Vibração Coletiva (30/05/2018) – Sociedade

Sociedade – Em busca de um objetivo, igualdade.

Sociedade, na linguagem matriz o latim; Societas, significando:  ” associação amistosa com outros”, é o conjunto de seres que coexistem e compartilham, vidas, famílias, culturas, pensamentos e sentimentos, interagindo entre si, constituindo uma comunidade.

Uma comunidade global que interage, aprendendo a conviver consigo, com o próximo e o mundo.

A sociedade, construiu seus padrões baseados nas relações de sobrevivência e padrões de comportamento na identificação do que é ser um cidadão social.

O mundo foi estruturado nas culturas regionais e civilizatórias que formaram a “cadeia de princípios e valores sociais” que formam a globalização coletiva.

Construímos uma sociedade que preza princípios e valores, e estes valores fazem com que nos identifiquemo-nos como humanos e nas bases sociais, como cidadãos.

Mas o que, como sociedade, objetivamos?

Após a construção dos princípios políticos e econômicos, em algum momento como humanidade, passamos a visar na sociedade mais ao “Lucro” do que ao “Humano”, perdendo em muito nossas capacidades de nos relacionar, valorizar e priorizar não o “poder monetário” do próximo, mas o próximo como um ser, com o qual podemos trocar nossas experiências, vivencias, aprendendo a crescer, amadurecer e se conhecer como ser humano.

A política e a economia fazem parte de nosso aprendizado de organização social, mas se acontece de superarmos nossa própria potencialidade como ser, o que fazer?

Objetivamos projetar que tipo de ser humano? Mais “humano” ou “máquina de lucro”?

Como sociedade, qual nosso objetivo?

Sobreviver? Ser feliz? Ou construir patrimônio próprio?

Não é errado decidir por um ou outro ou todos, mas o que realmente é capaz de construir uma sociedade, que possua o equilíbrio entre Ser e Ter, em um princípio de cooperação, igualdade e satisfação como ser.

Nesta reflexão, para mentalização, pensemos em nossos irmãos e irmãs de sociedade e nós, que a cada dia em nossas atitudes e pensamentos ajudam a construir os conceitos sociais por “aquilo que acreditamos ser o melhor” partindo do “ponto” de reflexão: Melhor para quem? Para mim? Para meu próximo? Ou para todos?

Se a resposta é dada em equilíbrio destes conceitos, nos ajudamos como humanidade, ao entendimento de qual nosso papel e “força social” e porque cada um de nós é direta ou indiretamente responsável por aquilo que construirmos no aqui e agora e no futuro que está por vir.

Mentalizemos por este equilibro, assim como a consciência de cada um de nós, que agora encarnado busca trilhar um caminho de verdade e vida, dentro de suas condições e possibilidade evolutivas.

Luz e esperança neste trilhar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *