Vibração Coletiva (07/02/2018) – Lidando com a Sombra

Lidando com a sombra

Amados irmãos, no momento em que nos conscientizamos do poder do nosso pensamento, fica a certeza absoluta de que somos o que pensamos, mas sabemos também da imensa dificuldade em nos mantermos equilibrados e principalmente de lidarmos com o nosso lado sombrio. Convidamos a todos nessa semana a mergulhar em nosso lado obscuro com o objetivo de aprender a lidar com a sombra que todos temos, pois se insistirmos em sufoca-la, a qualquer momento ela poderá vir à  tona e fazer estragos em nossas vidas com uma força que desconhecemos. Se isso acontecer, no fundo saberemos que fomos nós que a alimentamos, afinal, o que pensamos e deixamos transbordar através de nossos sentimentos é o que constrói quem somos e comanda as nossas atitudes.

Desde que o mundo é mundo, a sombra acompanha a cada um dos seres encarnados, independente da época e do cenário em que estavam inseridos. A nossa sombra está intimamente interligada com o conceito de pecado, isso surge fortemente na Idade Média com a Igreja católica quando são listados os sete pecados capitais.

Na sociedade medieval, época obscura da história de nossa humanidade, foi necessária a dominação da igreja para que não houvesse o caos total. Por mais que os reais valores pelo qual a igreja criava as suas leis não tivessem como objetivo principal a espiritualização dos seus fiéis, mas sim a busca pelo poder e controle da sociedade em geral, mesmo assim eles auxiliaram na regularização e normatização da vida em sociedade e na conduta dos indiví­duos.

Muito tempo se passou e continuamos a nos martirizar com traumas e punições pelos erros que cometemos ou a julgar as pessoas sem cessar aumentando os seus traumas e os seus sentimentos de culpa pelo que fizeram ou pela postura que assumiram. Hoje quem pensa diferente já não é mais queimado na fogueira física, mas em contraponto, é atirado em uma fogueira moral de acusações verbais pela sociedade.

Quando realizamos os pesados julgamentos para com os outros, na realidade estamos projetando neles pedaços da nossa obscuridade não reconhecida, simplesmente por estarmos com medo da nossa falta de valor e grandeza, pois “inocentemente” no momento em que diminuo a outrem eu me destaco.

Na verdade, todos esses sentimentos são faces de uma mesma moeda. Afinal, como poderíamos conhecer a coragem, sem nunca ter conhecido o medo? Conhecer a felicidade, sem ter conhecido a tristeza? Conhecer a luz sem ter conhecido a escuridão?  É por isso que o nosso Pai Maior é tão perfeito e nos criou simples e ignorantes, para que diante desse universo dual, através das sucessivas reencarnações nos revelar os contrastes, para que assim pudéssemos comparar os extremos e decidirmos qual o caminho que queremos seguir.

Os acontecimentos difí­ceis e os erros que cometemos são lições que devemos aprender para evoluir e seguir em frente em nossos destinos. Reconheçamos os nossos traumas e nossos maus costumes para trata-los e buscar transforma-los aos poucos, pois ninguém muda de uma hora para outra, primeiro é necessário o autoconhecimento, para depois realizarmos as mudanças necessárias.

Então sejamos sinceros e utilizemos a lista dos sete pecados capitais para localizar o que ainda temos que melhorar dentro de cada um de nós para nos tornarmos pessoas melhores. Mas como trabalhar cada uma das questões que necessitamos melhorar? Saibamos que para cada um dos pecados listados, temos uma virtude que se opõe, a virtude relacionada ao “pecado” que mais costumamos cometer é o que precisaremos colocar mais em prática.

 1. SOBERBA/VAIDADE – (Humildade) 2. GULA – (Temperança) 3. AVAREZA – (Generosidade) 4. IRA – (Paciência) 5. LUXÚRIA – (Castidade) 6. PREGUIÇA – (Disciplina) 7. INVEJA – (Caridade)

Todo excesso se torna perigoso, pois sabemos que a diferença entre o remédio e o veneno é só a dose. Ao invés de convidarmos a todos a trocarem totalmente o que chamamos de pecados pelas virtudes, lançamos o desafio de que todos busquem encontrar o EQUILÍBRIO entre ambos.

O único momento em que não podemos enxergar a sombra é quando o ambiente se encontra em total escuridão, reconhecer a sombra é natural para todos que estiverem na luz. Vibremos então essa semana para que todos possam reconhecer a sua sombra e trabalha-la, buscando o equilíbrio tão necessário para as nossas vidas.

Paz e Luz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *