Roger Responde 262 – Qual é a “fagulha” que acenderá em nós a luz do Cristo?

262 – Pergunta (09/03/2015):  Olá irmão Roger! Talvez a dúvida, que me fez escrever essa pergunta, seja a de muitos de nós. Hoje vivemos num mundo de faixa vibratória muito baixa, embora estejamos rodeados de bons irmãos desencarnados e mentores espirituais e espíritos de luz. Presenciamos um mundo onde as vicissitudes, as baixas morais e o “mau” por assim dizer, faz parte das nossas vidas, do nosso cotidiano, dos nossos pensamentos. Me interesso muito pelo assunto, e sempre que posso leio para me informar, e “me formar” como filho de DEUS. Sou um admirador e leitor de seu trabalho, e até agora, conclui que assim como aconteceu na Tríade, que você teve a honra de habitar, está acontecendo na Terra neste momento, e num futuro (que não saberemos precisar) acontecerá com Absinto, haverá uma era que aqui denominaremos de Universalismo Crístico, onde o AMOR prevalecerá e os princípios e ensinamentos do nosso Cristo serão colocados em prática, e nós vivenciaremos tudo isso. Mas olhando para os dias de hoje, a dúvida que surge é: Onde está a “fagulha”, que acenderá em nós que ainda não temos a luz do CRISTO, que nos colocará “à sua direta”, elegendo-nos à esta fase tão sublime??? Sou um jovem de 30 anos que sonha em poder vivenciar o início dessa fase. E talvez muitos irmãos compartilhem dessa dúvida. PAZ e LUZ à todos nós !

Roger: Querido amigo, é difícil dizer o momento em que teremos uma demonstração mais clara, uma fagulha que nos faça ver de forma definitiva as mudanças que estão por vir e nos auxilie a, definitivamente, nos eleger para a Nova Era. Os dias atuais nos mostram uma tendência cada vez maior das pessoas focarem no materialismo e tratar a vida humana como resultado de algo apenas biológico, sem ter uma ligação com Deus e com o mundo espiritual. O número de pessoas que não acreditam em Deus e no plano espiritual cresce no mundo e muitos daqueles que afirmam crer, creem apenas por mera formalidade ou dentro de parâmetros absurdos e distorcidos, como é o caso do Estado Islâmico. Cada vez é menor a presença no planeta daqueles que “sentem” Deus e a Espiritualidade em seus corações, de forma lúcida. Isto é o sinal dos tempos…

No entanto, creio que isto é muito natural e em nada foge ao planejamento divino. As profecias se cumprem de acordo com o entendimento de cada um. Basta ter “olhos para ver” e “ouvidos para escutar”. João, o Evangelista, no livro do Apocalipse, nos diz que chegado o período do Grande Juízo: “o que é certo passaria a ser errado, e o que errado passaria a ser certo”. Analisando o cenário político de nosso país, vemos exatamente isto. Corruptos e corruptores justificando o injustificável. E o pior é que “cada povo tem o governo que merece”, sinalizando que os nossos governantes são um reflexo direto do nível ético e moral de seu próprio povo.

Os valores que dignificam e promovem a evolução da família Terra estão sendo esquecidos e isto gera um processo de caos e colapso a médio prazo. Esta tempestade limpará a atmosfera espiritual do planeta, trazendo uma nova aurora para a humanidade no futuro. Infelizmente a nossa humanidade ainda é muito primitiva. Assim como em Tríade ou na Atlântida do período dos Capelinos, que narramos nos livros sobre a Atlântida, é preciso um choque para resgatar a dignidade em almas primárias.

A fagulha que afirma em tua pergunta, aquela que acenderá em nós a Luz do Cristo, pode ser desperta através de uma determinada busca de conscientização espiritual e por meio do esforço em se tornar uma pessoa melhor. Este é o caminho da sabedoria e do amor. Entretanto, a grande maioria precisará de momentos dolorosos para despertar esta “fagulha crística” em seus corações. Esta é a tradição da escola Terra: evolução através de mecanismos de dor e sofrimento.

One Response
  • Marcos Ogata
    mar 10, 2015

    “cada povo tem o governo que merece”

    Como justificar isso quando é a maioria (no caso do sistema democrático) que define o governo para todos. Certeza que muitos dirão que a maioria merece o governo que tem, o restante do povo sofre sem merecer as consequências da escolha do mais forte (a maioria é sempre mais forte).

    Por outro lado se considerar que de fato todo o povo que votou ou não no governo o merece. Como considerar as manifestações anti-governo?? Seria um alerta de que o povo já não merece tanto assim o governo?? Seria um abuso do povo??

    E por acaso não teria o governo também o livre-arbítrio para abusar ?? Essa máxima “cada povo tem o governo que merece” leva em consideração também o governo que usa do livre-arbítrio para abusar?? E mesmo esse abuso do governo o povo merece??

    [Reply]

    Marcos Ogata mar 10, 2015
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *