Vibração Coletiva (14/11/2018) – Formação do Lar Terreno

Formação do Lar Terreno

Encontramos uma imensa necessidade de reativarmos o que deveria ser o maior centro educacional de um indivíduo, a sua família. Convidamos a todos nessa semana para vibrar pelo real valor e significado que essa palavra nos traz, em benefício de todas as pequenas divisões que são formadas a cada momento dentro da grande família universal. Somos irmãos que se unem para aprender na convivência diária as grandes lições de nosso pai maior. Acreditamos ser a formação da família uma das mais importantes e especiais renúncias do “eu” que realizamos quando optamos por formá-la, só que infelizmente ainda não acordamos para essa realidade.

Diante da história da humanidade criaram-se civilizações com diversos costumes e crenças que vem sendo transmitidas de gerações em gerações. Elas são aprendidas e repassadas, e as novas gerações acabam herdando de uma forma mecânica e sem reflexão o modo de vida e os costumes que seus antepassados construíram.

O casamento e a formação da família tornou-se atualmente mais uma das tantas coisas que nossa geração tornou mecânica, sem pensar no real valor dessa união abençoada. Precisamos compreender que o único motivo por estarmos aqui é o aprimoramento moral, todo o resto é um grande “cenário” no qual estamos inseridos mais uma vez, com uma roupagem diferente, para recebermos aprendizados com antigos e novos professores.

Entretanto, esse “cenário” torna-se a nossa realidade quando estamos encarnados e temos que assumir o papel pelo qual nos dispomos antes de chegar aqui. Mesmo que não queiramos, é necessário viver de acordo com as regras gerais criadas pela sociedade para que todos possam ter uma boa convivência, pois necessitamos de algo para nos guiar, certamente largados sozinhos em mundo estranho, tudo seria mais difícil. É aqui que entra a grande necessidade de vivermos reunidos em famílias, independente de como elas sejam formadas, é importante que o ser ainda em sua infância receba as bases da educação moral e social.

Quando ainda somos jovens e moramos na casa em que Deus nos proporcionou para aprendermos o que necessitamos nessa vida, não percebemos a grande renúncia que fizeram os nossos tutores ao se empenharem em nos proporcionar um lar. Só por nos acolherem já nos demonstram uma gigante prova de amor a quem devemos agradecer diante de toda nossa existência. Defeitos e problemas todos teremos sempre e não podemos fechar os olhos para essa benção de termos recebido um lar com pessoas que se doam para nós.

Então nascemos em uma família e conforme vamos crescendo recebemos diversos ensinamentos, mas, na regra geral, aprendemos que devemos estudar e trabalhar para que um dia possamos nos sustentar e criar a nossa própria família.

Sem a reflexão sobre o real objetivo dessa união, ela poderá torna-se uma obrigação, ou muitas vezes até uma obsessão, pois muitas pessoas podem não encontrar alguém que amam e que gostariam de dividir a sua casa e os seus sonhos, mas como a sociedade coloca como uma regra acaba gerando diversos problemas e traumas para quem não se encaixa nesse sistema.  Realizar passos importantes, que mudariam nossas vidas, simplesmente porque tem que ser assim, pode-se tornar uma situação desastrosa. É exatamente por isso que atualmente muitos casais quando resolvem casar ou morar juntos, relações de anos dissolvem-se em poucos meses, pois já se acostumaram com a comodidade de viver só para si mesmos. Ainda muito imaturos só se dão conta do tamanho da responsabilidade de construir o seu próprio lar depois que já o fizeram e acabam se separando rapidamente pois não conseguem entender o objetivo final da convivência em família. Para doar-se diariamente para outrem é necessário muita maturidade e amor ao próximo.

Então valorizemos a família em sua totalidade, a importância de seu mecanismo, todo a amadurecimento e os frutos maravilhosos que são colhidos diante dessa instituição, valorizemos o amor de nossos tutores que se esforçaram para nos mostrar o caminho que eles consideravam ser o melhor a seguir. Agora já adultos, utilizemos as bases que recebemos para unir com “novas verdades” e criar novos caminhos, assim interromperemos o ciclo vicioso da vida automática e nos tornaremos senhores de nossos próprios destinos.

Paz e Luz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *