Vibração Coletiva (30/03/2016) – Ser Pacífico

Ser Pacífico

Irmãos, se faz necessário que vejamos o quanto de pacíficos, amorosos, tolerantes e todas as outras gamas de bons valores e sentimentos crísticos estamos sendo e emitindo ao todo e a nossa volta.

A forma que ocorrem as situações externas em nossas vidas são as respostas dos sentimentos e atos que estamos emitindo diariamente para o Universo. Observemos se estamos sempre em estado de guerra com os que estão em nossa volta, não aceitando suas opiniões e querendo sempre fazer prevalecer as nossas opiniões em detrimento da opinião do próximo ou exigindo determinados comportamentos dos outros, muitas vezes sem nem ao menos olharmos para nós mesmos com a intenção da autocrítica. Têm-se visto ultimamente na internet e principalmente nas redes sociais, brigas por diferenças de opinião e, nestas horas, a nossa frequência cai drasticamente e nos enveredamos por caminhos escuros, lançando trevas a tudo e a todos que desagrade nosso ego. Geramos, com isso, vários miasmas em nossa alma e jogamos para a atmosfera terrestre muita energia negativa, que recebemos de volta na mesma intensidade que emitimos. E ainda assim não paramos e meditamos sobre nossas atitudes.

Precisamos, meus irmãos, exercitar a tolerância diante daquilo que nos desagrada, precisamos respeitar a opinião de nosso próximo, pois não somos os donos da verdade. Só o Criador sabe realmente o que é o melhor para todos e precisamos exercitar as boas virtudes crísticas que existem para o nosso crescimento espiritual. Para isso é necessário estarmos sempre vigilantes e meditativos, e sempre nos questionando: Como está minha energia hoje? Tenho lançado trevas ao meu redor? Como as pessoas têm reagido em resposta ao que vibro? Como vai o estado do meu ego?

Muitas tragédias poderiam ter sido evitadas se tivéssemos o hábito de meditar nestas questões, sempre sendo pacíficos, tolerantes e benevolentes diante de atitudes que não aprovamos e deixando de sermos reativos logo de pronto. Já chegou o tempo em que reações de raiva, ódio e rancor, precisam ser

abandonadas, e se faz urgente nossa posição de seguirmos na Luz do Cristo. Como esperar um Mundo melhor, se temos atitudes como estas?

…“Hermes nos ensinou há milênios, na famosa “Tábua de Esmeraldas”, a Lei da Correspondência. “O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima”. A nossa atenção está tão concentrada no microcosmo, nosso pequeno mundo, o nosso umbigo, como se diz, que não percebemos o imenso macrocosmo à nossa volta.

O princípio da correspondência afirma que o que é verdadeiro no macrocosmo também o é no microcosmo, e vice-versa. Portanto, podemos aprender as grandes verdades do Cosmo observando o modo pelo qual elas se manifestam em nossa vida.

Se sabemos que cada célula do corpo contém o conhecimento e a estrutura de todo o organismo, podemos, na qualidade de células de Gaia, o grande organismo planetário, mudar a face da matrix a partir de nossa ação individual, como se fôssemos cordas que mudam a sua vibração, trazendo uma nova e transformadora música. É fato! O microcosmo pode influenciar e mudar o macrocosmo! Basta termos consciência disso.

O sistema fará oposição à mudança por causa da sua inércia e desconhecimento. Porém, é possível, sim, promover a Grande Mudança, assim como o massoterapeuta é capaz de harmonizar todo o corpo apenas estimulando pontos específicos dos pés e das mãos, utilizando técnicas de reflexologia.

O Todo mora na intimidade de cada unidade! Cada célula de nosso corpo tem, na sua estrutura íntima, o código de todo o organismo. Desse modo, nós, filhos da Terra, temos esse mesmo código em nossa alma com relação à Gaia. Apenas ainda não temos consciência disso. Quando tivermos, o mundo nunca mais será o mesmo… Mudar o mundo depende apenas da ação consciente que cada um de nós puder promover.”…

Livro Universalismo Crístico Avançado/Roger Bottini Paranhos

Então meus irmãos, reflitamos sobre estas questões.

Muita Paz e Luz a Todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *