Vibração Coletiva (19.03.2014) – Equilíbrio Terreno

Que nessa semana possamos refletir sobre o ensinamento “estar no mundo sem ser do mundo”, que nada mais é do que encontrar e manter o equilíbrio tão necessário para que vivamos de forma plena a abençoada oportunidade que recebemos de estarmos aqui hoje encarnados. Que possamos equilibrar nossas tendências à vida material e efêmera, buscando o caminho do amor, da prática do bem, do desapego e da vivência dos ensinamentos de nossos grandes mestres.

Nós podemos estar neste mundo, vivermos aqui na Terra, mas não sermos dela. O “ser” é pertencer, é estar totalmente envolvido em condição de permanência. Já o “estar” possui o sentido de transitoriedade, relacionado a um momento e à efemeridade das vicissitudes.

Todos nós nascemos e renascemos, de acordo com a divina Lei do Progresso, e é por isso que estamos aqui, para progredirmos e para sermos vitoriosos quando do nosso retorno.  Porém, a grande maioria da humanidade não procura conhecer as verdades contidas nas lições constantes que a vida nos oferece. Direcionam suas preocupações e seus esforços para alimentar as efêmeras alegrias do mundo material, acumulando errôneos tesouros e o levando a uma felicidade fictícia, irreal. Pobres são estes que buscam flores onde só se podem encontrar espinhos. Porém, o destino do espírito não é viver em busca da saciedade dos prazeres e conquistas materiais; o corpo, este sim pode saciar-se, mas a busca do espírito é pela Luz, pela sabedoria e pelo amor, no irreversível caminho da conquista da felicidade eterna.

O objetivo da vida na Terra é o aperfeiçoamento do espírito. O homem que a isso compreende, eleva-se acima dos entraves materiais, livra-se do sofrimento que está arraigado às vicissitudes da carne, e caminha assim rumo à verdadeira felicidade. Poucos são aqueles que procuram esse entendimento e aproveitam a oportunidade da atual existência para praticar a transformação moral, principal escopo de nos encontrarmos aqui hoje.

Todos os homens necessitam almejar uma vida melhor, o que está totalmente de acordo com o progresso necessário ao espírito, e de nada condenável é usufruir dos bens que a Terra pode nos oferecer. Porém, é necessário que haja discernimento e sabedoria, pois todos sabemos que colhemos o que plantamos. Aquele que age com deslizes e sucumbe aos prazeres terrenos, certamente colherá os frutos, sendo-lhe cobrado ainda nessa encarnação, ou na volta para o mundo espiritual, que é nossa verdadeira morada, ou ainda em futuras encarnações.

Por este motivo, devemos ter em mente que existem bens infinitamente superiores e mais preciosos que os que temos conhecimento em nossa pequenina visão terrena. O homem que direciona sua vida para a busca de bens transitórios e a saciedade das vicissitudes terrenas é como uma criança que ainda não possui uma ampla visão e não consegue enxergar além do momento presente. Já o homem que não se prende à ilusão material, é como um adulto, que através dos seus anos de vivência a frente da criança, tem a maturidade para enxergar e dar valor ao que realmente importa.

“A vida na Terra, para os que acumulam tesouros nos Céus, é a senda luminosa que liga a Terra aos Céus, é a estrada comunicativa que lhes permite a passagem para se apossarem desse tesouro. Os que vivem na Terra pela Terra, são da Terra; os que vivem na Terra sem serem da Terra, são dos Céus. A vida na Terra é efêmera; a Vida nos Céus é eterna, e a posse da Vida Eterna consiste no cumprimento da Lei: Buscai o Reino de Deus e a sua justiça, que tudo o mais vos será dado por acréscimo, como os ensinou Jesus.” (Cairbar Schutel, Livro “Parábolas e Ensinos de Jesus”)

Portanto, que consigamos conquistar os reais tesouros, aqueles que nos elevam e nos aproximam de Nosso Grande Pai, para que em nosso retorno a pátria maior, ao plano espiritual, possamos nos sentir orgulhosos de nossos feitos e vitoriosos por termos acrescentado em nossa bagagem ensinamentos e entendimentos que nos serão eternos.  Que possamos nos utilizar de todo o bem que há em nós para sobrepujarmos o mal, os vícios e tendências, e que estes sejam substituídos pelas virtudes, que nos engrandecem e nos levam rumo à evolução.

Paz e Luz a todos!

One Response
  • Juliana
    mar 19, 2014

    Boa tarde!
    Gostaria de saber como faço para participar das vibrações coletivas? É para acessar no dia as 22:00hs até as 22;15hs e assistiremos um vídeo, aonde rezaremos juntos, aqui nessa mesma página? Ou das 22;00 as 22;15, é para ler-mos o texto acima de “Vibração Coletiva (19.03.2014) – Equilíbrio Terreno”. Obrigada.

    [Reply]

    Juliana mar 19, 2014
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *