Roger Responde 121 – Existe a chama violeta? Ela transmuta carmas?

121 – Pergunta (09/04/2012): Li no livro “Universalismo Crístico O futuro das religiões” que a chama violeta não ajuda a transmutar os carmas do passado e purificar o espírito. Pergunto: Existe a chama violeta? Para que serve? Por que tanto se fala nela? Como ela se encontra em tantos sites e vídeos? Tinha uma grande atração por Saint Germain e a chama violeta e fiquei desapontada com essas afirmações.

Roger: Esse questionamento tem o mesmo enfoque da pergunta da semana passada. Amigos, como afirma o livro, purificar o espírito, ocorre porque em conexão com a crença da Chama Violeta entramos em um estado vibracional superior, ou seja, de oração. Saint Germain e os outros mestres trabalham conosco nessa vibração que nos impulsiona e cria melhores condições para evoluirmos, como falamos na semana passada. Agora, quanto a queimar o carma, não existe queima de carma sem mudança de padrões de comportamento. Não basta sintonizar-se com a Chama Violeta e continuar repetindo os mesmos padrões de comportamento que levam ao desequilíbrio.

Como diz o livro “Universalismo Crístico básico”: queimar carma só se consegue através da correção do mal cometido, ou seja, através da prática direta do Bem. Não se iludam com relação a isso. Mesmo porque aquele que fica em pleno estado de meditação e purificação jamais consegue perfeita harmonia de espírito se ainda encontra-se em desavença com algum irmão ou realizando práticas antifraternas. Não existe queima de carma sem reforma íntima e harmonização com o seu próximo.

Se não fosse assim, onde estaria o mérito de resolvermos os nossos problemas somente meditando, sem uma real ação para corrigir os nossos erros e sem ajudar aqueles a quem fizemos mal? Em nosso novo livro “Universalismo Crístico Avançado” falamos em determinado capítulo sobre o carma. Até revelei esse trecho do livro em nosso grupo de emails do UC-Brasil. http://groups.google.com/group/uc-brasil Vou reproduzir aqui, também, no “Roger Responde” para que todos tenham acesso de forma antecipada a parte do conteúdo do novo livro.

Eu analisei o caso, consultando a sua tela mental e as anotações feitas pelos demais atendentes na ficha do paciente. Verifiquei o carma que teria de resgatar nessa última existência e percebi algo muito interessante: não havia ocorrido o resgate cármico, apesar de todo o sofrimento que vivera devido ao seu corpo ter sido consumido pela doença.
As pessoas com consciência espiritual acreditam que estamos aqui para regatar carmas do passado. Só que, algumas vezes, não tem consciência de que não basta apenas “resgatar carmas”, é necessário realizar uma mudança de padrões de comportamento. Só assim o ciclo se encerra!
O paciente que eu estava atendendo desencarnou consumido por um terrível câncer de pâncreas, devido ao rancor e ressentimento em sua alma. E já era a sua terceira reencarnação consecutiva que descia à matéria para vencer o mesmo desequilíbrio da alma.
Nas questões cármicas, o que realmente importa, é o aprendizado. Se ele não ocorrer, o carma não é regatado, por mais que tenhamos sofrido com a sua ação impiedosa.
Inclusive, o carma pode até ser mudado, ou anulado, a partir do aprendizado. A função de nossas experiências na matéria é provocar evolução interna, ou seja, aprendizado em direção à luz. Não existe punição divina! O homem é que ainda percebe a causa da dor dessa forma distorcida.
Apenas viver o carma não é suficiente. É necessário aprender com ele e modificar-se para melhor. No caso que eu analisava era possível ver que o seu corpo espiritual ainda repetiria aquele mesmo padrão enfermiço em sua existência seguinte. E isso ocorre com muitas pessoas teimosas que não aceitam o ponto de vista de seus semelhantes quando lhes indicam a necessidade de se modificarem para melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *