Notícia da Semana – Mãe e filho de 4 anos criam refeições veganas para as distribuir para moradores de rua

Muitos criticam o assistencialismo, como o câncer dos problemas sociais, que acarretam aos pedintes necessitados, o estado de comodismo e conformismo, entre outros problemas.

Através desta ação do bem, esta mãe, nova iorquina; matéria que poderá ser lida neste link; ensina ao filho a importância do desapego e da empatia para com as dificuldades alheias.

Ensina desapegar-se dos bens materiais e compartilhar do pouco e/ou muito que se tem, em benefício dos que nada tem. Evitando que o egoismo se alastre em sua personalidade.

Ensina a empatia em não julgar a condição social em que o outro se encontra. Colocando-se no  lugar do outro, e buscando talvez, alternativas para ajudá-los a mudar seu status de necessitados para autossuficientes.

Esta forma de educar, faz com que a criança desenvolva valores morais e comportamentais, que lhe ajudaram a desenvolver uma consciência mais humanitária.

E espiritualizar-se é humanizar-se e vice- versa.

Deixo para reflexão desta notícia da semana, uma citação do livro: – A Nova Era – Autor: Roger Bottini Paranhos, -pág: 144

 PERGUNTA: A humanidade do Terceiro Milénio, então, vai voltar-se para a caridade e socorrerá os povos menos desenvolvidos que hoje vivem na miséria, assim como o gran­de número de pessoas que sobrevivem em um cenário de exclusão social na grande maioria das nações do mundo?

HERMES: — Na verdade, essa é uma tarefa que deveria ser executada pela atual humanidade, mas como os encarna­dos deste final de ciclo evolutivo se escravizaram aos seus interesses pessoais, essa será uma medida a ser executada pelos eleitos da Nova Era, até que a indiferença e a miséria sejam erradicadas da face da Terra. Mas deve ficar claro que não haverá um assistencialismo pura e simplesmente. Em um primeiro momento os excluídos serão socorridos, mas imedia­tamente haverá um processo de educação e profissionalização dessas pessoas para que elas possam “caminhar pelas próprias pernas”. Todos somos filhos de Deus com igual potencial; o que falte à humanidade atual é igualdade de oportunidades. Como a humanidade da Nova Era não desejará “escravizar” os mais fracos, mantendo-os na ignorância e na pobreza, teremos um esforço mundial para auxiliar no desenvolvimento e na instru­ção dos deserdados da sorte, porque todos devem gerar riqueza para o conjunto, e não serem um peso extra. Só assim a Terra terá uma sociedade moderna e desenvolvida como os demais mundos do Universo que já ingressaram nesse futuro estágio em que o nosso planeta está adentrando.

One Response
  • Maria de Nazaré
    jul 2, 2015

    Obrigada! Por tanta riqueza de conhecimento.

    [Reply]

    Maria de Nazaré jul 2, 2015
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *