Roger Responde 151 – Qual o verdadeiro significado de “pecado”?

151 – Pergunta (05/11/2012): Olá Roger, estou lendo o livro “Universalismo Crístico – O Futuro das Religiões” e estou gostando das colocações do livro. Como ainda não terminei de ler o livro, pode ser que seja abordado o significado de PECADO. Qual é o verdadeiro significado de PECADO, empregado nos textos bíblicos? Por obséquio, você poderia explanar a respeito dos seguintes pontos do Novo Testamento: I Pedro, 2:24  – “levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.” Isaías, 53:4 – “Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.” Antecipadamente, agradeço a vossa atenção.

Roger: Os dois textos não são diretamente dos Evangelhos. O primeiro é de “Atos dos Apóstolos” e o segundo do “Velho Testamento”. Mesmo que fossem ditos diretamente por Jesus, entendo que muito do que os seguidores de Jesus interpretaram de sua mensagem (e transcreveram nos Evangelhos) estava de acordo com a sua compreensão espiritual àquela época, ainda afeita às crenças culturais e religiosas judaicas.

Jesus não salva. Ele é o professor. Portanto, ele não poderia levar (ou “lavar”) os nossos pecados, mas sim ensinar-nos a vencê-los e corrigi-los. Esse conceito se criou a partir da compreensão limitada da época. E, também, não creio em pecados como atos que devem ser punidos e sejam vergonhosos. Entendo que existem comportamentos equivocados que nos levam para a estrada do aprendizado através do sofrimento e da infelicidade. Creio em corrigir erros, e não em punir pecadores.

Desse modo, sou absolutamente contrário a visão de punição por pecados cometidos ou que Jesus “lavou” os nossos pecados com o seu sangue no alto da cruz. Ele desceu ao mundo humano para ser o professor, ou seja, para nos ensinar o caminho da iluminação espiritual. No entanto, muito de sua mensagem foi mal compreendida devido a consciência limitada da humanidade da época. Hoje em dia tudo pode ser melhor compreendido, com bom senso e lógica. Jesus não nos purificou. Apenas nos ensinou o caminho de nossa própria evolução e libertação do mundo da ilusão. Cabe a cada um seguir por esse caminho e alcançar a vitória por si mesmo. Não existem graças divinas. Deus não dá nada de graça para os seus filhos. Isto seria um contrassenso, pois ele estaria privilegiando alguns em detrimento de outros. Recebemos de acordo com os nossos méritos e esforços, demonstrando assim, dessa forma, a verdadeira e suprema justiça divina.

One Response
  • gabriel
    dez 4, 2015

    Muito esclarecedor Roger! Este é um ponto que sempre há “discordância” quando converso com um familiar evangélico…que vê como se Jesus tivesse LAVADO os nossos pecados e crendo que ele SALVA.

    Enfim, sempre é bom nos esclarecermos da VERDADE, não que voce ou eu somos Senhores da Razão, mas por BOM SENSO e LÓGICA na Fé Raciocinada, é muito mais claro entender como vc EXPLICOU.

    E é como penso. O Divino Mestre nos aguarda de mão abertas, mas cabe a nós trilhar o caminho correto pelos nossos MÉRITOS e não do NADA, aceitar JESUS e se “SALVAR”……..

    [Reply]

    gabriel dez 4, 2015
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *