Author Equipe UC

Foto: Bilal Jawich

Uma enfermeira salvou 3 bebês recém-nascidos que estavam em um hospital destruído após a explosão em Beirute, capital libanesa, nesta terça, 4.

O flagrante foi do fotojornalista Bilal Jawich, que saiu em meio à fumaça, logo após a tragédia, que deixou pelo menos 100 mortos e milhares de feridos até o momento.

“Eu segui a fumaça até chegar ao porto de Beirute”, disse ele à CNN da Arábe, explicando que a “intuição profissional” o levou ao hospital Al Roum, no distrito de Ashrafieh. A área foi devastada pela explosão.

O que ele viu foi notável. “Fiquei surpreso quando vi a enfermeira segurando três recém-nascidos”, disse Jawich.

“Percebi a calma da enfermeira, que contrastava com a atmosfera da região a apenas um metro de distância.” Várias pessoas mortas e feridas estavam por perto, disse ele.

“No entanto, a enfermeira parecia ter uma força oculta que lhe dava autocontrole e capacidade de salvar aquelas crianças. As pessoas se destacam em meio a essas circunstâncias violentas, sombrias e más, e essa enfermeira estava à altura da tarefa”, disse ele.

Jawich contou que a enfermeira disse a ele, mais tarde naquela noite, que ela estava na maternidade quando a explosão ocorreu. Ela disse que ficou inconsciente e, quando acordou, “se viu carregando esses três filhos”, revelou o jornalista.

Saad disse que os bebês e suas mães foram transferidos para outros hospitais.

A tragédia

Mas nem todos no hospital tiveram a mesma sorte.

George Saad, gerente de preparação para emergências e desastres do hospital, disse à CNN que 12 pacientes, dois visitantes e quatro enfermeiras morreram após a explosão, dois deles permanecem em estado crítico.

80% do hospital foram danificados, além de 50% dos equipamentos, disse ele.

Ainda não está claro o que levou à explosão que varreu ruas inteiras da capital litorânea.

A explosão foi ligada a um grande suprimento de material explosivo confiscado e potencialmente desprotegido, armazenado em um armazém no porto da cidade, perto de áreas povoadas.

Enquanto líderes mundiais e organizações internacionais oferecem assistência, as autoridades locais também estão iniciando uma investigação sobre a explosão.

Notícia retirada do link:
https://www.sonoticiaboa.com.br/2020/08/06/enfermeira-salva-3-recem-nascidos-de-hospital-destruido-em-beirute/

Professor prepara e entrega 7.500 almoços pra alunos durante confinamento

Um professor passou todos os dias do confinamento preparando e entregando refeições para seus alunos. No total, ele entregou 7.500 almoços e fez isso porque ficou com medo que seus alunos tivessem dificuldade de comer durante a pandemia. Zane Powles preparava 85 refeições todas as manhãs, depois que as escolas foram fechadas durante a pandemia,

Continue Lendo →

Vacina de Oxford é segura e induz resposta imune: saiu resultado

Saiu a notícia boa tão esperada! Cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, confirmaram que vacina contra Covid-19 que está em testes é segura e induziu resposta imune, como eles esperavam. O anúncio dos resultados preliminares dos testes foi feito nesta segunda-feira, 20, pela revista médica The Lancet. Os resultados se referem às duas primeiras fases

Continue Lendo →

Vacina em forma de spray nasal contra covid é desenvolvida na USP

Uma vacina brasileira em forma de spray nasal contra covid-19 está sendo desenvolvida pela Universidade de São Paulo. Ela já foi testada contra hepatite B com ótimos resultados em camundongos. “Testamos em camundongos e, depois de 15 dias, eles estavam imunizados”, comemora  o coordenador da equipe, o médico veterinário, Marco Antonio Stephano, da Faculdade de

Continue Lendo →

Oxford convoca 10 mil pessoas pra testar vacina contra covid

Milhares de voluntários estão sendo recrutados para as próximas duas fases de ensaios clínicos que podem levar a uma vacina contra o coronavírus ainda este ano.  Os cientistas da Universidade de Oxford, no Reino Unido, convocoram 10.260 pessoas de toda a Grã-Bretanha para fazer os testes de imunização. Os pesquisadores, que começaram a desenvolver a

Continue Lendo →

Médica atende em casa crianças com doença rara: proteger da covid

Para proteger duas crianças com doença rara do risco de contaminação por covid-19 no hospital, uma médica pediatra do interior de Minas Gerais está atendendo na casa dela Talyssom e Vanessa. O menino, de 8 anos, e a menina, de 15, têm uma doença chamada mucopolissacaridose, que é hereditária e compromete ossos, articulações, vias respiratórias

Continue Lendo →

← Previous Page