Vibração Coletiva (12/07/2017) – A Espiritualidade em Nosso Cotidiano

A Espiritualidade em Nosso Cotidiano

Queridos irmãos, nessa semana convidamos todos a refletir sobre como a espiritualidade permeou a história desde as antigas civilizações, em como ela está inserida em nossas vidas e qual seria a sua real função na transformação da Terra para a Nova Era.

Diante de diversas abordagens e reflexões realizadas aqui, fica a certeza de que a transformação da terra para um planeta de regeneração só irá se concretizar a partir de diversas mudanças conscienciais e comportamentais na humanidade. A paz no mundo, por exemplo, só será implantada no momento em que todos os seres estiverem na mesma faixa vibratória, pois enquanto existir nem que seja um pequeno grupo que acredite na guerra como uma solução correta para os problemas, a guerra ocorrerá e os que forem atacados terão que se defender dando sempre continuidade a esses tristes acontecimentos. A espiritualidade entra como uma poderosa ferramenta para a reforma psíquica da humanidade, já que amplia a nossa consciência nos convidando a reforma íntima e nos ensina o amor ao próximo.

Desde as primeiras civilizações conhecidas pela história, a espiritualidade sempre esteve presente, o que a difere nas diversas épocas era a maneira como era vista. O conhecimento, e nele incluímos o estudo e vivência da espiritualidade, sempre foi limitado entre os homens e ainda é até hoje, pois o poder e a ganância sempre foram mais fortes do que a divulgação do conhecimento e das verdades eternas.

Lembramos que depois de uma intensa vivência na escuridão, que foi a época da Idade Média, a reforma protestante liderada por Martinho Lutero resulta no período renascentista, que reivindicava justamente a fé raciocinada, trazendo à tona a união da fé e da ciência. Mas infelizmente a maioria dos conceitos e causas defendidas por nomes importantes da história, que não tiveram medo de transgredir se perdem com a sua morte, pois a partir daí começam a ser distorcidas, resultando em diferentes ideologias que não são fiéis às originais de seus líderes.

O Brasil é um país com uma diversidade imensa de credos, mas talvez justamente em razão dessa diversidade, estamos cada vez mais perdidos em relação a nossa espiritualidade, passamos a conhecer todos os caminhos, mas ao mesmo tempo não conseguimos seguir por um único. Muitas pessoas sabem e sentem que precisam trabalhar mais o seu lado espiritual, mas não sabem por onde começar. Vivemos um momento onde temos liberdade de expressão, em que circula uma enxurrada de informações de diversas fontes, só que muitas vezes não sabemos como utilizá-las. As informações estão todas separadas e para ter um melhor entendimento de tudo, é extremamente necessário relacionar sem preconceitos os estudos tradicionais com os espirituais.

Relacionando a parte histórica com os estudos espiritualistas, vemos como é facilmente explicado o nosso atraso em termos de espiritualidade. Apesar de sermos extremamente sensitivos até hoje somos orientados a ter medo de tudo que foge ao plano material, e assim somos sempre freados para esse desenvolvimento. Temos sim que possuir muito respeito quando lidamos com o plano espiritual, afinal estamos sempre em contato com seres de todas as ordens e por isso cuidado e cautela é essencial. Porém, temos também que começar a trocar o medo pelo conhecimento e assim cada vez mais entraremos em sintonia com os bons espíritos, que se dedicam arduamente ao bem comum da humanidade, a aproximação deles ocorre de acordo com a nossa sintonia e intenção em tudo que fazemos.

Tudo que existe evolui, inclusive a Espiritualidade. É preciso que criemos uma unidade maior entre o mundo material e o mundo espiritual, sendo este o princípio de um bom desenvolvimento mediúnico. Quando citamos o desenvolvimento mediúnico, não estamos abordando trabalhos em centros espiritualistas, mas sim o nosso contato direto com o plano espiritual, ou seja, o desenvolvimento de nosso sexto sentido no dia-a-dia, sem que sejam necessários rituais ou um ambiente específico para trabalharmos o nosso lado mais sutil. Se nos mantivermos equilibrados, seguindo os preceitos ensinados pelo nosso mestre Jesus, teremos o auxilio mais de perto de irmãos que simpatizam com os nossos ideais e que nos ajudarão no processo de aproximação entre os planos. 

É importante criarmos a consciência de que não vivemos duas vidas distintas, como se hoje fôssemos humanos e depois da morte espíritos, nós sempre fomos e nunca deixaremos de ser um espírito, somente nos foi emprestado um corpo mais denso para que pudéssemos atuar no palco do mundo material, assim como necessitamos de uma roupa e equipamento especial quando vamos interagir embaixo do mar, necessitamos do corpo para transitar aqui. Quando nascemos ou morremos no plano físico não perdemos nossa identidade, continuamos sendo o mesmo espírito, com ou sem a roupagem especial para tal interação em um mundo específico.

Passemos a vivenciar a unidade entre a matéria e o espírito, entre o Eu Exterior e o Eu Interior. Viver o mundo material separadamente, buscando o mundo espiritual somente em nosso tempo livre é o grande erro que estagna a nossa evolução espiritual. Vibremos para que um dia mudemos nossas consciências e passemos a ter uma vida na matéria orientada pela vida no espírito, assim conseguiremos conectar mais facilmente os dois mundos, desenvolver as nossas faculdades psíquicas de uma forma responsável e de acordo com nosso merecimento adquirir conhecimentos científicos e tecnológicos para nos auxiliar no desenvolvimento de nossa humanidade.

Paz e luz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *