Roger Responde 067 – Reflexões sobre os rituais e sobre o batismo

067 – Pergunta (28/03/2011): Estou estudando o Universalismo Crístico e estou achando o assunto muito lógico e interessante, no entanto, gostaria que você me falasse um pouco em que consiste a Maçonaria e a Ordem Rosa Cruz para o Universalismo Crístico, ou seja, estas Ordens já estão ultrapassadas, ou elas ainda são detentoras de verdades que nem todos ainda estão preparados para tomar conhecimento? Fale-nos também sobre o batismo nas águas conforme o evangelismo prega. Ele é somente um ritual exteriorizado ou tem alguma valia espiritual? Precisa ou não precisa se batizar?

Roger:  O Universalismo Crístico é um instrumento que visa auxiliar a humanidade em sua compreensão da vida como um todo, provocando reflexões a respeito de cada crença e abrindo os horizontes para uma melhor compreensão da Espiritualidade. A função do Universalismo Crístico não é julgar as demais crenças. Todas possuem, em essência, valores imperecíveis que devem ser respeitados e acatados. Somente a forma como são entendidas e praticadas que deve ser revista. Por exemplo, a mensagem sublime contida nos dez mandamentos coloca o judaísmo como uma das mais importantes religiões do cenário mundial, entretanto, o conjunto de rituais e costumes que surgiram a partir da formação desse notável povo deve ser refletido e analisado para o futuro.

Da mesma forma, a maçonaria corresponde a uma das mais importantes ordens iniciáticas de  nossa história. O progresso da humanidade inúmeras vezes surgiu das mãos de livres pensadores adeptos dessa louvável confraria. Inclusive, tenho vários amigos maçons e já realizei palestras para eles expondo a ideia do Universalismo Crístico. E eles sempre atestaram a essência do Universalismo Crístico como exatamente a essência de suas convicções. Ou seja, crer em um Ser Supremo, o Criador, o Grande Arquiteto do Universo, independente das crenças religiosas individuais de seus adeptos. Porém, como no caso do judaísmo, os seus rituais precisam ser analisados para entender até que ponto eles ainda possuem força para promover o progresso espiritual e humano de seus adeptos.

O rito nada mais é do que a materialização de um comando mental. A consagração no plano físico de uma magia mental, com a finalidade de gravar nas mentes e corações instruções e comandos puramente mentais. O Universalismo Crístico defende a causa de que no futuro a humanidade da Nova Era não necessitará de rituais, porque terá a capacidade de realizar a sua transformação interior através de um “puro comando mental” para si mesmo.

Um exemplo de ritual que está sendo aos poucos abolido, encontra-se em meio ao cenário espírita. Antigamente os passes eram realizados de forma ritualística e individual. Hoje em dia é realizada apenas uma imposição de mãos coletiva. Obviamente que existem casos que necessitam de “passes especiais” que são atendidos de forma individual. Não é a esses casos que me refiro.

Sobre o batismo, é o que comentamos acima. É apenas um ritual de aceitação da mensagem do Cristo em nossas vidas. É mais sensato quando realizado no final da adolescência, momento em que geralmente o ser humano se descobre e pode realizar um pacto dessa natureza; muito semelhante ao ritual de iniciação da maçonaria, que é um momento de grande responsabilidade para o neófito. Uma criança recém nascida ser batizada, não faz muito sentido, pois ela ainda não tem compreensão da crença religiosa que está abraçando, por escolha dos pais.

Se precisa ou não se batizar, costumo dizer que é algo semelhante a doação de órgãos. Se a pessoa já tem maturidade espiritual necessária para entender que não precisará do órgão físico no plano espiritual, tudo bem! Da mesma forma, se já possui maturidade espiritual para assumir compromissos sinceros e verdadeiros consigo mesmo e com Deus somente com uma convicção mental íntima, o ritual não é necessário. Depende de cada um. E realizar ou não; não eleva nem diminui ninguém. No entanto, se a evolução espiritual natural nos levará futuramente a viver no plano mental, devemos  passar a pensar além das formas e ritos humanos. Como diz-nos Hermes: A mente é tudo! O universo é mental! O Todo Poderoso está em tudo porque ele rege a sua criação a partir desse plano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *