Tag A Nova Era

252 – Pergunta (29/12/2014):  Prezado Roger, No prefácio de Hermes do livro “A Nova Era” ele fala que em algumas décadas a Terra estaria entrando na nova era. No livro Sob o Signo de Aquário, pg. 204, num diálogo com Shien, ele fala que a Terra entrará na quarta dimensão somente daqui a dez séculos. Pode me esclarecer sobre isto.

Roger: Esta é uma confusão que está ficando muito comum nas atuais canalizações espirituais. A entrada na Nova Era nada tem a ver com a migração de nosso mundo para a chamada “quarta dimensão”. Vamos viver muitos anos ainda na terceira dimensão. A entrada na Nova Era significa o novo ciclo de evolução espiritual da Terra, quando o nosso mundo deixará de ser um planeta de “expiação e provas” para tornar-se um mundo de “regeneração espiritual”. Fundamentalmente o que vai acontecer é a reencarnação dos espíritos eleitos para evoluir na Terra da Nova Era, onde haverá uma maior conscientização espiritual da humanidade com o objetivo de um progresso integrado. Será o fim da era do egoísmo, individualismo e do materialismo doentio que vemos nos dias atuais. Portanto, trata-se apenas do avanço de mais um estágio da evolução espiritual da Terra. Explicamos isto com profundidade no terceiro capítulo do livro “A Nova Era – Orientações Espirituais para o Terceiro Milênio”.

Já a entrada na quarta dimensão, que só ocorrerá daqui a mil anos, significa que a Terra evoluirá para a vida em uma dimensão superior, como já ocorre em outros mundos mais elevados, entre eles Marte, local onde a vida ocorre somente na quarta dimensão faz milênios. Isto significa que a Terra evoluirá para um nível em que a vida animal primitiva não será mais necessária. A evolução dos habitantes deste mundo ocorrerá numa dimensão mais sutil, a quarta, onde a vida é menos pesada e sofrida, permitindo um desenvolvimento mental e espiritual muito superior ao do nosso mundo atual. Passaremos a evoluir mais próximos da “mente de Deus”, e não mais em mundos áridos e selvagens. Hermes afirma no primeiro princípio da Tábua de Esmeraldas: “O princípio do Mentalismo: a mente é tudo. O Universo é mental. Por sobre tudo aquilo que conhecemos há o plano de um Espírito Maior que não podemos conhecer.  Ele é a Lei.  O Todo-Poderoso está em tudo!” Logo, apenas vamos viver “mais próximos” da verdadeira realidade, que é o aprimoramento da alma, e não do corpo. Foco no Espírito e, não, na Matéria.

Como tu bem citaste, o espirito Shien afirma isto no livro “Sob o Signo de Aquário”, “Isto realmente ocorrerá porque faz parte do programa de  evolução de vosso mundo.  Assim como sucedeu com outros planetas de vosso sistema solar!  Mas não acontecerá agora!  A vida na Terra entrará na quarta dimensão somente daqui a dez séculos, se não ocorrer atrasos no progresso da humanidade terrena.  E esta transformação ocorrerá gradualmente, acompanhando a evolução de vossos corpos de manifestação no mundo físico. Como podem crer que isto ocorra agora se a humanidade da Terra está muito distante de libertar-se dos apegos materiais mais triviais?  Inclusive a vossa alimentação!  Como crer que seres carnívoros venham a ingressar em uma vida plenamente espiritualizada?”

Portanto, entrar na “Nova Era” significa ingressarmos em um novo ciclo evolutivo na escola terrena. Fato que já está ocorrendo! Estaremos em processo de transição para a Nova Era durante o período que abrange de 1975 até 2075. Depois deste período estaremos definitivamente na Nova Era. Já avançar para a quarta dimensão significa uma mudança radical na vida da Terra. Isto ocorrerá somente depois do ano 3000.

Roger Responde 252 – Diferença entre entrada na Nova Era e entrada na Quarta Dimensão.

252 – Pergunta (29/12/2014):  Prezado Roger, No prefácio de Hermes do livro “A Nova Era” ele fala que em algumas décadas a Terra estaria entrando na nova era. No livro Sob o Signo de Aquário, pg. 204, num diálogo com Shien, ele fala que a Terra entrará na quarta dimensão somente daqui a dez séculos. Pode me esclarecer sobre isto.

Roger: Esta é uma confusão que está ficando muito comum nas atuais canalizações espirituais. A entrada na Nova Era nada tem a ver com a migração de nosso mundo para a chamada “quarta dimensão”. Vamos viver muitos anos ainda na terceira dimensão. A entrada na Nova Era significa o novo ciclo de evolução espiritual da Terra, quando o nosso mundo deixará de ser um planeta de “expiação e provas” para tornar-se um mundo de “regeneração espiritual”. Fundamentalmente o que vai acontecer é a reencarnação dos espíritos eleitos para evoluir na Terra da Nova Era, onde haverá uma maior conscientização espiritual da humanidade com o objetivo de um progresso integrado. Será o fim da era do egoísmo, individualismo e do materialismo doentio que vemos nos dias atuais. Portanto, trata-se apenas do avanço de mais um estágio da evolução espiritual da Terra. Explicamos isto com profundidade no terceiro capítulo do livro “A Nova Era – Orientações Espirituais para o Terceiro Milênio”.

Já a entrada na quarta dimensão, que só ocorrerá daqui a mil anos, significa que a Terra evoluirá para a vida em uma dimensão superior, como já ocorre em outros mundos mais elevados, entre eles Marte, local onde a vida ocorre somente na quarta dimensão faz milênios. Isto significa que a Terra evoluirá para um nível em que a vida animal primitiva não será mais necessária. A evolução dos habitantes deste mundo ocorrerá numa dimensão mais sutil, a quarta, onde a vida é menos pesada e sofrida, permitindo um desenvolvimento mental e espiritual muito superior ao do nosso mundo atual. Passaremos a evoluir mais próximos da “mente de Deus”, e não mais em mundos áridos e selvagens. Hermes afirma no primeiro princípio da Tábua de Esmeraldas: “O princípio do Mentalismo: a mente é tudo. O Universo é mental. Por sobre tudo aquilo que conhecemos há o plano de um Espírito Maior que não podemos conhecer.  Ele é a Lei.  O Todo-Poderoso está em tudo!” Logo, apenas vamos viver “mais próximos” da verdadeira realidade, que é o aprimoramento da alma, e não do corpo. Foco no Espírito e, não, na Matéria.

Como tu bem citaste, o espirito Shien afirma isto no livro “Sob o Signo de Aquário”, “Isto realmente ocorrerá porque faz parte do programa de  evolução de vosso mundo.  Assim como sucedeu com outros planetas de vosso sistema solar!  Mas não acontecerá agora!  A vida na Terra entrará na quarta dimensão somente daqui a dez séculos, se não ocorrer atrasos no progresso da humanidade terrena.  E esta transformação ocorrerá gradualmente, acompanhando a evolução de vossos corpos de manifestação no mundo físico. Como podem crer que isto ocorra agora se a humanidade da Terra está muito distante de libertar-se dos apegos materiais mais triviais?  Inclusive a vossa alimentação!  Como crer que seres carnívoros venham a ingressar em uma vida plenamente espiritualizada?”

Portanto, entrar na “Nova Era” significa ingressarmos em um novo ciclo evolutivo na escola terrena. Fato que já está ocorrendo! Estaremos em processo de transição para a Nova Era durante o período que abrange de 1975 até 2075. Depois deste período estaremos definitivamente na Nova Era. Já avançar para a quarta dimensão significa uma mudança radical na vida da Terra. Isto ocorrerá somente depois do ano 3000.

Roger Responde 192 – A criação de um “Centro Educacional Universalista Crístico”

192 – Pergunta (19/08/2013): Roger, ultimamente tenho vivido ainda mais intensamente meus inúmeros questionamentos e reformas interiores. Um tanto doloroso esse tal de “quebrar-paradigmas”, contudo, extremamente libertador. Em uma releitura do livro “A Nova Era”, meditei muito sobre as questões a respeito da educação no terceiro milênio. Não conheço muito sobre o que anda sendo feito pela alta espiritualidade, para a reforma da educação tradicional, contudo, fiquei bastante exaltado neste quesito, e meu coração se ‘acalorou’ no sentido filosófico do termo, e senti uma ligação com algo neste sentido. Muitas ideias rapidamente transbordaram pela minha mente, entre elas, a da criação de um “Centro Educacional Universalista Crístico”, como assim?! Totalmente diferente das escolas adventistas, católicas e etc, voltadas à educação religiosa bitolada e tradicional. Por que não, uma com enfoque no desenvolvimento cultural e filosófico dos alunos, utilizando nova didática, com ensino científico libertador, ensinando ao mesmo tempo que incentiva os alunos a não estarem presos aos limites da ciência conhecida hoje, ao mesmo tempo, fornecendo bases espirituais transcendentais para que esses jovens tenham ainda mais ferramentas para melhorar nosso mundo. Não diria que isso é semear o futuro, mas pelo menos, arar a terra para nossos jovens escolhidos. Me sinto muito feliz com toda obra de bem coletivo que realizo, pois, sou prático, não gosto de esperar as coisas acontecerem e viver apenas do teórico, esperar que um profeta surja e nos guie. O evangelho já é um guia, a reforma íntima nos conduz a evolução, e a caridade e a sabedoria aram e semeiam o futuro. Posso ser um sonhador hoje, mas um realizador amanhã! Eu gostaria, meu irmão, dentro deste contexto, de saber se essas ideias também vem sendo semeadas na mente de outros companheiros crísticos? E se existem projetos por você e Hermes para algo assim também?

Roger: Justamente em nosso livro mais recente, “Universalismo Crístico Avançado”, abordamos em diversos momentos as ações necessárias para construirmos um modelo educacional mais consciente e libertador, conforme exposto em tua pergunta. Nos capítulos 2, 11, 14 e 15 falamos intensamente sobre isto. Vemos que diversas pessoas já estão pensando segundo este mesmo modelo. Certamente, inspirados pela Alta Espiritualidade, que sabe da importância de mudarmos o mundo através de modelos educacionais modernos e focados no desenvolvimento da consciência, ou seja, libertos de dogmas e do bitolamento que são tão comuns nas escolas, tanto de hoje como do passado. A sociedade de hoje, bitolada e imatura, é fruto direto do modelo educacional que recebe, onde os alunos não são ensinados a pensar e a cultivar valores crísticos, como o amor e a fraternidade entre os homens. Os jovens não são ensinados a pensar e ter consciência de seu “espaço” no mundo. A escola ensina a técnica profissional, mas ela não forma valorosos e dignos seres humanos. Os valores foram absolutamente colocados de lado. O resultado disso são jovens insensíveis e egoístas, que pensam somente em atender os seus interesses imediatistas. Apesar de muitos pais não aceitarem encarar esta verdade.

Nosso último livro fala exatamente o que tu cita, já no capítulo 2, quando afirma: “Nós deveríamos estimular nos jovens o saudável hábito de filosofar, em vez de apenas ensinarmos cultura religiosa, ainda que ela também seja importante para a formação humana, pois passamos a conhecer a história de nosso mundo, das civilizações e de suas crenças. Hoje em dia, os homens parecem robôs, que são facilmente dominados por instrumentos de manipulação de massas. Tudo porque a filosofia, o ato de pensar e chegar a uma conclusão por reflexões próprias, foi completamente abandonado no modelo educacional vigente.”

A função do livro “Universalismo Crístico Avançado”, e do UC como um todo, é exatamente despertar as pessoas conscientes para que juntos possamos agir, dentro de nossas possibilidades e vocações, para mudar esse modelo de formação de nossas crianças. Se desejamos uma nova geração voltada para o Bem e focada na evolução humana e espiritual, precisamos agir rápido. Senão teremos em um futuro próximo algo pior do que boa parte dos jovens atuais que são egoístas, individualistas, fascinados por jogos de vídeo games violentos e que acham que música “funk” é arte. A Nova Era para tornar-se realidade precisa também de nossa ação determinada. Para as mudanças ocorrerem, precisamos “descruzar os braços” e partir para a ação.

Roger Responde 190 – Internet, www, smartphones, tablets e Google Glass seriam aquilo que João Evangelista se referiu ao relatar o “número da Besta” no livro do Apocalipse?

190 – Pergunta (05/08/2013):  Olá Roger, talvez seja paranóia minha… mas acho que tu é a única pessoa que pode responder isto. Tem uma passagem na Bíblia, no Apocalipse: “16. Também obrigou todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca na mão direita ou na testa, 17. para que ninguém pudesse comprar nem vender, a não ser quem tivesse a marca, que é o nome da besta ou o número do seu nome. 18. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Seu número é seiscentos e sessenta e seis”. Hoje, quase todos compram e vendem pelo número WWW. Daqui mais um tempo todos vão estar com a marca na mão direita: tablet, smartphone, dispositivos móveis. E na testa também: Google Glass. É mera coincidência?

Roger: Que pergunta interessante… Realmente muito interessante. Eu creio que todas as coisas não são boas, nem más. O homem que, ao fazer uso delas, é que as torna boas ou más. O álcool, por exemplo, é fundamental para o homem quando utilizado como combustível, esterilizante ou solvente. Mas também pode ser utilizado como uma perigosa e viciante droga, que além de causar as mais diversas doenças por seu consumo exagerado, ainda causa milhares de mortes no trânsito.  O mesmo acontece até mesmo com a maconha, que possui propriedades medicinais. Ela poderia ser aplicada como sonífero, anestésico, antidepressivo, entre outras aplicações, obviamente que sob controle médico. No entanto, a nossa juventude “frita” os seus neurônios consumindo-a de forma ilegal e prejudicial à saúde, gerando um exército de jovens com limitada capacidade cognitiva.

Obviamente que no uso da Internet também é assim. Se quem a utiliza tiver bom coração e estiver focado em uma saudável evolução espiritual, a utilizará buscando informações e fazendo ações para o seu desenvolvimento e de seus irmãos da grande família humana. Já quem vive para os seus vícios e está escravizado à alienação humana certamente a utilizará para objetivos hediondos e vulgares, como a pedofília, tráfico de drogas e para alimentar os seus vícios e interesses fúteis. A Internet não é boa ou má. Nós, a humanidade, é que somos. Ao ver a nova geração, crianças e adolescentes hipnotizados frente ao computador ou aos smartphones e tabletes, o utilizando de forma fútil e improdutiva, parece que a pergunta do leitor faz muito sentido…

Talvez o apóstolo João, que escreveu o livro do Apocalipse da Bíblia, tenha tido essa visão futurista de ver-nos, (a atual humanidade), conectada a estes dispositivos e vinculados ao número “WWW” para selarmos a nossa falência espiritual, que vemos ocorrendo no mundo todos os dias. A Internet, este fantástico instrumento de acesso ao saber, um verdadeiro “oráculo de informações”, não é bem aproveitado pelo homem. Infelizmente, a “Internet do mal” ainda é a maioria, mas isso tão-somente porque os interesses da maior parte de nossa humanidade ainda é algo que a distancia dos sublimes valores espirituais.

Vale lembrar que João, o Evangelista, relata neste mesmo livro que no futuro “pássaros de aço lançariam dos céus ovos de fogo”. E isto se confirmou durante as guerras atuais, onde os pássaros de aço são os aviões e os ovos de fogo são as bombas incendiárias. Como ele poderia relatar a nossa atual tecnologia no início da era cristã, se o homem ainda vivia sendo transportados por cavalos e carroças? Ele utilizou-se da linguagem que lhe era conhecida. Talvez realmente o relato acima tenha muito a ver com a nossa atual “Era da Informação”.

Porém, vale lembrar, que já relatamos nos livros “Sob o Signo de Aquário” e “A Nova Era” que a marca da besta é um símbolo que inconscientemente é gravado no corpo perispiritual daqueles que faliram em sua tentativa de se tornarem os “Bem aventurados mansos e pacíficos que deverão herdar a Terra na Nova Era”. Entretanto, nada impede que este símbolo tenha, também, a interpretação relatada no questionamento desta pergunta.

Roger Responde 149 – Como os pais devem abordar e direcionar as más inclinações que as crianças possam apresentar e que podem levá-las a comportamentos prejudiciais no futuro?

149 – Pergunta (22/10/2012): No livro “A Nova Era”, capítulo 13, Hermes responde a duas perguntas falando sobre o comportamento dos pais da nova era. Segundo o mentor, os pais, para proverem uma boa educação aos seus filhos, devem orientar e amar e não somente suprir caprichos infantis sem direcionamento e discernimento. Dentro dessa linha filosófica da nova Era e do Universalismo Crístico, de que forma os pais devem abordar e direcionar as más inclinações que as crianças possam apresentar e que podem levá-las a comportamentos prejudiciais no futuro?

Roger: No capítulo 14 do novo livro “Universalismo Crístico Avançado”, que é um dos capítulos mais importantes deste livro, aprofundamos alguns conceitos importantes sobre a educação do futuro. Mais para o final deste capítulo, Hermes disserta sobre a importância de estimular e valorizar nas crianças a perseverança e o cultivo de bons valores. Abaixo reproduzimos alguns importantes pontos deste capítulo, que atendem muito bem a questão levantada nesta pergunta.

É fundamental desenvolvermos um modelo educacional que estimule em nossas crianças os bons valores e a perseverança para atingir metas, evitando que se tornem adultos levianos e preguiçosos. É comum vermos pais e educadores elogiando as crianças somente com base em parâmetros superficiais, como a vaidade e o culto ao ego, enaltecendo a sua beleza e esperteza. O mais indicado é estimulá-las com base em seus bons valores e persistência para atingir objetivos. Devemos tecer comentários elogiosos sobre os seus esforços para vencerem a si mesmas, conquistando metas graças ao seu espírito de equipe, solidariedade, generosidade, cultivo de bons valores, princípios e ética.

As crianças do terceiro milênio precisam ser estimuladas a serem solidárias, éticas, responsáveis, humanitárias, perseverantes e idealistas, ou seja, a valorizarem sentimentos e valores nobres. Elas precisam ser incentivadas a tentar sempre, mesmo que não atinjam o objetivo. O esforço deve ser recompensado, quer obtenham êxito ou não. Essa é a regra divina!

Não são apenas as pessoas boas que são reconhecidas no Céu, mas, também, aquelas que erram, mas se “esforçam sinceramente” na luta para tornarem-se melhores. O Céu não é exclusividade dos anjos. Ele também é o lar dos trabalhadores esforçados e sinceros que buscam a Luz de Deus, apesar de suas limitações evolutivas.

As crianças estimuladas a serem dedicadas jamais terão medo de tentar, pois mesmo que não consigam atingir o objetivo, o seu esforço será reconhecido e elogiado. Já aquelas que são chamadas de espertas e inteligentes, rejeitarão os novos desafios com medo de perderem o status de “criança prodígio”. E isso refletirá em sua personalidade quando forem adultas. Os pais e educadores devem perceber isso e ensinar e estimular nas crianças o que realmente importa. Não se consegue formar homens e mulheres valorosos por meio de elogios fúteis, focados no ego de cada um. É preciso incentivá-los a comportamentos e valores nobres.

Homens e mulheres com personalidade forte e saudável são forjados a partir de bons valores e por meio de seus esforços em superar as adversidades da vida. São como árvores frondosas, bem enraizadas, que os ventos fortes e as tempestades da vida não conseguem derrubar. Ao mesmo tempo, tornam-se flexíveis como os bambus, que se vergam para adaptarem-se à vida, sem jamais quebrarem.

Roger Responde 134 – Existência da Lemúria.

134 – Pergunta (09/07/2012): Prezado Roger, quando tomei conhecimento de seus livros, a princípio fiquei muito entusiasmado achando que iria encontrar novas revelações sobre a verdadeira história da Terra, contudo depois de ler os dois livros sobre a Atlântida, tem algumas respostas que você deu a perguntas de leitores, tem duas coisas que por uma questão de lógica e bom senso ainda não consigo aceitar. Você diz que seus mentores nada lhe disseram sobre a existência da Lemúria, no entanto a existência dessa civilização no passado é citada por todas as escolas esotéricas como a Maçonaria, a Rosacruz, a Eubiose, a Teosofia e por pesquisadores clarividentes como Rudolf Steiner entre outros, e além disso existem pelo mundo até evidências físicas que correspondem aos relatos dessas fontes, como construções rústicas e ciclópicas cuja datação é incerta, pegadas fossilizadas de humanos de tamanho gigante junto com pegadas de dinossauros cujas fotos você encontra na Internet e que até hoje ninguém provou se tratar de fraude. O que você pode me dizer sobre isso? E eu gostaria muito de saber por que Hermes não toca no assunto, ele tem algo a esconder de nós? O que seria e porque?

Roger: Antes de mais nada, gostaria de afirmar, como já fiz em outras oportunidades, que não sou o dono da verdade. Em momento nenhum disse que a Lemúria não existia. Apenas afirmei que não tinha recebido dos mentores nenhuma comprovação sobre a existência deste continente. Além do mais, a própria teoria científica do continente único: “Pangéia”, demonstra que não havia “espaço” para um continente físico chamado Mú ou Lemúria na disposição do mapa como apresentam os estudiosos que citaste acima. Durante o período Jurássico, Pangéia então se fragmentou, formando os continentes de Gonduana e Laurásia. Esse processo de fragmentação se seguiu por muitos milhões de anos até se tornar no mundo como o conhecemos. Analisando estes estudos científicos, já comprovados, que são lógicos e sensatos, podemos perceber claramente que Lemúria não pode ter existido, pelo menos não nessa dimensão. E eu jamais tive informação espiritual de relatos sobre essa civilização. Somente isto.

Já recebi alguns e-mails questionando que no livro “A Nova Era – Orientações espirituais para o terceiro milênio” eu faço uma citação sobre a Lemúria, afirmando na resposta de Hermes : “Na Lemúria, como na Atlântida e mais recentemente na Suméria, civilização que antecedeu aos babilônios, tivemos importantes avanços científicos utilizando-se de métodos pouco aceitáveis pelos cientistas atuais”. Já escrevemos 10 livros. São centenas de páginas. As vezes acontecem alguns erros. Eu reconheço essa menção a Lemúria como um erro meu de captação mediúnica do pensamento de Hermes, pois ele nunca me falou especificamente a respeito dessa civilização. Talvez seja por isso que ele não toque nesse assunto. Simplesmente por ela nunca ter existido. Porém, como disse, isso é uma opinião pessoal minha.

E sobre as fontes que tu citas acima na tua pergunta, isto não é relevante. Um engano pode se propagar até mesmo pela boca de estudiosos sérios. Ainda mais em um período anterior às diversas descobertas que hoje já conhecemos. Existem vários livros mediúnicos que afirmam que Tutankhamon era genro de Akhenaton. Hoje, através de exames de DNA, sabemos que ele é seu filho. Assim como este exemplo, existem vários outros relatando equívocos semelhantes. As escolas esotéricas do passado são sérias e respeitáveis, mas não são donas absolutas da verdade. Ela é composta de humanos, e humanos costumam cometer erros, principalmente quando captam informações que transcendem o conhecimento geral.

Quanto as pegadas fossilizadas, esqueletos gigantes, imagens de naves espaciais e diversas outras coisas que aparecem diariamente na Internet, pelo contrário, até hoje ninguém conseguiu comprovar a veracidade destas histórias. Isso é tão lenda quanto as abduções realizadas por extraterrestres. Claro, que afirmo essas coisas na minha humilde opinião. Cada um acredita no que quiser e achar válido para a sua evolução. Crença é crença; fato é fato! Temos dado maior ênfase em nosso trabalho ao conjuntos de valores espirituais que devemos adquirir para evoluirmos. Isso são fatos. Já essas teorias aqui levantadas são apenas crenças de difícil comprovação. Cabendo a cada um escolher acreditar ou não, de acordo com sua própria percepção e entendimento.