Vibração Coletiva (05/12/2018) – Percepções

Percepções

Como tem estado minhas percepções em relação à vida, as pessoas e a criação? Quais são os pensamentos que mais tenho percebido em mim ultimamente? Ando positivo ou ando negativo? Vendo coisas boas ou só coisas ruins?

Meus irmãos o mundo exterior somos nós que fazemos através daquilo que procuramos levar em nosso interior. O mundo não é bom ou ruim ele é neutro. Onde focamos mais a nossa atenção a nossa energia, é onde aumentamos mais os acontecimentos bons ou ruins. Relembremos que somos energias vivíssimas e cocriadores com o nosso Pai Celestial o Criador da Vida. Nós criamos a nossa realidade conforme focamos os nossos pensamentos.

Percebamos realmente naquilo que estamos focando a nossa atenção, muitas das vezes são as nossas crenças negativas que estão se manifestando e a realidade das coisas é completamente outra, totalmente diferente daquelas que estamos vibrando e percebendo. Tudo é Vibração!

A vida é abundante, é amor, é leveza, é paz, é tranquilidade e é fraternidade. Nossos olhos que enxergam as coisas nubladas e sujas, se isso ocorre é porque precisamos limpá-los e não nos agarrarmos aos nossos defeitos por medo de ferir o nosso ego. Reclamar das ações dos outros é muito fácil, mas o que “Eu” como Ser que está inserido em uma sociedade pensante, tenho realmente feito para ajudar e melhorar.

“Um casal, recém-casados, mudou-se para um bairro muito tranquilo.

Na primeira manhã que passavam na casa, enquanto tomavam café, a mulher reparou em uma vizinha que pendurava lençóis no varal e comentou com o marido:

Que lençóis sujos ela está pendurando no varal! Está precisando de um sabão novo. Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

O marido observou calado.

Três dias depois, também durante o café da manhã, a vizinha pendurava lençóis no varal e novamente a mulher comentou com o marido:

Nossa vizinha continua pendurando os lençóis sujos! Se eu tivesse intimidade perguntaria se ela quer que eu a ensine a lavar as roupas!

E assim, a cada três dias, a mulher repetia seu discurso, enquanto a vizinha pendurava suas roupas no varal.

Passado um mês a mulher se surpreendeu ao ver os lençóis muito brancos sendo estendidos, e empolgada foi dizer ao marido:

Veja, ela aprendeu a lavar as roupas, será que a outra vizinha a deu sabão? Porque eu não fiz nada.

O marido calmamente a respondeu:

Não, hoje eu levantei mais cedo e lavei a vidraça da janela!

E assim é. Tudo depende da janela, através da qual observamos os fatos. Antes de criticar, verifique se você fez alguma coisa para contribuir; verifique seus próprios defeitos e limitações. Devemos olhar, antes de tudo, para nossa própria casa, para dentro de nós mesmos.

Lave sua vidraça! Abra sua janela!”

Vibremos então por aquilo que não estamos querendo perceber em nossos mundos interior e exterior.

Paz e Luz a Todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *