Vibração Coletiva (15.10.2014) – Evolução moral

Queridos irmãos de caminhada, convidamos a todos nessa semana a vibrarmos pela evolução moral. Concentremos nossos pensamentos em tudo o que podemos melhorar para que nos tornemos seres melhores e mais conscientes.

Para que o nosso período de transformação inicie, é necessário que nos esforcemos para controlar o nosso lado animalesco.  A nossa transmutação para seres mais puros e mais conscientes é lenta e progressiva, não conseguiremos nos libertar de nossas más tendências de uma hora para outra. Será necessário eleger alguns pontos que temos que melhorar para que possamos constantemente vigiar. Isso não quer dizer que não iremos mais errar, mas quando vigiamos, começamos a entender o que nos faz reagir mal em determinadas situações, fazendo com que aprendamos a cortar o mal pela raiz.

É lamentável enxergar que nossa sociedade se desenvolve cada vez mais rápido no campo da ciência, em oposição a uma moral que pouco se eleva. Desde as épocas mais remotas de nossa sociedade, os combustíveis que mais moveram as instituições que “pregam” a boa conduta, infelizmente, foram a ganância e o poder. Paremos de colocar em evidência e enxergar como modelo de boa conduta aqueles que possuem um bom discurso, valorizemos as pessoas que estão ao nosso lado, dia-a-dia nos dedicando amor e carinho e demonstrando pelas atitudes que são pessoas de bem. Todos nós temos defeitos e pontos a melhorar, mas eles só são visíveis na convivência diária.

 Comecemos a voltar o nosso olhar para as qualidades das pessoas que convivem com nós e prestemos mais atenção em nossos próprios defeitos, aos quais podemos lapidar. Essa mudança se dará somente através do autoconhecimento, não adiantará ouvirmos que temos que ser mais pacientes, se não entendemos quais os motivos que nos deixam com raiva, por exemplo. Não podemos simplesmente tentar maquiar nossa má conduta, enquanto nossas mentes continuam poluídas de maus pensamentos, precisamos entender o que acontece com a gente mesmo.

Não podemos, simplesmente, nos deixar levar pelas más tendências.  Sempre há uma forma de conquistar nossos objetivos do lado material, sem nos afastar de nosso lado espiritual, somos seres unos e não pode haver essa separação. Se insistirmos em separar o lado espiritual do material, sempre haverá sofrimento. A realidade é uma só, basta que saibamos adaptar a nossa vida cotidiana ao contexto espiritual, absorver e cumprir os ensinamentos que recebermos de forma que isso seja uma atitude natural em nós e não algo forçado.

Não é necessário frequentar uma casa espiritualista para que façamos a caridade e nos tornemos pessoas melhores. Essa visão fechada fez com que as pessoas se tornassem seres maravilhosos e pacientes, mas somente dentro dos templos voltados para isso, sendo que no retorno para casa, já começam a demonstrar atitudes que mostram claramente a indiferença com a dor alheia. Não adianta assumirmos papéis, precisamos ser ao invés de representar.

 A mudança deve ocorrer porque queremos, porque sentimos a necessidade de sermos seres melhores, mais amáveis, mais carinhosos com as pessoas e mais cuidadosos com o meio que nos cerca e não somente porque alguém, algum dia disse que esse seria o caminho da salvação. Chegamos em um ponto em que já temos consciência o suficiente para conseguirmos andar com as nossas próprias pernas.

O tempo mudou, a sociedade mudou, é necessário que as nossas consciências também mudem. É chegada a hora de começar a utilizar as ferramentas que já possuímos para construirmos as nossas próprias fórmulas, de acordo com as nossas necessidades. O que funciona para um não funciona para outro, pois cada um possui um nível de consciência diferente. Não existe certo e errado, existe o que nos faz bem e o que nos faz mal. Precisamos nos conhecer melhor para entender quais são os nossos reais gostos e desejos, para que possamos nos libertar de padrões traçados a milhões de anos e que insistimos em continuar seguindo, mesmo sem ter resultado.

Vibremos pelo bem comum, para que consigamos respeitar as escolhas das outras pessoas, mesmo que achemos que aquela direção não é a correta. Lembremos que tudo isso é momentâneo, essa vida é momentânea, assim como o estado em que nos encontramos hoje. Precisamos respeitar o tempo de cada um, nada é por acaso!!!  As escolhas feitas hoje terão consequências, mas todos um dia entenderão que o nosso único destino é o da evolução, sendo o AMOR uma das maiores formas de EVOLUÇÃO MORAL.

Paz e luz a todos !!!

One Response
  • Tarciso Gomes Andrade
    out 13, 2014

    Procurando por uma força e um aprendizado achei nestas palavras uma força inigualável, um aprendizado superior que nos engrandecem e nos enchem de sabedoria, porque a sabedoria não é momentânea ela é eterna e hereditária,
    semeamos-a para que se multiplique na eternidade!

    [Reply]

    Tarciso Gomes Andrade out 13, 2014
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *