Vibração Coletiva (24/10/2018) – A Dor Ensina

A Dor Ensina

Queridos irmãos, nessa semana convidamos a todos para refletir sobre o papel da dor em nossa existência. A falta de entendimento sobre a vida imortal e os mecanismos de nosso Pai, faz com que acreditemos que a dor é um martírio, enquanto na verdade, ela é um freio, um aviso ou a chave de algum aprendizado que tanto relutamos em vivenciar.

Existem dois tipos de dores que normalmente sentimos, as dores do corpo físico e as dores da alma. As dores no corpo físico podem aparecer como doenças congênitas ou aquelas que se desenvolvem ao longo de nossas vidas. As dores da alma, mesmo que possamos carregar de outras encarnações, normalmente se desenvolvem com o tempo de acordo com as experiências que o espírito encarnado passará em sua atual existência.

Em ambos tipos de dores, somos nós que escolhemos passar por elas. As doenças no corpo físico servem para expurgar de nosso perispírito as toxinas que adquirimos através de atitudes impróprias no passado, funciona como uma limpeza da alma. Como exemplo, podemos supor que em uma outra encarnação cessamos nossa própria vida com o uso de entorpecentes, com isso, teremos que obrigatoriamente “limpar” nosso perispírito, podendo ser através de uma outra vida sendo portador de uma doença mental por exemplo. Além disso, muitas vezes elas também são acionadas como um freio para que não desperdicemos ainda mais a nossa encarnação, adquirindo mais débitos para quitar, passando por provas ainda mais sérias no futuro. Nesse caso, como exemplo, podemos citar alguém que ingere exageradamente bebidas alcoólicas e desenvolve a cirrose hepática – doença degenerativa que afeta seriamente o fígado – certamente a recebe como um presente, pois será mais um motivo para se afastar do vício, caso contrário colocará sua própria vida em risco.

Além do expurgo das toxinas, a doença também funciona, como um grande reformador psíquico, não só para quem adoece, mas como também para toda família e amigos, que se mobilizam em benefício de quem a sofre para auxiliá-lo. Quando se recebe a notícia que temos alguma doença, permanecemos por algum tempo em estado reflexivo, pensamos em o que poderíamos ter feito para evitá-la, assim como a grande dúvida que surge: porque eu? A partir desse primeiro porque, vários outros surgem e as dúvidas são a motivação para a busca pelas respostas, que normalmente nos levam a um novo processo em nossa vida e começamos a enxergar as coisas de outra forma. Algumas pessoas se revoltam, piorando ainda mais o panorama da situação, mas sábios são os que aproveitam essa oportunidade para realizarem a sua reforma íntima e acenderem em sua evolução espiritual.

As dores da alma são sensações que estão gravadas em nossa tela mental ou então a concentração de cargas negativas que absorvermos das situações que passamos na vida. Podem aparecer a partir de diversos tipos de traumas, diante da perda de um ente querido, bullings passados na adolescência ou até atualmente, dificuldades na convivência familiar, problemas no trabalho, etc. Todos esses acontecimentos podem gerar dores de alma, mas também podem facilmente ser amenizados ou aniquilados com o monitoramento de nossos pensamentos e a busca por entendimento espiritual.

Para sabermos se o caminho que escolhemos ou que iremos escolher pela busca de entendimento espiritual é sério e confiável basta que façamos uma única pergunta: isso me torna uma pessoa melhor? Se a resposta for sim, poderá ficar tranquilo que você estará trilhando o caminho certo. Todos os caminhos que fazem com que nos tornemos pessoas melhores nos ensinam o amor ao próximo assim como a nós mesmos e ao Criador sobre todas as coisas.

Para evitarmos as dores em nossa vida precisamos pensar antes de agir e falar, mudar nossas atitudes quando vemos que dessa forma não está dando certo ao invés de querer mudar o outro, procurar sempre fazer o bem ao próximo sem que prejudiquemos a nós mesmos, para que assim possamos deitar todos os dias a cabeça no travesseiro com a consciência tranquila, tendo a certeza de que se acordarmos amanhã em outro plano, conseguiremos seguir a nossa caminhada com a sensação de missão cumprida, por isso lembremos sempre que a vida criada por Deus é perfeita, nada acontece sem que haja um motivo justo, tudo tem uma razão.

Não é por acaso que existe a dor, ela é uma consequência de nossos costumes atrasados e por isso a nossa humanidade ainda precisa dela para evoluir. Vibremos não para que a ela não exista, pois isso ainda é impossível, mas que para quando for inevitável encontrar a dor, saibamos utilizá-la como uma ponte que nos leva ao encontro do mais sublime dos sentimentos, pois a dor que sentimos tem como objetivo final, nos ensinar como transmitir do fundo de nossa alma, o amor que liberta!!!!!!

Paz e luz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *