmão de alma e
torcedor vibrante pela nossa vitória sobre as provações da vida.

Irmãos de alma, nesta batalha infinita para
que elevemos nosso espírito à luz plena, vibremos para que a ligação com nossos
compromissados protetores se fortaleça e tenhamos todos ouvidos para ouvir,
coração para aceitar e perseverança para seguir no caminho inabalável da luz.

Que a presença do protetor seja sempre
sentida e aproveitada.

Paz e Luz!

Vibração Coletiva (05/08/2020) – Pais educadores

Pais Educadores

Certo dia, Thomas Edson chegou em casa com um
bilhete para sua mãe. Ele disse, “meu professor me deu este papel para
entregar apenas a você. “Os olhos da mãe lacrimejavam ao ler a carta e
resolveu ler em voz alta para seu filho: “Seu filho é um gênio. Esta
escola é muito pequena para ele e não tem suficiente professores ao seu nível
para treiná-lo. Por favor, ensino-o você mesma!”

Depois de muitos anos, Edson veio a se tornar um
dos maiores inventores do século. Após o falecimento de sua mãe, resolveu
arrumar a casa quando viu um papel dobrado no canto de uma gaveta. Ele pegou e
abriu. Para sua surpresa era a antiga carta que seu professor havia mandado a
sua mãe porém o conteúdo era outro que sua mãe leu anos atrás. “Seu filho
é confuso e tem problemas mentais. Não vamos deixá-lo vir mais à escola.”

Edson chorou durante horas e então escreveu em
seu diário: “Thomas Edson era uma criança confusa mas graças a uma mãe
heroína e dedicada, tornou-se o gênio do século.”

Quantos pais e mães dedicados não fizeram de
seus filhos grandes gênios? Não são poucos os exemplos de pessoas que se
tornaram bem sucedidas, de boa índole e bom coração, simplesmente por receberem
boa educação de seus genitores e/ou pais de criação. O dito popular
“educação vem de berço” não é algo que devemos desconsiderar, pois a
formação do nosso caráter ocorre quando ainda somos crianças. E educar não
significa dar boas condições de vida e conforto aos filhos, mas sim, dar as
ferramentas necessárias para que a criança consiga caminhar com as próprias
pernas e seguir o caminho do bem.

Infelizmente, alguns pais e mães passam por
tantas dificuldades das mais diversas que não têm forças e ânimo para educar
seus filhos e filhas… Pedimos que nos acompanhem a vibrar e emanar todo o nosso
apoio a todos os pais e mães deste mundo, para que eles tenham força e
sabedoria para educar seus filhos, transformando nossas crianças em pessoas
mais humanas e de bom coração!

Que a Paz e a Luz estejam em vossos corações!

Vibração Coletiva (29/07/2020) – Chamados Divinos

Chamados Divinos: Você os percebe?

Convidamos a todos nessa semana a refletir sobre chamados divinos, são
muitos os chamados e oportunidades que temos diante de nossa existência
terrena, mas infelizmente não os enxergamos como deveríamos. Se você está
pensando que nunca ocorreu esse chamado “mágico” com você é porque ainda não
percebeu o quanto você é abençoado e amado por Deus e por todo o universo…

Vivemos um cotidiano agitado e por muitas vezes hipnotizador, onde não
se encaixa tempo para pensarmos sobre a vida, mas o nosso Pai nos criou tão
perfeitos, que quando não encontramos conscientemente um momento para refletir,
o nosso corpo faz com que o encontremos. Esse tempo exigido para você mesmo,
pode aparecer através de uma doença em seu corpo ou em entes queridos,
problemas no trabalho, com amigos, família, etc. É a famosa frase que
conhecemos que se não aprendemos pelo amor, a lei de causa e efeito fará com
que aprendamos pela dor.

As dúvidas, as doenças, os problemas surgem como bênçãos que nos fazem
refletir sobre a nossa caminhada, sobre nossos objetivos. São eles que geram
nossos conflitos existenciais, que independente da causa geradora, sempre tem
um único objetivo, nos religar com o nosso próprio eu, com o divino que temos
dentro de nós. Quando entramos em conflitos, nos obrigamos a refletir sobre
nossas reais motivações, sobre os porquês de cada coisa, sobre os porquês da
nossa existência.

Podemos nomear essas crises em nossas vidas de chamados divinos.
Recebemos esses chamados quase que diariamente, são avisos, sinais, mas nem
sempre estamos preparados para ouví-los, ou se o seguimos, dificilmente
atribuímos a um auxílio divino. Esse divino que falamos, não se refere a Deus
propriamente dito, mas aos seres imortais que somos e que existem em todo o
universo trabalhando em prol de nosso bem e de nossa evolução. Como disse
Willian Shakespeare: Existem mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a
nossa vã filosofia.

Tudo se tornará mais fácil se entendermos o que há muito tempo já nos
foi passado: Não é o que a vida fez com você é o que você fez com aquilo que a
vida fez com você. A escolha estará SEMPRE em nossas mãos. O que a vida nos
proporciona SEMPRE será resultado das nossas atitudes e escolhas, portanto
temos que assumir as nossas vidas. Peça opinião de quem ama para que você se
norteie, pois se o resultado não está bom é porque podemos estar fazendo
escolhas equivocadas, mas não fuja da sua essência! Temos que achar o
equilíbrio, se você se basear SEMPRE pelo o que os outros dizem, só para fugir
da responsabilidade que é sua, mesmo assim sofrerá as consequências de suas
atitudes, mesmo que o “mandante” não seja você, você o fez, então responderá
pelos seus atos.

Não foque sua energia no problema e sim na solução. Não assuma o papel
de vítima, lembremos que dificuldades todos temos, elas são os chamados que
recebemos diariamente para que acordemos, se algo não está bom, então vamos
corrigir, o que estamos fazendo para que as dificuldades se dissolvam? Reclamar
só faz com que o problema se torne ainda maior, mas agir, diminui ou até
soluciona o problema, além de nos presentear com mais um degrau que subimos em
direção de nossa evolução.

Que tenhamos sempre tempo para refletir e ouvir os chamados divinos,
assim aprenderemos a utilizar o nosso lado humano e domaremos o nosso lado
animal, conseguindo assim optar pela porta estreita e não pela porta larga.
Quando ouvimos a frase de que muitos são os chamados, mas poucos são os
escolhidos, o chamado vem de Deus, mas a escolha de que caminho seguir é nossa,
SOMOS NÓS QUE ESCOLHEMOS!!!

Paz e luz a todos!

← Previous Page