Roger Responde 108 – Livre arbítrio missão espíritos de luz

108 – Pergunta (09/01/2012): Segundo o livro A história de um anjo, Gabriel seria um enviado de Jesus com a missão de manifestar a luz crística sobre a Terra no tempo atual.Talvez minha questão não tenha fundamento ou relevância, ou nenhuma importância além de satisfazer a minha curiosidade. Como qualquer alma que vem ao mundo,acredito que Gabriel também não esteja invulnerável a atmosfera nociva do planeta. Sendo ele uma pessoa comum,com liberdade de exercer seu livre arbítrio, num período em que não tivesse consciência plena do trabalho a realizar, poderia de certa forma envenenar-se com a atmosfera planetária ao ponto de obstruir o canal de manifestação crística? De que forma a Hierarquia poderia o auxiliar sem interferir no seu livre arbítrio? Ele se tornará um canal de força negativa, caso fracassar em sua missão?

Roger: Certamente todos, quando encarnados, somos influenciados pelo meio em que vivemos e também somos vítimas dos espíritos das sombras que desejam o fracasso dos projetos da Luz. O próprio Jesus, como nos narra os Evangelhos, passou 40 dias no deserto e foi tentado nesse período a abandonar sua missão. Temos nossos livre arbítrio, podendo escolher caminhos equivocados a todo instante.

No entanto, espíritos desse quilate são muito maduros, e não se deixam levar pela sedutora vida humana. Até porque as coisas do mundo não mais os atraem. A forma como a Alta Espiritualidade auxilia essas almas para prepará-los para suas missões, é fazendo-os nascer em famílias que lhes apoiem no desenvolvimento de suas consciências ou colocando em seu caminho professores, orientadores ou amigos que lhe sirvam de mestres durante os seus passos iniciais. Eles também naturalmente procuram essas pessoas especiais, por uma necessidade natural de trocar ideias com almas que os compreendam e que, assim, possam aprender um com o outro. Todo o processo de expansão da consciência exige diálogo, troca de ideias. Conversando é que chegamos as mais belas conclusões sobre as nossas missões e as filosofias espirituais que temos de divulgar. O próprio Jesus teve vários mestres, como o rabino Hilel na sua infância, Filon de Alexandria na adolescência e até mesmo José de Arimatéia, com quem trocava muitas ideias. Além de outros mais com quem ele apreciava conversar para chegar as suas notáveis conclusões sobre a obra do Pai.

Certamente Gabriel seguirá pelo mesmo caminho. Estudando e debatendo com almas afins, que também já estão trabalhando pela Nova Era na Terra. E assim realizará a sua missão com êxito. Assim como ele, muitos outros anônimos para o mundo, mas iluminados pelo Alto, cumprirão suas missões com êxito nesse delicado período de transição para a Nova Era que estamos vivendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *