Vibração Coletiva (03/03/2021) – Valorizando a vida

Valorizando a vida

Amados irmãos, nosso corpo físico é a nossa porta de entrada para mundos como o nosso. Deus criou essa roupagem e nos oferta como um presente para nos oportunizar o abençoado aprendizado nas asperezas do mundo material. É exatamente por isso que temos que preservá-lo, não só porque o recebemos como presente, mas também porque sabemos que tudo o que aqui fizermos ficará gravado em nosso perispírito, gerando cargas energéticas boas ou ruins que de acordo com nossos hábitos e atitudes. Se gerarmos cargas ruins, teremos que drená-las em novas encarnações de acordo com as lições que tivermos que aprender.

Essas diversas mazelas que vamos passar ou que podemos adquirir que estão gravadas em nosso perispírito, são ativadas pelo nosso pensamento; o simples ato de pensar em algo negativo pode causar problemas sérios, por isso devemos vigiar nossos pensamentos a todo instante, afinal, nós somos aquilo que pensamos ser. As atividades mentais também emitem fluxos vibracionais para outros mundos, isso acaba que em muitas vezes transportando o nosso espírito para outras dimensões, mesmo sem saber e dependendo de nossa vibração, esse local pode ser o umbral.

Para quem está buscando limpar-se dessas toxinas na atual encarnação, deve sempre tomar cuidado com os estímulos externos, como as próprias propagandas das televisões, que parecem inofensivas mas que acabam levando multidões a diminuir as suas defesas orgânicas com remédios desnecessários, excessos na alimentação, bebidas alcoólicas, cigarros, entre outros tipos de drogas, que mesmo fazendo mal visivelmente aos olhos de todos, a maior parte da humanidade continua ingerindo. Há aqueles que buscam a tranqüilidade artificial tomando calmantes, ou em busca da euforia ilusória tomam alucinógenos (maconha, cocaína, etc). Há também os vícios mentais, como os hipocondríacos (que de tanto imaginar doença, ficam doentes); os melancólicos (adoecem porque a parte psicológica está em baixa); os maledicentes (se envenenem com o mal que julgam identificar nos outros); os rebeldes (os eternos inconformados com a vida); os apegados à família a bens terrenos (passam a vida sobrecarregando o corpo carnal com preocupações injustificáveis, sofrem antes da hora); os irritados (por falta de compreensão, favorecem o distúrbio circulatório, entupindo veias coronárias). Como vemos, muitos são os meios de nos auto-aniquilar lentamente e precisamos estar atentos sempre aos estímulos que fazem com que alimentemos esses hábitos e atitudes impróprias para quem busca equilíbrio de seu corpo e mente.

Sabemos que tudo o que vivenciamos de ruim nesse mundo é por que a humanidade atual ainda necessita passar por essas provas, caso contrário elas não existiriam mais. Mas isso não quer dizer que depois que tivermos o conhecimento, devemos continuar alimentando esses vícios mentais e carnais só porque ainda “temos que passar”, os mundos só modificam quando os seres que nele reencarnam há milhões de anos conquistam a evolução necessária para subir mais um degrau, e isso só ocorrerá quando optarmos pelo amor ao próximo e a nós mesmos, pois quando nos amamos, não fazemos nada que saibamos que é prejudicial a nossa mente e ao nosso corpo e quando amamos ao próximo o cuidamos com desvelo para que nada de mal lhe aconteça.

Em nosso mundo o mal tem como propósito nos impulsionar para valorizarmos o bem e escolhermos de qual lado queremos ficar, enquanto os que escolhem o bem, ajudam a equilibrar o mal. Todos os males e vicissitudes que possamos substituir por virtudes são o caminho para a nossa evolução, mas não devemos cobrar de nosso próximo o que já tivermos conquistado, pois cada um tem o seu tempo, se cada um buscar melhorar a si mesmo em primeiro lugar e viver os ensinamentos que aprenderam, o mundo já será muito melhor, até porque, quem assistir como é gratificante colher bons frutos, buscará seguir o exemplo dessas pessoas, também plantando essas sementes de amor e entendimento.

O mundo é totalmente mental. Ele é igual para todas as pessoas, mas cada um vê de acordo com o que a sua visão lhe permite ver, quem tem a visão muito limitada sempre enxergará nas questões materiais a felicidade e a alegria. Não podemos colocar a nossa felicidade na conquista de bens materiais, precisamos buscá-la todos os dias, pois nunca vamos saber se o sol nascerá amanhã junto de nós encarnados, então aprendamos que a felicidade se encontra entranhada com os desafios de nosso dia-a-dia, basta termos olhos para ver.

Quando passamos a enxergar por trás do véu de Ísis, percebemos que a verdadeira felicidade está nas coisas simples, na beleza da natureza, no canto dos pássaros, nos ensinamentos que nos são passados, nas provas do nosso dia-a-dia. O material, a aparência, o próprio nome já diz, é só o que está por fora, se enxergamos somente ela, jamais conseguiremos entender e visualizar o que está por trás de tudo. Precisamos abrir os nossos olhos, por muitas vezes coisas lindas e mágicas acontecem em nossas vidas, mas não conseguimos valorizar, pois não conseguimos enxergar tal situação como uma dádiva de Deus.

Então, valorizemos as pequenas coisas, dia após dia, pois tudo faz parte de nossa caminhada rumo à luz, não importa o final, o que importa é como faremos para chegar até lá, o meio é sempre mais importante do que o fim, pois é nesse período que aprendemos e crescemos.

Paz e Luz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *