Vibração Coletiva do UC (03/12/2014) – Tema: “A importância de ser criança”

Irmãos, vamos mentalizar esta semana sobre o papel das crianças em nossa sociedade e em nossas vidas.
Nossas crianças estão sofrendo um desrespeito muito grande, em uma fase que é a mais importante para o espírito, pois é onde são firmados importantes valores de conduta morais para a sua alma.
Quando somos despertos para a vida espiritual, tomamos a consciência que uma criança que vem ao mundo é sim um espírito milenar com uma bagagem interior enorme, vendo na oportunidade da reencarnação uma motivação para aparar suas arestas espirituais, depurar suas imperfeições morais e corrigir seus débitos contraídos em vidas passadas. Mas como fica então esta criança ou este espírito quando chega a este mundo e não encontra a receptividade e os ensinamentos morais dos quais necessita para seu aprendizado? Que reação tem os pais então, quando se depara com suas manhas infantis para conseguirem o que querem?
Vemos diariamente em nossos veículos de informações notícias envolvendo crianças e adolescentes e suas várias formas de abuso que elas sofrem; seja ela familiar ou social. Crianças sendo adultizadas cedo demais, quando o certo seria ela estar brincando e se desenvolvendo sadiamente e com boa formação moral dada pelos pais e pela sociedade. Infelizmente vemos o contrário, são na grande maioria, crianças alienadas, mal educadas, birrentas e com vários distúrbios de comportamento. Os pais cada vez mais ausentes em suas vidas colocam a culpa dessa ausência no trabalho, na falta de tempo e na vida corrida do dia-a-dia; e para suprir sua ausência, compensam seus filhos com presentes e coisas materiais deixando-os livres para fazerem o que quiserem, guiados pela sociedade do materialismo e da alienação, sem refletirem sobre o impacto que irá causar em sua personalidade e em sua moralidade.
Pergunta: Como deveria ser o comportamento dos pais para a boa formação de seus filhos?
Hermes: É necessária uma libertação definitiva dos conceitos de “laços de sangue”, aceitável somente entre os animais, que ainda estão sujeitos à imposição coercitiva do instinto de preservação da espécie. Já os espíritos em evolução na Terra, se enquadram em um processo evolutivo superior que exige a adequação ao conceito de “família universal”, onde somos todos irmãos, filhos de um único e soberano Pai. Jamais devemos dar exemplos às nossas crianças de desrespeito e desconsideração com aqueles que não fazem parte de nosso núcleo familiar; e, além disso, devemos formar a consciência de nossos jovens sobre a imortalidade da alma e as sucessivas encarnações na matéria, que demonstram claramente a natureza de nossas relações com o mundo. Aqueles que desprezamos, por não fazerem parte de nossa família, podem ser irmãos muito amados de encarnações anteriores. Já é tempo de os homens vislumbrarem o mundo com “olhos espirituais”, e não como criaturas alienadas em relação ao programa evolutivo criado por Deus.
Livro “A Nova Era” de Roger Bottini Paranhos
Queridos irmãos, somos como espelhos para as nossas crianças. Todos os nossos comportamentos e todos os nossos valores afetam diretamente na formação moral dos pequenos e de nossos jovens, sendo importantíssimo refletirmos como anda nosso papel dentro da educação moral de nossos filhos que serão o futuro desta Nova Era que se inicia.
Que possamos então darmos um bom exemplo de moralidade, espiritualidade, civilidade e respeito ao próximo a estas crianças e a estes jovens, que nosso Pai tão amorosamente nos concedeu temporariamente a sua tutela, com a responsabilidade de os ajudarmos em sua caminhada evolutiva.
Uma ótima semana a todos!
Muita Paz e Luz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *